Leste Europeu

Balanço do mercado

Com os campeonatos de Rússia e Ucrânia ainda parados – voltam apenas em 2 de março -, o mercado de transferências segue gerando as principais notícias neste início de ano. Isso porque os russos ainda podem contratar até 24 de fevereiro e os ucranianos até 1o de março…

Abaixo destaco os principais negócios dos últimos dias. Para quem quiser ver todas as mudanças nesta última janela, disponibilizo dois links em inglês na Wikipedia: Campeonato Russo e Campeonato Ucraniano.

Análises dos clubes abaixo, começando pelos russos:

Zenit São Petersburgo

O líder do Russão não se movimentou. Manteve o mesmo elenco e apenas repassou a outros clubes atletas que não vinham sendo aproveitados, ou mesmo que já estavam emprestados a outras equipes. A única saída mais sentida foi a de Aleksei Ionov para o Kuban Krasnodar. De empréstimo voltaram os atacantes Maksim Kanunnikov e Eugene Starikov, que estavam cedidos ao Tom Tomsk, mas não devem jogar.

CSKA Moscou

Vagner Love, como o público brasileiro bem sabe, retornou ao Flamengo. Até aí, já era algo esperado, não pegou os russos de surpresa. Outro que queria ter ido embora era o meia japonês Keisuke Honda, e por pouco ele não foi negociado com a Lazio. Ficou e vai ser importantíssimo daqui pra frente, imaginando que o esquema tático deve mudar do 4-4-2 para 4-2-3-1. Já o empréstimo do goleiro Vladimir Gabulov acabou e ele voltou ao Anzhi – agora, todos rezam para o retorno rápido de Igor Akinfeev.

Dois reforços chegaram no CSKA: o meia sueco Pontus Wernbloom e o meia/atacante nigeriano Ahmed Musa. O primeiro, de 25 anos, defendia o AZ e chega para ser uma opção ofensiva no meio-campo do técnico Leonid Slutsky. O segundo, de apenas 19 anos, veio do VVV Venlo, também da Holanda (mesmo clube de onde saiu Honda), e será opção na reserva.

Dynamo Moscou

Sem dúvida alguma, o Dynamo Moscou foi o clube que melhor se reforçou nesta janela de transferências. Primeiro tirou o meia húngaro Balázs Dzsudzsák do Anzhi por 19 milhões de euros. Depois foi no Rubin Kazan contratar o volante equatoriano Christian Noboa. Assim, ganhou um meio-campo extremamente forte.

Perdeu Tomislav Dujmovic, emprestado ao Zaragoza, e Denis Kolodin, negociado com o Rostov. Peças secundárias, que não afetarão a vida do técnico Sergey Silkin. A campanha já era boa, e com esse reforços, o Dynamo Moscou se coloca em igualdade de condições com Zenit e CSKA na disputa pelo título russo (inédito no clube).

Spartak Moscou

Uma única negociação, mas uma ótima negociação. O Spartak Moscou repatriou o meia Dniyar Bilyaletdinov, que estava no Everton. O jogador da seleção russa deixou o Lokomotiv em 2009 e, na Inglaterra, enfrentou altos e baixos, sem nunca convencer. Não queria jogar pelo Spartak, mas as condições do mercado o fizeram perceber que, para sua carreira, era uma boa. No aguardo do primeiro confronto entre os dois clubes…

Rubin Kazan

O clube foi sacudido nos últimos dias com a carta de demissão do técnico Kurban Berdyev, que desde 2001 comanda o time. Berdyev ficou, a pedido da diretoria, mas terá uma equipe bem mais fraca para comandar agora.

Noboa foi para o Dynamo, Aleksei Medvedev para o Sibir Novosibirsk, da segunda divisão, e Igor Lebedenko acabou negociado com o Terek Grozny. Ao menos o turco Gökdeniz Karadeniz, desejado pelo Dynamo, ficou. O Rubin contratou apenas o goleiro iraniano Alireza Haghighi, de 23 anos, que estava no Persepolis. Está fora da briga pelo título nesta temporada.

Lokomotiv Moscou

Até 31 de janeiro, o Lokomotiv estava agindo com tranquilidade no mercado. Contratou alguns jogadores e negociou outros, mas sem alterar fundamentalmente seu elenco. Era o mesmo time até… A chegada de Roman Pavlyuchenko.

O ex-atacante do Tottenham é o principal reforço da Premier Liga russa. Por cerca de 13 milhões de euros, o jogador de 30 anos está de volta a seu país, um pouco contra sua vontade, já que não queria deixar a Premier League. Com ele, o técnico José Couceiro aumenta mais um pouco suas opções no ataque, que já contava com Felipe Caicedo, Maicon, Victor Obinna e Dmitriy Sychev. Ah, seu confronto com o Spartak Moscou também é muito aguardado.

Anzhi Makhachkala

No último dia do mercado europeu, o Anzhi ameaçou levar Carlos Tevez para o Daguestão. Ficou na ameaça, que ainda pode ser concretizada nas próximas semanas… Afinal, Carlitos não joga mais pelo Manchester City e, até o meio do ano, só tem a Rússia e a América do Sul como opções viáveis (claro, eliminando EUA, Oriente Médio etc).

Fora isso, mandou o goleiro georgiano Nukri Revishvili para o Krasnodar e recebeu em retorno de empréstimo Vladimir Gabulov. Diego Tardelli não fará falta, e Balázs Dzsudzsák, apesar de todo talento, pouco jogou no Anzhi. Está longe da briga pelo título, mas tem um dos times mais fortes da Rússia.

Já na Ucrânia…

Os quatros favoritos ao título se movimentaram muito pouco. Na prática, perderam mais jogadores do que contrataram.

Dynamo Kiev

Contratou o jovem atacante suíço, de origem albanesa, Admir Mehmedi. Aos 20 anos, chega para compor o elenco do atual líder do Campeonato Ucraniano. Manteve as principais peças do seu elenco e dispensou o brasileiro Gérson Magrão.

Shakhtar Donetsk

Recusou uma proposta de quase 20 milhões de euros pelo brasileiro Willian, feita pelo Chelsea. Perdeu, porém, o meia Jadson para o São Paulo e o atacante Marcelo Moreno para o Grêmio. Apenas o primeiro fará falta, mas com isso o jovem Kenrikh Mkhitaryan vai ganhar ainda mais espaço no time. Ah, não é piada: Ilsinho voltou.

Metalist Kharkiv

Fez, talvez, a principal contratação do mercado ucraniano. Trouxe do São Paulo o habilidoso Marlos, que estava em desgraça com a torcida tricolor. Os sãopaulinos vão ficar assustados com o que vou escrever, mas: Marlos tem tudo para dar certo na Ucrânia.

Dnipro Dnipropetrovsk

Segurou Giuliano, que quase foi para o Grêmio, e contratou o jovem zagueiro tcheco Ondrej Mazuch, que estava no Anderlecht, da Bélgica. Precisa mostrar força no returno para não perder a quarta posição para o Kryvbas.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo