Leste Europeu

Jogador do Anzhi é assassinado com tiros de metralhadora no Daguestão

O meio-campista Gasan Magomedov, de 20 anos, foi morto neste domingo depois de receber vários tiros de uma metralhadora automática. Segundo o seu clube, o Anzhi Makhachkala, o jogador não resistiu aos ferimentos e morreu a caminho do hospital. O clube fica no Daguestão, uma região com diversos conflitos.

LEIA TAMBÉM: Repúdio à violência: polícia deve combater, e não contribuir, com a barbárie

A polícia ainda não sabe o motivo do assassinato e o clube mandou “profundas condolências” para a família do jogador, que estava no time B. Não há qualquer outra morte relacionada. “Sofremos junto com todos que eram queridos para Gasan”, afirmou o chefe-executivo do Anzhi, Sergey Korablev. “Eu espero que a polícia descubra rapidamente os assassinos e eles sejam punidos”, disse ainda o dirigente.

Um grupo de ativistas islâmicos tem agido em Makachkala, no Daguestão, onde o clube está baseado. É comum tiroteios entre os rebeldes e as forças de segurança da Rússia. Recentemente, o Anzhi subiu de patamar quando Suleyman Kerimov assumiu o clube e investiu muito dinheiro, contratando várias esttrelas. A principal delas foi Samuel Eto’o, mas também teve Roberto Carlos e Yuri Zhirkov. Quando Suleymov resolveu parar de gastar dinheiro com o time e retirar os investimentos, o clube caiu para a segunda divisão. Nessa época, os treinos eram realizados em Moscou para evitar os riscos de segurança do Daguestão.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo