Serie A

A Juventus arranjou uma frenética virada por 4×3 e fez a Roma amargar uma romada das grandes

A Juventus perdia por 3x1 até os 25 do segundo tempo, mas conseguiu três gols em sete minutos e ainda viu Szczesny pegar um pênalti

A Roma é uma equipe famosa por suas “romadas”. Mas nem a torcida mais calejada deixa de perder os cabelos com uma partida tão sofrida quanto a deste domingo. Tudo parecia encaminhado para os giallorossi vencerem a Juventus, dentro do Estádio Olímpico, pela Serie A. O time de José Mourinho fazia grande partida e abriu dois gols de vantagem no início do segundo tempo. Só que “um apagão de sete minutos” levaria os romanistas ao desastre. Não sem méritos da Velha Senhora, que mudou o jogo a partir do seu banco, para transformar uma derrota por 3 a 1 em vitória por 4 a 3. O drama, aliás, ainda não era suficiente. Na reta final, os romanistas ganharam um pênalti e ficaram com um homem a mais. Pellegrini, a referência do time, viu Szczesny pegar sua cobrança e o fracasso do time da capital se tornava mais retumbante.

Contando já com a estreia de Ainsley Maitland-Niles na defesa, o bom início da Roma fez a diferença no Estádio Olímpico. Os giallorossi tomaram a iniciativa e logo passaram a acumular oportunidades para marcar. Wojciech Szczesny faria uma boa defesa em cabeçada de Tammy Abraham aos sete, mas, quatro minutos depois, o centroavante chegou às redes. Jordan Veretout cobrou escanteio em direção à pequena área e Tammy Abraham completou. Os romanistas seguiam em cima, com muitos erros da Juventus, que se via encurralada em sua área. Até por isso, o gol de empate da Velha Senhora surgiu como alívio. Federico Chiesa deu um passe excepcional para Paulo Dybala, que dominou e bateu de chapa no canto.

O jogo seguia em ritmo alto, mas as defesas prevaleciam. A Juventus ainda perderia Chiesa, substituído após sentir lesão no joelho. A Velha Senhora insistia um pouco mais no ataque durante a reta final do primeiro tempo, embora sem ameaçar tanto a meta de Rui Patrício, diante da maneira firme como a Roma conseguia se proteger. A melhor chance de marcar antes do intervalo seria mesmo dos romanistas, já nos acréscimos. Depois de uma cobrança de escanteio, Chris Smalling acertou a cabeçada e a bola tinha endereço, mas o tiro bateu em Abraham e ganhou as alturas.

Logo na volta para o segundo tempo, a Roma inflou o peito e retomou a vantagem. O segundo gol veio num lance de sorte, aos três minutos. Henrikh Mkhitaryan engatilhou o chute, que desviou na marcação e encobriu Szczesny. E a postura romanista rendeu também o segundo tento aos oito minutos, num golaço de Lorenzo Pellegrini. O meio-campista cobrou falta com perfeição e botou a bola no ângulo, sem chances para Szczesny. Pela maneira como a equipe se impunha, o placar era mais que compreensível.

A necessidade de mudança na Juventus era clara e, aos 18 minutos, entraram Arthur e Álvaro Morata. Os dois substitutos deram uma nova cara para a equipe. A Velha Senhora se tornou mais agressiva e, quando rompeu novamente a defesa da Roma, pulverizou os adversários. Os bianconeri voltaram à vida com 25 minutos, numa grande jogada de Morata na ponta direita. O centroavante limpou a marcação com um drible curto e cruzou na medida para Manuel Locatelli, que surgiu sozinho para a cabeçada. Nocauteada, a Roma tomou o segundo dois minutos depois. Depois de um chute bloqueado de Morata, Dejan Kulusevski arrematou na sobra. O lance ainda foi anulado de início, até a confirmação pelo VAR. E o apagão dos giallorossi permitiu a virada logo aos 32. Mattia De Sciglio escapou nas costas da marcação, Smalling não cortou o lançamento de Weston McKennie por completo e a bola caiu nos pés do lateral, para fuzilar Rui Patrício.

Se a virada parecia suficientemente inacreditável, a Roma teria uma chance de voltar para o jogo na sequência. Aos 36, Matthijs de Ligt bloqueou a bola com o braço na área. Pênalti e expulsão, com o segundo amarelo para o zagueiro. Pellegrini bateu e Szczesny conseguiu fazer uma grande defesa. A bola seguiu na área e, quando poderia se redimir no rebote, o meio-campista escorregou. A vantagem numérica ainda dava uma chance para os romanistas e Mourinho aumentou a força de seu ataque com Borja Mayoral. O time da casa ainda insistiria, mas sem sucesso. Quando Abraham reapareceu, Szczesny levou a melhor e confirmou o triunfo de sua equipe.

A Juventus mantém a distância de três pontos na perseguição ao G-4. Os bianconeri somam 38 pontos, contra 41 da Atalanta. Já a Roma, sem vencer há três rodadas, se distancia das ambições. Os giallorossi têm 32 pontos, na oitava posição, fora da zona de classificação às copas europeias.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo