Leste Europeu

Contra degola, pela LC

O Zenit São Petersburgo já é praticamente bicampeão. O título pode vir neste final de semana se a equipe bater o Kuban, em Krasnodar, e o Spartak Moscou não vencer o Anzhi Makhachakala. Mesmo se não vencer, o Zenit pode conquistar seu terceiro título russo com uma combinação de resultados: derrota do Spartak e vitória do CSKA sobre o Dynamo Moscou ou empate. Caso uma dessas opções não ocorra, a conquista será apenas adiada. Mas virá.

Adendo: o primeiro critério de desempate é o número de vitórias, e o Zenit tem três de vantagem sobre o Spartak. O segundo critério é o confronto direto, e a equipe de São Petersburgo venceu dois dos três confrontos já disputados e o outro ficou no empate. Agora voltamos nossas atenções, momentaneamente, para as outras brigas no campeonato. A começar pelo vice-campeonato.

Faltando cinco rodadas para o término do Russão, Spartak, Dynamo, CSKA, Lokomotiv, Rubin Kazan e Anzhi têm chances de ficar com o segundo lugar na tabela. Segundo lugar que garante classificação à terceira fase preliminar da Liga dos Campeões. Na sequência, o terceiro vai para os play-offs da Liga Europa, o quarto para a terceira etapa preliminar e o quinto para a segunda fase.

A diferença de pontos, hoje, do Spartak para o Anzhi, ou seja, do segundo para o sétimo na tabela, é de apenas oito pontos. Com quinze ainda pela frente em disputa e confrontos diretos entre os concorrentes, é impossível cravar quem ficará com a sonhada vaga. É possível, no entanto, analisar as possibilidades de cada um de acordo com o momento vivido pelos clubes e os desfalques.

Dois times despontam negativamente: CSKA e Anzhi. O primeiro sofre com lesões – Alan Dzagoev não joga mais nessa temporada, Keisuke Honda vive machucado, entre outros – e vem com uma sequência terrível de resultados; o segundo perdeu confiança demais, parou de jogar sob o comando de Guus Hiddink e soma tropeços atrás de tropeços. Descarto, atualmente, esses dois da briga pelo vice.

Assim, temos a briga reduzida a cinco equipes. Tiro mais um, rapidamente: Rubin Kazan. Por mais que os comandados de Kurban Berdyev venham conquistando bons resultados, é a equipe pior tecnicamente, fora o Kuban Krasnodar desta fase final. Logo, ficamos com Spartak, Dynamo e Lokomotiv como favoritos à segunda vaga na Champions da Rússia – e, na minha análise, essa é a ordem do favoritismo dos três.

Sob as ordens de Valeriy Karpin e com os gols de Emmanuel Emenike, o Spartak Moscou é um time que vem jogando o melhor futebol da competição, depois do Zenit. Próximo a ele somente o forte Dynamo, que tropeçou demais no início da fase final.

Do outro lado

Como vocês já sabem, nesta temporada de adaptação do calendário russo ao europeu o Campeonato começou em março do ano passado e só terminará no mês que vem. Além de desgastante para todos os clubes, essa adequação me fez explicar isso em todas as transmissões do Campeonato Russo na ESPN. Bom, resultou também na divisão dos times em dois grupos na fase final: um, como vocês leram acima, na briga pelo título, e o outro na luta contra o descenso.

Faltando cinco rodadas, só o Krasnodar está completamente livre. Lidera a chave com 53 pontos e somente uma tragédia de proporções épicas colocaria o time em uma situação delicada. Na sequência aparecem Amkar Perm (47), Terek Grozny (44) e Rostov (43). Estes seriam, hoje, os clubes livres do rebaixamento.

A partir daí a tabela funciona da seguinte maneira: quinto e sexto colocados – Krylya Sovetov (40) e Volga Nizhny Novgorod (38) – vão para os play-offs contra terceiro e quarto colocados da segunda divisão. Os dois últimos – Tom Tomsk (32) e Spartak Nalchik (3) – caem diretamente.

O Krasnodar confirmou o favoritismo. O clube, do milionário Sergey Galitskiy, com seu grande orçamento, mostrou que era realmente o time mais forte desse grupo e passou com certa tranquilidade por todos. De resto, o equilíbrio era muito grande mesmo; destaque apenas para o Terek, que é muito forte jogando em casa, na Chechênia, e para o Krylya, que fez a contratação mais impactante dos “pequenos” da Rússia: Aliaksandr Hleb. Assim, a luta para fugir dos play-offs segue intensa, mas os dois últimos postos já parecem ter donos definitivos.

Para fechar, uma olhada na segunda divisão russa. O formato do calendário seguiu o mesmo modelo da elite, a diferença é o número de times: 20, com o grupo principal contendo oito e o outro 11. Sim, faltou um clube. Isso porque o Zhemchuzhina-Sochi abandonou a competição devido a suas dívidas.

Faltam cinco rodadas também, e o Mordovia Saransk lidera com 91 pontos, seguido por Nizhny Novgorod (90), Alaniya Vladikavkaz (89) e Shinnik Yaroslavl (78). Dynamo Bryansk (73) e Ural Sverdlovsk Oblast (72) seguem com chances. Os mais tradicionais Sibir Novosibirsk (67) e Torpedo Moscou (63) estão mais distantes…

Na chave contra o rebaixamento, o Fakel Voronezh, com apenas 36 pontos, já caiu praticamente. Com isso, sobram três “vagas” que ficarão entre Gazovik Orenburgo, Baltika Kaliningrado, Luch-Energiya Vladivostok, Chernomorets Novorosiiyk, Torpedo Vladimir, Khimki, Volgar-Gazprom Astrakhan e SKA-Energiya Khabarovsk. Quem respira mais tranquilo, atualmente, são somente KAMAZ Naberezhnye Chelny e Yenisey Krasnoyarsk.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo