Leste Europeu

Hora da decisão

Passados nove meses do início da disputa da Premier Liga russa, dois times chegam à última rodada na luta pelo título da competição. O líder, Zenit St. Petersburg, com 59 pontos, depende apenas de si mesmo, enquanto o Spartak Moscou, um ponto a menos, precisa de um tropeço do rival. As duas equipes tëm confrontos difíceis.

Em Ramenskoe, subúrbio de Moscou, o Zenit encara o quinto colocado Saturn. Apesar de não ter sua quinta posição na tabela ameaçada, ou seja, pode perder ou vencer que não muda de lugar, o prazer de atrapalhar a festa do time de São Petersburgo pode render problemas para os visitantes. De qualquer modo, o primeiro colocado do campeonato só não será campeão por pura incompetência.

A equipe, sob o comando do técnico holandês Dick Advocaat (foto), fez uma temporada brilhante e contou com o poderio financeiro da Gazprom para montar um excelente elenco. Advocaat, no entanto, ainda não confirmou sua permanência no clube na próxima temporada.

O Zenit, por sinal, luta pela primeira conquista da Premier Liga, mas o clube já ostenta em sua galeria de troféus a conquista do Campeonato Soviético de 1984 (ainda como Zenit Leningrado), a Copa da URSS de 1944 e, por fim, a Copa da Rússia de 1999.

Já o Spartak Moscou tem um jogo mais duro pela frente: o clássico com o Dynamo Moscou, sexto colocado, com 41 pontos, à frente de Lokomotiv e Amkar nos critérios de desempate apenas. A partida será no Luzhniki Stadium e certamente a torcida do Spartak vai lotar as arquibancadas, mas o Dynamo fez uma temporada brihante, após quase ter sido rebaixado no ano passado. Acabar com qualquer chance dos maiores rivais seria uma bela forma de terminar a temporada.

Diferentemente do Zenit, o Spartak Moscou é o clube com o maior número de título na Rússia. Ao todo são nove campeonatos russos, três Copas da Rússia, 12 campeonatos soviéticos e mais dez Copas da URSS.

Vale lembrar que os critérios de desempate da Premier Liga russa são um pouco diferentes. No primeiro lugar obedece a seguinte ordem: número de vitórias, confronto direto (vale gols fora) e, se permanecerem empatados, uma partida extra será disputada. O Zenit tem um vitória a mais (17 x 16), mas se empatar e o Spartak vencer, ficam empatados e, nos dois jogos da temporada entre os times, deu os moscovitas duas vezes (3×1 e 3×1). O campeão se garante direto na próxima Liga dos Campeões e o vice vai para a terceira rodada preliminar da competição européia.

Na parte de baixo da tabela, os critérios mudam: número de vitórias, saldo de gols, confronto direto (vale gols fora), gols marcados, gols marcados fora de casa e, por fim, sorteio.

O CSKA Moscou, com 50 pontos, ocupa o terceiro lugar e, apesar de ter desperdiçado a chance de um inédito tricampeonato, briga para ficar com a vaga na Copa Uefa. A equipe pega o Rubin, em Kazan. Quem também quer esse posto é o Moscou, quarto colocado e 49 pontos, que enfrenta o Luch-Energiya, ainda na briga para fugir do rebaixamento, na capital nacional.

Além do Luch (32), Kuban (29), Spartak Nalchik (30) e Krylya Sovetov (32) são os outros “pretendentes” ao descenso. O Rostov (15), com somente uma vitória, caiu faz tempo. Completam neste domingo a 30ª e última rodada: Lokomotiv x Kuban, Khimki x Krylya Sovetov, Spartak Nalchik x Tom e Rostov x Amkar.

De volta ao seu lugar

A goleada de 4 a 1 imposta pelo Milan ao Shakhtar Donetsk, há duas semanas, deixou uma dúvida no ar. Seria que o começo arrasador do time ucraniano na Liga dos Campeões, com duas vitórias – Celtic (C) e Benfica (F) – apenas fogo de palha? A quarta rodada do grupo D teria muito a provar.

Eis que, mesmo fazendo um bom jogo, o Shakhtar novamente foi goleado pelo Milan nesta semana. Três a zero, em pleno Olympiyskiy Stadium de Donetsk. Dois jogos, sete gols sofridos e apenas um marcado contra os Rossoneri.

Logo, a pergunta que se faz é: o Shakhtar realmente é fogo de palha? Não. O time é excelente, conta com jogadores sensacionais e sua base atua junto há um bom tempo. Possui uma das melhores estruturas de treino do continente e paga salários altíssimos, que aos poucos seduzem estrelas do futebol europeu a irem jogar lá. No entanto, o Milan deu uma lição importantíssima ao clube ucraniano: o dinheiro pode muita coisa, mas não é capaz de comprar tradição na Liga dos Campeões. Essa foi a principal diferença do time italiano para o ucraniano nesses dois jogos.

Faltou camisa, história, experiência na LC para o Shakhtar Donetsk. Fatores que o Milan tem de sobra. Um time pode ser montado com os maiores investimentos do mundo, mas uma história de títulos, grandes jogos e uma torcida acostumada com esse torneio não se faz de um dia para o outro. Se o bilionário e proprietário do Shakhtar, Rinat Akhmetov, não sabia disso, passou a saber a partir desta semana.

O mesmo vale para o elenco e comissão técnica da equipe ucraniana. Além dos fatores preponderantes já citados, faltou ao Shakhtar tranquilidade e mais atenção em jogadas cruciais. O técnico Mircea Lucescu tentou, ao longo dos últimos dias, motivar o time afirmando que uma vitória era totalmente possível e esse era o objetivo. Talvez o feitiço tenha virado contra o feiticeiro e os jogadores entraram confiantes demais… faltou perceber que, do outro lado do campo, estava um dos maiores clubes do mundo, se não o maior.

Enfim, a vida é feita de experiências. Normalmente os mais jovens acham que já sabem tudo, não precisam aprender com os mais velhos. Paciência. Com o passar dos anos, vão perceber que, ao ficarem mais velhos, terão ficado muito mais sábios do que os jovens que convivem com eles. Aí, então, darão razão à voz da experiência. Fica a lição para o Shakhtar.

CURTAS

RÚSSIA
– Na próxima semana esta coluna traz uma análise especial da Premier Liga.

– O CSKA Moscou voltou a decepcionar na Liga dos Campeões. A equipe, após fazer 2 a 0 na Internazionale, em Milão, levou a virada e a eliminação no torneio. Com apenas um ponto em quatro jogos, sonha apenas com uma vaga na Copa Uefa no grupo G.

– A boa notícia para os russos foi o retorno aos gramados de Igor Akinfeev. Certamente será fundamental nos últimos jogos da seleção nas eliminatórias da Euro’08, contra Israel e Andorra.

UCRÂNIA
– Mesmo papelzinho, só que pior, está fazendo o Dynamo Kiev. Nesta semana, perdeu para o Manchester United por 4 a 0, na Inglaterra, e acumula quatro derrotas em quatro jogos. Obviamente está eliminado e ocupa a lanterna do grupo F.

– Para piorar as coisas, o técnico József Szabó alegou problemas de saúde (coração) e pediu demissão do Dynamo. É bem verdade que ele vinha desempenhando um papel pífio no cargo.

– O novo técnico é Oleg Luzhniy, ex-assistente técnico do clube e que jogou dez anos pelo Dynamo, entre 1989 e 1999. Depois de passagens pelo Arsenal, da Inglaterra, e por outros times menores, ele encerrou a carreira como jogador e entrou para a comissão técnica do time de Kiev, em 2006.

CAZAQUISTÃO
– O Aktobe conquistou o título do campeonato cazaque no último final de semana. A equipe ficou com a taça com uma rodada de antecedência, ao derrotar o FC Alma-Ata por 2 a 0. Este foi o segundo título nacional do Aktobe, que havia vencido o campeonato pela primeira vez em 2005. A equipe chegou aos 69 pontos, contra 61 do FC Tobol Kostanay. O time disputará a primeira fase preliminar da próxima edição da Liga dos Campeões.

– Mais deste colunista em seu blog.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo