Leste Europeu

Moral alta: Fernandinho ganha filme do Shakhtar na Ucrânia

Que Fernandinho é um dos jogadores mais importantes do Shakhtar Donetsk não é nenhuma novidade. Mas a moral do meia está mesmo em alta. Fernandinho ganhou um documentário na Ucrânia, o “Ferna7”, que conta a carreira do jogador em 30 minutos.

“Eu estou muito feliz por o clube ter decidido fazer o filme. Esse é um grande momento na minha vida e esse filme deve ter apelo a todos. Eu quero agradecer a todos que participaram desse filme. Separadamente, eu gostaria de agradecer a minha família que sempre me apoiou dentro e fora de campo”, disse o jogador no dia da estreia, domingo, em Donetsk.

“Para ser honesto, a emoção foi muito grande porque eu revivia tudo que acontecia na tela – disse Fernandinho depois do filme – Todos os aspectos da minha vida e carreira estavam perfeitamente refletidos no filme. A única coisa que eu quero é fazer um segundo filme, que mostraria o que ainda está por vir (risos). Eu passei a maior parte da minha carreira no Shakhtar e entendo que nós não podemos parar – É necessário continuar com o mesmo espírito”, afirmou o jogador.

Segundo Fernandinho, é possível que o filme seja dublado em português no futuro para o público brasileiro, para poder alcançar pessoas que não falam ucraniano. O Shakhtar informou que o filme será exibido no museu do clube, no estádio Donbass Arena, até o dia 7 de abril. Depois, será lançado em DVD.

Contratado em 2005 junto ao Atlético Paranaense, Fernandinho tornou-se ídolo do clube ucraniano e já conquistou cinco títulos ucranianos, três Copas da Ucrânia, duas Supercopas da Ucrânia e uma Copa da Uefa. Foi eleito o jogador da temporada em 2007/08. Originalmente, Fernandinho é meia ofensivo, mas se adaptou a jogar como volante no Shakhtar. Foi assim que foi chamado para a seleção brasileira, com o técnico Mano Menezes. Foram quatro jogos em 2011 e um em 2012.

Veja o trailer do filme:

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo