Leste Europeu

Agradável surpresa

Sergei Chepchugov, Vasili Berezutskiy, Sergei Ignashevich, Alexey Berezutskiy e Georgi Schennikov; Pontus Wernbloom e Evgeni Aldonin; Alan Dzagoev, Ahmed Musa e Zoran Tosic; Seydou Doumbia. Esse foi o time que começou jogando contra o Real Madrid, na terça-feira, pelo jogo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões. Depois ainda entraram Keisuke Honda, Sekou Oliseh e Tomás Necid. Um time muito bom.

Quando Vagner Love foi negociado, escrevi aqui que o CSKA, logicamente, sentiria sua falta, mas a provável mudança tática que Leonid Slutsky faria (4-4-2 para o 4-2-3-1) seria muito bem vinda. E foi mesmo.

O Real é um time muito superior e com o segundo melhor jogador do mundo. Mesmo assim, o CSKA fez um jogo duríssimo com os merengues, sob um frio intenso, criando chances de gol e arrancando um merecido empate nos minutos finais da partida. No Santiago Bernabéu, provavelmente, a equipe espanhola conseguirá a vaga sem muitas dificuldades, mas a atuação moscovita diante dos blancos merece ser louvada – ainda mais se considerarmos que foi o primeiro jogo oficial do CSKA em 2012 e o primeiro em mais de dois meses.

Na defesa, nenhuma novidade, fora a ausência do ainda lesionado Igor Akinfeev, que foi muito bem substituído por Chepchugov. Schennikov começou jogando e deve, com o passar do tempo, ganhar cada vez mais espaço entre os titulares. Já no meio-campo Wernbloom, reforço da última janela de transferências, vindo do AZ, caiu como uma luva no time. Faltava um jogador forte na marcação no setor, e o meio-campista sueco provou ser capaz de dar conta do recado – a dúvida é se Pavel Mamaev, quando estiver recuperado, ficará no banco ou tomará o lugar de Aldonin.

Na criação das jogadas e chegada ao ataque uma boa movimentação de todos os atletas. Dzagoev atuou mais centralizado, com o nigeriano Musa (outro reforço vindo da Holanda, do VVV-Venlo) pela direita e Zoran Tosic pela esquerda. O russo cadencia mais o jogo, enquanto os dois companheiros jogam em velocidade e abusam da habilidade. Teoricamente, Honda, 100% fisicamente, será o titular ao lado do russo e do sérvio, o que mostra a força que o CSKA terá no banco também – há ainda Oliseh e Caunas.

No ataque, sem dúvida, está a maior carência do CSKA por quantidade, já que na qualidade tem dois ótimos atletas e com características bem diferentes. Doumbia, que negocia a ampliação de seu contrato é o titular absoluto, e no banco há Necid, o grandalhão centroavante tcheco, que sempre oferece uma boa oportunidade de mudança tática a Slutsky – como ocorreu na segunda etapa contra o Real, quando os russos partiram para cima em busca do empate. E, quando necessário, Musa também pode quebrar o galho na posição de atacante mais à frente.

Enfim, no final das contas o CSKA Moscou deixou uma ótima impressão após seu primeiro jogo oficial de 2012. Mostrou um futebol bem diferente do apresentado no final de 2011,  graças ao retorno de seus lesionados (e eram muitos). Como já escrevi, dificilmente conseguirá eliminar o Real Madrid (seria um milagre), mas prova que tem um time fortíssimo e capaz de encarar e desbancar Zenit São Petersburgo e Dynamo Moscou, os outros favoritos na Rússia, ao título da Premier Liga. Que recomece logo o Russão!

CURTAS

– O mercado de transferências na Rússia fecha nesta sexta-feira. Assim, temos nesta semana as últimas movimentações dos clubes russos.

– O Zenit busca o empréstimo de Andrei Arshavin até o final da temporada. Enfrenta, no entanto, a relutância do jogador em deixar a Inglaterra.

– Já o Rubin Kazan deve anunciar nesta quinta ainda a contratação do meia sueco Kim Kallstrom, atualmente no Lyon. Muitos jornais russos já deram o negócio como finalizado, inclusive.

– Só lembrando que na Ucrânia o mercado fecha somente na próxima quinta-feira.
 

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo