Leste Europeu

Another Chelsea

Tudo bem que a atuação neste domingo foi decepcionante. Jogando no Luzhniki, o Anzhi Makhachkala foi facilmente batido pelo Spartak Moscou por 3 a 0. Por mais que os moscovitas estejam em clara ascenção, um time que pretende lutar pelo título do Campeonato Russo não pode demonstrar um futebol tão fraco contra um rival. Mas o horizonte é bom para o Anzhi.

Há um documentário espetacular, lançado no início do ano, que trata a relação entre a política ucraniana e o Shakhtar Donetsk. Fiz inclusive uma coluna especial sobre a película – entrevistei o diretor Jakob Preuss. Seu título é bem auto-interpretativo: The Other Chelsea. Faz uma clara alusão aos novos ricos do futebol mundial.

Afinal, se o Chelsea tem Roman Abramovich, o Shakhtar tem Rinat Akhmetov. Só que o clube ganhou um novo integrante nos últimos meses. O Anzhi, ou se preferirem, another Chelsea.

Em janeiro, quando Suleyman Kerimov (US$ 7,8 bilhões, 118o no ranking da Forbes…) comprou o clube, pouca gente imaginava que a equipe da República do Daguestão se tornaria uma potência da noite para o dia. Eu mesmo escrevi no Guia do Campeonato Russo que o time seria um concorrente às vagas na Liga Europa, no máximo. Somente dinheiro não torna um clube grande em um piscar de olhos. Tradição é algo que ainda não se compra em lojas.

Porém, a liga russa não é tão difícil como o Campeonato Inglês, por exemplo, onde Chelsea e Manchester City, para citar outro rico, têm que encarar adversários como o United, o Liverpool ou o Arsenal. Com alguns bons reforços, o Anzhi mostrou que pode lutar de igual para igual com Spartak Moscou, CSKA Moscou, Zenit São Petersburgo, Rubin Kazan, Dynamo Moscou… Mostrou, mais uma vez, que o dinheiro pode trazer felicidade para muita gente, sim.

Com um bom planejamento, o clube de Makhachkala fez excelentes contratações e se torna um sério pretendente ao título. Primeiro chegaram os brasileiros, liderados por Roberto Carlos. Depois reforços pontuais e certeiros, como Benoît Angbwa, Mbark Boussoufa e Jan Holenda. Agora, nomes de muito peso, como Balázs Dzsudzsák e Yuri Zhirkov. E para colocar a cereja no bolo, Samuel Eto'o deve ser anunciado nesta semana.

Com isso, o Anzhi vai montando um time fortíssimo. Claro que ainda falta entrosamento, como ficou claro na estreia de Zhirkov contra o Spartak Moscou. Mas apesar de todas críticas recebidas e as diversas especulações sobre sua saída, o técnico Gadzhi Gadzhiev faz um bom trabalho. Colocou Roberto Carlos como volante e deu total liberdade para ele. Armou um 4-2-3-1 que, com Boussoufa, Dzsudzsák e Zhirkov, ganha um poder ofensivo enorme. Com Eto'o na frente então… Tem ainda que arrumar a defesa, que é boa, mas não sensacional.

Na cabeça de Kerimov, o time precisa brigar pelo título já nesta temporada. Após tanto investimento, uma vaga na Liga dos Campeões é fundamental. Só que a partir desta temporada o Campeonato Russo perdeu um posto na principal competição de clubes do continente. O campeão vai direto para a fase de grupos e o vice para os play-offs.

Com todos esses reforços, o Anzhi tem condições de sonhar alto. Hoje é só o quinto colocado, mas a temporada é longa, ainda há tempo para crescer e melhorar. Mas caso isso não aconteça, veremos em junho se Kerimov pensa em planejamento ou é apenas mais um bilionário excêntrico no futebol.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo