Serie A

Mourinho culpa os jogadores, mas está cada vez mais difícil esconder seus próprios problemas na Roma

Apesar das duras críticas de Mourinho, vestiário ainda está com o treinador, mas será preciso avaliar os próprios erros para melhorar

A Roma tem o seu pior início de Serie A em 43 anos, com nove derrotas em 21 jogos até aqui. O desempenho está abaixo do que se espera de um clube que pretende estar entre os quatro primeiros e chegar à Champions League. Apesar disso, a diretoria segue confiante em José Mourinho e não pensa em demiti-lo, segundo o Corriere dello Sport. O português, porém, precisa começar a assumir um pouco da sua responsabilidade e não apenas jogar a culpa nos jogadores.

No último fim de semana, o time saiu de um 3 a 1 a favor quando faltavam 20 minutos para oo fim do jogo para perder para a Juventus por 4 a 3. Uma romada, como dizemos por aqui. Embora seja evidente que o time desabou e que há um componente psicológico nisso, é preciso que o técnico entenda qual é o papel dele nisso.

“Um medo se estabeleceu. Um complexo psicológico. Não é um problema para mim tomar o 3 a 2, é um problema para o time. É um problema para eles”, disse Mourinho depois da partida, se separando do time e colocando a culpa nos jogadores.

Um dos problemas foi a substituição que ele fez, por exemplo, ao tirar Felix Afena-Gyan e colocar Eldor Shomurodov. O time piorou com a mudança, que era questionável por si. Ele, porém, preferiu culpar o jogador que entrou por ter entendido errado. “O 3 a 2 nos matou, porque Felix fazia um jogo extraordinário, que acabou com a corrida contra o Cuadrado. Eu o tirei e seu substituto fez tudo errado”, disse o treinador.

Não é a primeira vez. No vexame que o time passou diante do Bodo/Glimt, o treinador criticou os jogadores. Atacou o nível dos reservas ao dizer que só tinha 12 jogadores e os demais estavam muito abaixo.

A Roma tem problemas em todos os setores. Sofreu com desfalques em alguns momentos, como a maioria dos times tem sofrido. O que acontece é que Mourinho precisa melhorar o time, torná-lo mais seguro, e isso inclui também a preparação mental do time. Atacar os jogadores a cada derrota parece uma estratégia que vai acabar minando o vestiário.

Segundo o Corriere dello Sport, os diretores da Roma se reuniram com Mourinho nesta segunda-feira, mas não há a intenção de demiti-lo. O treinador explicou a sua ideia para o clube e o desenvolvimento que ele acha que pode acontecer. O trabalho segue.

O vestiário apoia Mourinho, em grande parte. Muitos jogadores estão fascinados pelo carisma do treinador e a sua capacidade de convencimento. Apesar disso, há rumores que a coletiva de imprensa culpando os jogadores pode criar insatisfações. Será preciso que Mourinho mostre como corrigir os problemas, se não, em breve, os jogadores vão começar a achar que o problema é ele. E este é um ponto de não-retorno para o técnico.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo