Mundo

Dupla Brasil-Argentina resolve e Itália vence Venezuela com dificuldades

Se preparando para a Eurocopa, Azurra sofreu para atacar uma Venezuela que pode dar trabalho na Copa América

Em amistoso realizado na Flórida, Itália e Venezuela se enfrentaram pela primeira vez na história. O jogo, que teve muitas falhas defensivas de ambos os lados, acabou decidido pela qualidade individual da Azurra. Jorginho, que saiu do banco e criou a jogada do segundo gol, e Retegui, que marcou duas vezes, foram decisivos para a vitória dos europeus.

Na sequência da Data Fifa, as duas seleções retornam aos gramados no próximo domingo (24) para mais dois amistosos preparatórios. A Itália enfrenta o Equador e a Venezuela mede forças com a Guatemala.

A Itália estreia na Eurocopa contra a Albânia, do técnico Sylvinho, ex-Corinthians, no dia 15 de junho em Dortmund. A Venezuela, por sua vez, faz sua primeira partida na Copa América no dia 22 de junho contra o Equador, em Santa Clara, na Califórnia.

Lambanças da defesa marcam primeira etapa

O início do jogo rendeu muitas preocupações ao torcedor italiano, que já pensa na Euro. Logo aos dois minutos, a Venezuela pressionou a saída de bola, recuperou a posse e foi parar dentro da área com Rondón, que foi derrubado por Buongiorno, em pênalti claro e completamente infantil.

O próprio Rondón, maior artilheiro da história da seleção venezuelana, foi para a bola, mas parou em Donnarumma. O goleiro do PSG acertou o canto, espalmou e contou com a sorte quando Savarino, atacante do Botafogo, mandou a bola por cima no rebote.

Depois do susto, a Itália respondeu com boas oportunidades. Tanto Frattesi, da Internazionale, quanto Chiesa, da Juventus, levaram perigo ao gol venezuelano, mas não conseguiram abrir o placar.

O calvário de Rondón na etapa inicial continuou. O atacante foi acionado por Machís pela esquerda e, dentro da pequena área, chegou um segundo atrasado e desviou para fora, perdendo outra grande chance para os sul-americanos.

Quando parecia que o primeiro tempo iria acabar sem gols, as defesas resolveram cooperar com os ataques ineficientes. Aos 39 minutos, o goleiro Romo saiu jogando errado. Retegui, atacante do Geneo, aproveitou a chance rara e abriu o placar nos EUA.

Na sequência, porém, a defesa italiano foi solidária com os venezuelanos e retribuiu o presente. Em saída de bola irresponsável, Donnarumma acionou Bonaventura que, na fogueira, tentou achar um companheiro, mas deu a bola nos pés de Machís, que bateu com o gol livre para por o empate no placar.

Jorginho sai do banco e é decisivo para a Itália

Com a entrada de Barella, um dos grandes destaques da Internazionale, líder isolada da Série A, a Itália começou o segundo tempo trocando passes com mais qualidade. Porém, as falhas defensivas da Azurra seguiam, principalmente com Buongiorno, sempre muito inseguro nas saídas de bola.

Além de errar pelo chão, Boungiorno errou também pelo alto após uma bola esticada vinda da defesa venezuelana. Cádiz, que havia acabo de entrar, aproveitou a falha e finalizou com força, mas Donnarumma evitou a virada.

Já aos 30 minutos da segunda etapa, Zaniolo, que havia acabado de sair do banco de reservas, arriscou de longe e obrigou o goleiro Romo a fazer uma rara defesa.

Jorginho, outro que havia saído do banco de reservas, descomplicou as coisas para a Itália. O meia do Arsenal fez linda jogada, invadiu a área e achou Retegui, que fuzilou e anotou o seu segundo gol na partida.

Foto de Lucas Tomazelli

Lucas Tomazelli

Apaixonado por futebol desde as primeiras memórias de infância, Lucas é formado em jornalismo pela USP. Antes de integrar a equipe da Trivela, atuou na Jovem Pan Online, Grupo Bandeirantes de Comunicação e Yahoo Notícias Brasil.
Botão Voltar ao topo