Leste Europeu

COLUNA RÚSSIA/UCRÂNIA | Venceu, mas foi pouco

Foi uma belíssima atuação. Jogou pra cima, não se limitou a ficar atrás apenas, e tudo isso com muitos desfalques. Mesmo assim, a vitória do Zenit São Petersburgo por 3 a 2 sobre o Benfica, no estádio Petrovsky, na quarta-feira, foi pequena pelo desafio que o time terá na partida de volta, em Lisboa.

Mesmo perdendo, considero o time português o grande favorito para avançar. Os dois gols marcados fora farão toda diferença contra a retranca que Luciano Spalletti armará – algo, certamente, muito parecido com o 0 a 0 da fase de grupos diante do Porto. A diferença é que os encarnados têm uma equipe mais forte nesta temporada e mais talentosa do meia para a frente.

Na quarta o grande nome foi Roman Shirokov. O volante, deslocado para a armação das jogadas por Spalletti, marcou dois belos gols e garantiu essa suada vitória. Quem jogou, surpreendentemente, foi o jovem Maksim Kanunnikov, de 20 anos, revelado pelo Zenit e que estava emprestado ao Tom Tomsk. Foi apenas discreto.

Naturalmente o time sentiu demais a falta de ritmo de jogo, já que não atuava em uma partida oficial desde o final de novembro. Além disso, teve uma série de desfalques importantíssimos: Malafeev, Criscito, Lazovic, Danny, Bukharov… Mesmo assim, sob um frio de -12º C e com o terrível Zhevnov no gol, fez um bom jogo.

Em 6 de março as equipes se enfrentarão novamente no Estádio da Luz, e dificilmente o Zenit ficará com a vaga. Antes disso teremos outro russo jogando no Luzhniki: CSKA Moscou x Real Madrid.

Pela Liga Europa…

A participação russa nos 16-avos de final da Liga Europa começou na terça-feira com o Rubin Kazan recebendo o Olympiacos e perdendo por 1 a 0. O jogo aconteceu às 15h por causa do frio e em Moscou porque o Tsentralnyi, em Kazan, não tem condições para receber uma partida da Uefa nessas condições polares.

Como já era esperado, a equipe do técnico Kurban Berdyev priorizou a defesa ao ataque. No segundo tempo até saiu mais pro jogo, criando algumas boas oportunidades no início.

No entanto, a ausência do lesionado Ryzhikov se mostrou decisiva aos 26 minutos, quando Arlauskis falhou em mais uma saída de bola e David Fuster fez 1 a 0. O goleiro lituano é muito fraco, não tem qualquer condição para ser titular do time, muito menos em uma competição europeia. E olha que o time ficou com um a mais em campo na sequência e ainda perdeu um pênalti.

Além disso, a saída de Noboa para o Dynamo Moscou foi um baque para o meio-campo do Rubin. Petr Nemov entrou em seu lugar para atuar ao lado de Bibras Natchko e foi muito mal. Não tem a força na marcação que o equatoriano fornecia ao time, e muito menos a qualidade no passe.

Com a derrota, só um milagre classifica o Rubin na Grécia. Afinal, como já destaque, é um time que não sabe atacar, é extremamente limitado quando precisa ter a bola nos pés. Berdyev, que pediu demissão na inter-temporada mas foi mantido pela diretoria, já deu o que tinha que dar por lá.

Já o Lokomotiv, jogando no mesmo Luzhniki, só que na quinta, conseguiu um bom resultado contra o Athletic Bilbao e venceu, de virada, por 2 a 1. No entanto, assim como no caso do Zenit, será pouco para a partida da volta. Ainda mais se tratando dos leones jogando em La Catedral, com o apoio de sua fanática torcida.

E de todo Leste Europeu, destaque absoluto para a goleada do Metalist Kharkiv por 4 a 0 sobre o Red Bull Salzburg, na Áustria. Taison abriu o placar e Marlos estreou oficialmente com o uniforme do Metalist, em jogo que teve também Cleiton Xavier, Edmar e Fininho em campo. Classificação, obviamente, garantida para os ucranianos.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo