Leste Europeu

É preciso reagir

É inevitável abordar o tema. Eu gostaria de falar sobre o equilíbrio do Campeonato Russo, a excelente fase do CSKA Moscou, o ressurgimento do Dynamo… enfim, bons assuntos não faltariam nesta semana, mas infelizmente, por causa da imbecilidade de alguns torcedores, o tema é triste. Mais uma vez Roberto Carlos foi alvo de insultos racistas. Na vitória do Anzhi Makhachkala por 3 a 0 sobre o Krylya Sovetov, o brasileiro abandonou o gramado do estádio Metallurg, em Samara, aos 44 minutos do segundo tempo, após uma banana ser atirada em sua direção.

Imediatamente Roberto Carlos se revoltou, retirou a braçadeira de capitão e rumou para o banco de reservas. Foi abordado pelo árbitro Almir Kayumov, que aparentemente tentou convencê-lo a ficar em campo. Seus companheiros se dirigiram à torcida de Samara, conhecida como capital da cultura, para protestar. Já sentado no banco, o brasileiro leva as mãos à cabeça em desespero.

Roberto Carlos deixa o jogo após banana ser jogada em campo

Racismo é algo nojento, sustentado por imbecis espalhados por todos os países do planeta. A Rússia não é o único lugar do mundo a sofrer com isso, e nem será o último. O problema é quando o racismo não é combatido.

Roberto Carlos deu o primeiro passo para lutar contra essa imbecilidade. Reagiu. Agora espera-se que a federação russa (RFU) faça o mesmo, já que há três meses esta não o fez. Vale lembrar: em jogo contra o Zenit, um torcedor antes da partida ofereceu uma banana para o jogador brasileiro. Este foi identificado pelo clube, proibido de frequentar os jogos, mas não teve seu nome divulgado. A RFU deu uma multa irrisória ao Zenit, cerca de € 2,5 mil. E tudo ficou assim mesmo.

Agora, as primeiras declarações após o incidente são bem mais fortes. A começar pelo próprio Roberto Carlos: “Estou indignado com o comportamento do torcedor que ofendeu não apenas a mim, mas a todos os jogadores presentes. E não apenas os jogadores, mas todo o futebol russo”, disse em entrevista ao Sport-Express.

Ele ganhou o apoio do companheiro e zagueiro João Carlos: “Vencemos, mas infelizmente tivemos esse problema com o Roberto Carlos no fim da partida. Jogaram uma banana nele e ele deixou o gramado bastante chateado com isso. Na Rússia isso está virando rotina, as autoridades têm que tomar atitudes mais severas com relação a esse racismo”.

E finalmente um dirigente se manifestou. Sergey Fursenko, presidente da RFU, garantiu que tomará providências: “Roberto Carlos é um dos mais importantes nomes que já chegaram à Rússia para elevar o nível do campeonato e do interesse do público. Ele foi ofendido de uma forma absolutamente descarada. A punição será a mais severa possível”.

Roberto Carlos não é um alvo à toa. Os torcedores só fazem isso com ele porque sabem que terão repercussão. São racistas ao extremo, porque querem mídia. Por que o brasileiro é o único alvo de bananas na competição? Outros também são intimidados, xingados, mas somente RC é alvejado.

A primeira atitude a se tomar é identificar e prender o imbecil que jogou a banana em campo. Após isso, punir exemplarmente o Krylya Sovetov. E por fim, a RFU deveria determinar que, a partir de agora, qualquer ato de racismo por parte da torcida resultará em perda de pontos (WO) e mando de campo. Não é possível mais fechar os olhos e fingir que, algumas semanas depois, tudo será esquecido. Porque, como vimos nesta quarta, será repetido.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo