Leste Europeu

Imagine FHC ou Lula na Série B: isso acontece na Bulgária

É difícil encontrar um chefe de estado tão boleiro quanto Boyko Borisov. Em um resumo de sua carreira, o ex-primeiro ministro da Bulgária possui denúncias de corrupção, alegações de envolvimento com a máfia e o prêmio de melhor jogador de futebol do país em 2011. É verdade que a condecoração só veio como forma de protesto aos dirigentes do país, mas não é qualquer atleta de fim de semana que desbanca a hegemonia de Dimitar Berbatov.

Borisov renunciou ao poder em fevereiro, pressionado pela população por conta do alto custo de vida e das acusações sobre si. E, longe da política, resolveu dedicar-se integralmente ao futebol nesta temporada. O antigo mandatário assinou contrato com o Vitosha Bistritsa, que subiu à segunda divisão na última temporada.

Aos 54 anos de idade, Borisov se torna o jogador mais velho em uma liga profissional na Bulgária. Registrado como atacante, o político tinha participado apenas de partidas festivas e amistosos pelo Vitosha. Ainda assim, alguém duvida que ele será o ‘dono do time’, mesmo se ficar no banco de reservas?

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo