Leste Europeu

Lembra dele? A eterna promessa Halilovic volta à Croácia e assina com o Rijeka, seu 11° clube em oito anos

Halilovic ficou sem contrato ao deixar o Reading e retorna ao seu país depois de ser vendido como grande promessa ao Barcelona

Alen Halilovic já foi cotado entre as maiores promessas do futebol mundial. O camisa 10 surgiu muito cedo no Dinamo Zagreb e foi levado pelo Barcelona em 2014. Porém, o jovem nunca viu seu futebol desabrochar de verdade e rodou por empréstimos. Chegou a defender o Milan, mas caiu de nível e rodou até pela segundona do Campeonato Inglês. Aos 26 anos, tentará um recomeço de volta ao seu país. Nesta semana, Halilovic foi anunciado como novo reforço do Rijeka – um clube importante a nível local, mas que disputa apenas Conference League. Chega sem custos, ao final de seu contrato com o Reading.

A badalação de Halilovic se explica por sua precocidade. Antes mesmo de completar 18 anos, o meia tinha atuado em duas temporadas pelo Dinamo Zagreb. Disputou 61 partidas pelo clube, quebrou recordes de idade até na Champions e se destacou no Campeonato Croata. O Barcelona pagou €5 milhões por uma promessa que tinha estreado na seleção principal de seu país com apenas 16 anos. De início, Halilovic defendeu o Barça B. Entretanto, seu desempenho não impressionou tanto na segundona de 2014/15. Foi quando passou a rodar de time em time.

O melhor dos empréstimos de Halilovic foi exatamente o primeiro, com bons números pelo Sporting de Gijón em La Liga. Foi comprado pelo Hamburgo por €5 milhões, mas não ficou mais do que seis meses na Bundesliga. Seria emprestado para o Las Palmas, o que rendeu certo destaque. Porém, os Dinossauros preferiram encerrar seu contrato após o rebaixamento para a segundona alemã. Em 2018/19, Halilovic chegou ao Milan mais por nome do que por confiança. Sequer entrou em campo pela Serie A, limitado à Liga Europa, e acabou cedido ao Standard de Liège. Não fez o suficiente para emplacar no Campeonato Belga e nem no Neerlandês, emprestado ao Heerenveen. De volta ao Milan em julho de 2020, estava fora dos planos e acabou dispensado em outubro.

Halilovic passou um mês sem time, até acertar sua ida ao Birmingham City. Nem na Championship conseguiu provar seu talento. A próxima tentativa, na temporada passada, aconteceu com a camisa do Reading. Disputou 11 partidas e, com problemas de lesão, foi parar no time B. Sequer descolou um novo contrato e seu mercado parecia ainda mais escasso. Volta agora para a Croácia, onde recebe uma chance por sua nacionalidade. O seu pai, inclusive, foi jogador do Rijeka e talvez isso tenha pesado.

Aos 26 anos, Halilovic dificilmente mudará os rumos de sua carreira. Não é convocado para a seleção desde 2019 e seu nome é sinônimo de “flop” em vários cantos do mundo. No Rijeka, entrará num clube importante dentro do contexto local e que tenta desbancar o domínio do Dinamo Zagreb, algo que conseguiu na última década. Mas, pela decepção até na Championship, é difícil acreditar que aquele talento precoce desabrochará justamente agora. Talvez seja a última cartada do camisa 10 antes do completo ostracismo. O fato de atuar em seu país pode ajudar, mas uma reviravolta em seus rumos segue improvável.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo