Leste Europeu

Aos 35 anos, Mario Manduzkic decide pendurar as chuteiras com muitos títulos e como herói nacional

Dinamo Zagreb, Wolfsburg, Bayern, Atlético de Madrid, Juventus, Milan: Manduzkic defendeu grandes camisas e brilhou também pela seleção croata

O atacante Mario Manduzkic decidiu pendurar as chuteiras, aos 35 anos. O jogador anunciou a decisão em uma publicação no seu Instagram, com uma carta que escreveu para ele mesmo mais jovem. O croata teve uma carreira em grandes clubes. O clube que mais defendeu na carreira foi a Juventus, clube que jogou por cinco anos, de 2015 a 2020. Jogou por outros grandes clubes, como Bayern de Munique, Atlético de Madrid e Milan, além de ter sido parte da seleção croata que foi vice-campeã mundial na Copa 2018.

LEIA TAMBÉM: Mandzukic: O atacante abnegado, o homem decisivo e, agora, o herói nacional

Começou a sua carreira pelo Marsonia, ainda na base. Passou pelo Zljeznicar SB e se firmou pelo NK Zagreb, a partir de 2005. Em 2007, foi contratado pelo Dinamo Zagreb, um dos maiores clubes do país. Em 2010, saiu do país para atuar no Wolfsburg. Por lá, brilhou e, dois anos depois, em 2014, foi contratado pelo Bayern de Munique, o grande campeão do país. Estava inclusive no time da temporada 2012/13, quando os bávaros conquistaram a Tríplice Coroa. Na final da Champions, Manduzkic marcou um dos gols da vitória do Bayern sobre o rival Borussia Dortmund. Ficou duas temporadas na Baviera e foi para o Atlético de Madrid, onde ficou uma temporada.

Em 2015, chegou à Juventus. Por lá, tornou-se um jogador dos mais úteis ao técnico Massimiliano Allegri. Atuando muitas vezes deslocado pelos lados do campo. Colecionou títulos, com quatro títulos italianos, três da Copa da Itália e fez parte da campanha da Velha Senhora que foi vice-campeão da Champions League em 2017. Fez inclusive um golaço na final.

Após deixar a Juventus, em janeiro de 2020, foi para o Al-Duhail, do Catar. Ficou apenas seis meses por lá, rompeu seu contrato e fechou com o Milan em janeiro de 2021, depois de seis meses sem atuar. Teve problemas de lesões, no tornozelo, musculares e até bronquite. Assim, esteve fora por 13 jogos. Foram apenas 11 partidas pelo clube rossonero, sendo apenas dois como titular, sem nenhum gol marcado. Segundo o jornalista Fabrizio Romano, ele recebeu duas propostas, mas decidiu se aposentar.

LEIA TAMBÉM: Croácia terá para sempre gravada na memória a campanha de um time que nunca desistiu

Vice-campeã mundial pela Croácia em 2018

Manduzkic chegou à seleção croata em novembro de 2017, ainda com o técnico Slaven Bilic, ainda com 21 anos. No total, fez 89 jogos, com 33 gols marcados. Antes, tinha jogado pelas seleções sub-19, sub-20 e sub-21. Apesar de estrear em 2007, não foi convocado para a Euro 2008.

Esteve na Euro 2012, quando o time acabou eliminado na primeira fase. Esteve também na Copa do Mundo de 2014 com a seleção croata, quando inclusive esteve suspenso na estreia contra o Brasil. Esteve também na Euro 2016, quando a Croácia foi eliminada por Portugal.

Foi com a Croácia para a Copa do Mundo de 2018, quando o time conquistou a sua vaga via repescagem contra a Grécia. Na Copa, viveu o conto de fadas. Avançou da fase de grupos, passou, nos pênaltis, por Dinamarca e Rússia e pela Inglaterra na prorrogação, e acabou derrotada pela França na final. Decidiu se aposentar da seleção depois do Mundial.

LEIA MAIS: Empresário de Manduzkic: “A Croácia chegar à final da Copa foi em parte graças a Allegri”

Carta para o pequeno Mario

Querido pequeno Mario,

Enquanto você coloca essas chuteiras pela primeira vez, você não pode nem imaginar o que vai viver no futebol. Você marcará gols nos maiores estádios e ganhará os maiores títulos com os maiores clubes. Orgulhosamente representando sua nação, você ajudará a escrever a história do esporte croata.

Você terá sucesso porque você terá boas pessoas ao seu lado, companheiros, técnicos, torcedores, família, agente e amigos que sempre estarão lá por você. Você será eternamente grato a eles!

Acima de tudo, você terá sucesso porque sempre dará o seu melhor. No final, isso será o que você mais ficará orgulhoso. Você se sacrificará muito, mas você saberá que valeu a pena por todos os momentos incríveis.

Você reconhecerá o momento de se aposentar, colocar as chuteiras no armário e não ter arrependimentos. O futebol sempre será parte da sua vida, mas você estará ansioso para um novo capítulo.

Aproveite!

Seu grande Mario

PS: Se acontecer de você jogar contra a Inglaterra na Copa do Mundo, esteja pronto lá pelo minuto 109 😉

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo