Itália

Vitória enganosa da Itália sobre Equador liga sinal de alerta antes da Eurocopa

No último amistoso desta Data Fifa, a Itália ganhou do Equador, mas o futebol jogado trouxe mais dúvidas do que certezas antes da Euro

Neste domingo (24), a Itália venceu o Equador por 2 a 0, na Red Bull Arena, em Nova Jersey, nos Estados Unidos, válido pelo amistoso internacional desta Data Fifa. A partida foi o último teste dos Azzurri em Data Fifa antes da Eurocopa, que está marcada para os dias 14 de junho a 14 de julho. Já a Tricolor aguarda o início da Copa América, que acontecerá entre os dias 20 de junho e 14 julho.

Apesar de vencer o jogo, o torcedor da seleção italiana não tem tantos motivos assim para comemorar. Isso porque a seleção equatoriana, que está na 5ª posição das Eliminatórias Sul-Americanas para a próxima Copa do Mundo, foi melhor em vários momentos do amistoso. Os Azzurri acharam um gol cedo (e depois um no apagar das luzes), mas quem passou a ditar o ritmo da partida foi a Tricolor, que poderia ser premiada com um golzinho – o que não aconteceu.

Entre as principais deficiências da Itália, Luciano Spaletti precisa encontrar soluções para melhorar a transição de sua equipe, que praticamente não criou nada decente contra o Equador. Por outro lado, a Tricolor mostrou que tem repertório e é bem treinada por Félix Sánchez. Um conselho para o futuro é que o time tenha mais coragem de finalizar a gol, já que esse fundamento foi o principal responsável pela derrota.

Se a seleção italiana realmente quiser ter chances de defender seu título na Euro, urge a necessidade de melhorar seu jogo ofensivo. Já a seleção equatoriana dá indícios de que pode ir longe na Copa América, mas que ainda não está pronta para ser campeã.

Como foi o amistoso entre Equador x Itália

A Itália começou com maior volume de jogo, dominando as ações ofensivas e a posse de bola em relação ao Equador. Tanto que os Azzurri não demoraram muito para abrir o placar, quando, aos dois minutos do 1º tempo, Pellegrini aproveitou um rebote de uma falta cobrada por Dimarco para mandar uma bomba indefensável para Burrai. Só que, dali para frente, a Tricolor mudou sua postura.

A seleção equatoriana passou a pressionar a saída de bola da seleção italiana, que teve dificuldades de fazer a transição. Entretanto, os Azzurri conseguiram escapar vez ou outra em velocidade, aproveitando os espaços da Tricolor, principalmente pelo lado direito de ataque. O problema é que o amistoso começou a ficar mais amarrado no meio-campo, com poucas chances claras de gol.

Para não falar que a Itália não criou mais nada, o goleiro do Equador salvou um chute à queima-roupa quase dentro da pequena área. Entretanto, isso foi tudo na etapa inicial. Os Azzurri não tiveram criatividade o suficiente para aumentar sua vantagem, enquanto a Tricolor jogou com base em suas limitações, que também impediram sorte melhor antes da ida para o intervalo.

O empate seria mais justo, mas…

A verdade é que o 2º tempo mostrou que o empate seria mais justo. A seleção equatoriana foi muito superior à seleção italiana, construindo jogadas de pé em pé, com qualidade. Os Azzurri sequer foram ao ataque com perigo, se limitando à marcação em seu próprio campo. Apesar disso, a Tricolor pecou no quesito mais importante: a ausência de finalizações a gol.

Apesar de todo o abafo do Equador, quem terminou sorrindo foi a Itália, que encaixou um único contra-ataque nos acréscimos finais para dar números finais ao amistoso. Coube a Barella balançar as redes ao encobrir Burrai com bastante categoria.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Formado em Jornalismo pela Unesp, é apaixonado por esportes, acima de tudo futebol. Ama escrever sobre o que acontece dentro e fora de campo. Após passar por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia, se juntou à equipe da Trivela com muita vontade de continuar crescendo.
Botão Voltar ao topo