A liquidação do Anzhi já começou. O Chelsea tenta promover a reunião de Mourinho com Samuel Eto’o e o Liverpool está de olho no brasileiro William, mas, por enquanto, quem se deu bem com a decisão do bilionário Suleiman Kerimov de fechar a torneira de dinheiro foi o Dynamo Moscow, que contratou o primeiro “pacotão” de reforços: os russos Denisov, Alexander Kokorin e Yuri Zhirkov.

Kerimov ficou irritado com a ausência de resultados imediatos, mesmo com investimentos acima dos € 200 milhões, e colocou todo mundo à venda na semana passada. O clube do Daguestão foi terceiro colocado na última temporada, mas começou o de 2013/14 com dois empates e duas derrotas em quatro jogos.

Denisov é capitão da , mas não é necessariamente afável. O meia teve problemas de relacionamento no Zenit, inclusive com o brasileiro Hulk, e os trouxe consigo para o Anzhi quando foi contratado por € 15 milhões nesta mesma janela de . Fez apenas três jogos pelo seu agora ex-clube.

O caso de Kokorin, 22 anos, é ainda mais curioso porque ele nunca jogou pelo Anzhi, por causa de uma lesão, e volta para o Dynamo Moscow um mês depois de ser vendido por € 19 milhões. Yuri Zhirkov fez a carreira no rival local CSKA Moscow antes de se transferir para o Chelsea e precisa convencer a torcida a deixar aqueles tempos para trás.

O presidente do conselho do Dynamo Moscow, Vasily Titov, não quis informar, ainda, quanto pagou pelos três jogadores, mas ele tem por trás o investimento de outro bilionário russo. Boris Rotenberg, com fortuna avaliada em U$ 1,4 bilhão, foi eleito presidente pelo conselho em julho.