Leste Europeu

Classificação inacreditável

Depois da derrota por 2 a 1 para Israel, no último final de semana, ninguém apostava que a Rússia conseguiria a segunda vaga do grupo E nas eliminatórias da Euro`08. Com o resultado, a equipe passou a depender de uma derrota da Inglaterra, em Wembley, para a já classificada Croácia, na última rodada, além de cumprir com seu papel e vencer a limitada seleção de Andorra, fora de casa.

O cenário, totalmente improvável, aconteceu, e a Rússia, milagrosamente, conseguiu se classificar para a próxima Eurocopa. Os ingleses foram derrotados pelos croatas por 3 a 2 e os russos, na base do desespero, conseguiram uma magra vitória por 1 a 0 sobre Andorra. De quebra deixaram o English Team fora da competição. Mais um feito grandioso para o currículo de Guus Hiddink (foto).

Quando assumiu o cargo de treinador da seleção russa, após ter levado a Austrália para as oitavas-de-final da Copa do Mundo de 2006, Guus Hiddink tinha noção de que teria muito trabalho pela frente. Mas, com certeza, sabia do potencial que teria em mãos para trabalhar.

Esta coluna, nos últimos meses, sempre ressaltou a qualidade da atual geração de jogadores russos. Igor Akinfeev, Sergei Ignashevich, Yuri Zhirkov, Andrei Arshavin, Alexandr Kerzhakov são todos jogadores com muito potencial. Muitos podem questionar: mas então por que eles não estão em grandes clubes europeus? Porque na Rússia paga-se muito bem e a maioria opta por continuar em seu país. Esse é um “problema” apontado por muitos ex-jogadores para a falta de experiência internacional do time.

Desde que assumiu o cargo, Hiddink fez questão de ressaltar a importância dessa experiência internacional em suas convocações, tanto que a base da seleção pertence ao CSKA Moscou, que disputou nas últimas duas temporadas a Liga dos Campeões e faturou a Copa Uefa em 2005. Essa nova mentalidade se fez presente entre alguns atletas também, que aceitaram negociações com o exterior – caso de Kerzhakov, por exemplo, que hoje faz sucesso no Sevilla-ESP.

Além do mais, toda infra-estrutura que a Federação Russa oferece ao selecionado do país permitiu a Guus Hiddink realizar esse trabalho maravilhoso num curto espaço de tempo. Vale lembrar que a Rússia não se classificou para a última Copa do Mundo e, na Euro de 2004, caiu ainda na primeira fase sem impressionar. Isso sem falar na falta de bons times nos últimos 15 anos, pelo menos.

O treinador holandês já renovou seu contrato até 2010. Na próxima Euro, a Rússia tem chances de surpreender, até mesmo pelo nível igual apresentado pela maioria das seleções nesta eliminatória. Se a Grécia é a atual campeão européia, por que a Rússia não pode sonhar com o feito da União Soviética em 1960 e faturar o “bi” da competição?

Especial da Premier Liga

Há pouco mais de uma semana o Zenit St. Petersburg, também sob o comando de um técnico holandês (Dick Advocaat), conquistou seu primeiro título russo, o segundo nacional, já que fora campeão soviético em 1984. A conquista premiou um time ofensivo, com muito dinheiro fornecido pela gigante Gazprom por trás e uma cidade cheia de história e cultura.

Confira abaixo os fatos e números que marcaram a 16ª edição da Premier Liga russa. A classificação final você pode conferir na coluna ao lado.

Campeão: Zenit St. Petersburg (fase de grupos da LC);
Vice-campeão: Spartak Moscou (entra na 3ª fase preliminar da LC);
Terceiro lugar: CSKA Moscou (começa na 2ª rodada preliminar da Copa Uefa).

Rebaixados: Kuban (15º) e Rostov (16º);
Subiram: Shinnik Yaroslavl (campeão da segunda divisão) e Terek Grozny (vice).

Artilheiros:
1º – Roman Adamov (Moscou) e Roman Pavlyuchenko (Spartak Moscou), com 14 gols;
2º – Jô e Vágner Love (CSKA), com 13 gols;
3º – Pavel Pogrebnyak (Zenit) e Dmitri Sychev (Lokomotiv), com 11 gols.

Melhor ataque: Zenit (54 gols);
Melhor defesa: CSKA (24 gols);
Maior número de vitórias: Zenit (18);
Maior número de derrotas: Rostov (16).

Total de gols: 562 (585 em 2006);
Média por jogo: 2,34 gols (2,44 em 2006);
Público total: 3.270.874 (2.948.996 em 2006);
Média por jogo: 13.629 pessoas (12.287 em 2006).

Seleção da Premier Liga (eleita pela coluna):
Stipe Pletikosa (Spartak Moscou), Vasili Berezutski (CSKA), Radoslav Kovac (Spartak Moscou), Sergei Ignashevich (CSKA) e Denis Kolodin (Dynamo); Anatoliy Tymoschuk (Zenit), Konstantin Zyrianov (Zenit), Sergei Semak (Moscou) e Andrei Arshavin (Zenit); Roman Pavlyuchenko (Spartak Moscou) e Jô (CSKA). Técnico: Dick Advocaat (Zenit).

CURTAS

RÚSSIA
– A seleção russa sub-21 foi surpreendida pela Geórgia na quinta rodada das eliminatórias do europeu da categoria. Perdeu por 2 a 0 e a invencibilidade. Tem agora 12 pontos em cinco jogos, atrás da Espanha no grupo 4.

– Os clubes russos já começaram a se movimentar no mercado de contratações. Advocaat renovou contrato com o Zenit por mais um ano. Já Lokomotiv e Moscou continuam sem um novo treinador.

UCRÂNIA
– A seleção ucraniana terminou sua participação nas eliminatórias da Euro com um empate em 2 a 2 com a França, em Kiev. Shevchenko e Voronin marcaram para os donos da casa, e Henry e Govou para os visitantes.

– A Ucrânia terminou na quarta posição do grupo B, com 17 pontos, atrás de italianos (29), franceses (26) e escoceses(24), e à frente de Lituânia (16), Geórgia (10) e Ilhas Faroe (0).

– Essa competição foi, provavelmente, a última da seleção ucraniana sob o vitorioso comando de Oleg Blohkin.

– Mais deste colunista em seu blog.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo