Serie A

As homenagens para Giroud, Pioli e Kjaer na despedida do Milan em San Siro

Trio é aclamado pela torcida no último jogo com a camisa do Rossonero

Um emocionado público no San Siro presenciou neste sábado (25) a despedida de um trio que foi essencial para o Milan reencontrar o caminho das glórias com o Scudetto de 2022 e jogar a Champions League novamente.

Estamos falando de Stefano Pioli, Olivier Giroud e Simon Kjaer, que deixam o clube Rossonero ao término desta temporada e receberam homenagens antes, durante e depois do agitado empate por 3 a 3 com a Salernitana, pela última rodada da Série A 2023/24.

Pioli é celebrado em todos os momentos

Sendo uma partida que não valia nada, o dia era de agradecer, celebrar e aplaudir. Antes do apito inicial, abraços apertados com os jogadores, conversas longas com os proprietários e um aplauso absoluto das arquibancadas quando citado pelos alto-falantes.

Esse foi o pré-jogo de Pioli, que também recebeu os afagos aos 22 minutos do primeiro tempo, quando Rafael Leão marcou e todos os jogadores foram em direção à área técnica.

Era momento de abraçar e comemorar com o técnico italiano, aquele que recuperou a confiança dos torcedores, apesar de entender que era momento de mudar (analisamos aqui a saída do treinador após cinco temporadas).

Rafael Leão partiu para abraçar Pioli após o primeiro gol (Foto: Icon Sport)

Após a partida, discursou para as arquibancadas e foi levantado pelo elenco. Merece. Foram 240 jogos sob o comando do italiano, com 132 vitórias, 56 empates e 52 derrotas.

“Pioli está pegando fogo”, é o que gritavam os fãs, relembrando um grito dos melhores momentos, substituído recentemente pelo pedido de saída do técnico.

Agradeço a quem me deu a oportunidade de treinar um clube fantástico, obrigado aos proprietários e a todos os funcionários. Para minha equipe, para meus jogadores, vocês são especiais e certas coisas permanecerão. E depois tem todos vocês [apontando para torcida]. Eram tantos de vocês que nos estimularam. Sofremos e vencemos juntos, você colocou um fogo no meu coração, e ele permanecerá sempre aceso e não vou te esquecer. – celebrou um emocionado Stefano Pioli.

Além do título italiano de 2021/22, o primeiro desde 2011, levou o time de volta para uma Champions após oito anos longe, alcançando uma semifinal em 2023 – a última tinha sido em 2007.

Giroud só poderia ir embora com golaço

O centroavante francês do Milan é conhecido por seus golaços na carreira, como aquele lindo escorpião pelo Arsenal. Por isso, ele só poderia se despedir do Rossonero com uma pintura: um voleio quase caído, indefensável.

Contratado sem muitos holofotes em 2021, Giroud entregou com a camisa do Milan. Foi titular no Scudetto de 2022 e exerceu com maestria a função do camisa nove – também sendo importante fora da área.

Como Pioli, o francês não segurou as lágrimas. Ele parte com 131 partidas, 48 gols e 20 assistências. A partir de 1º de julho, jogará no Los Angeles FC.

Quando era jovem sonhava com este Milan, agora tive uma passagem da qual me orgulho. Jamais esquecerei esses 3 anos no Milan.

Ótimo zagueiro, Kjaer se despede lesionado – infelizmente, realidade

Foram apenas dois minutos mais acréscimos de Simon Kjaer em campo hoje. O dinamarquês estava com outro problema físico e se recuperou apenas para se despedir.

As lesões roubaram um pouco do brilho no clube. Foram 15 problemas físicos diferentes no período, segundo o Transfermarkt, o tirando de ação por 507 dias – ou 85 partidas.

Mas nada disso apaga os seus méritos. “Um líder nato, um grande homem e um verdadeiro defensor robusto”, o Rossonero o definiu assim em um post nas redes sociais e é realmente a figura desse ótimo defensor nos quatro anos que esteve em Milão, atuando em 120 jogos e com participação no título nacional de dois anos atrás.

Aos 35 anos, ainda não decidiu seu próximo passo no futebol.

Quem substitui Pioli?

Há muitos nomes badalados no mercado de transferências de técnicos. Thomas Tuchel, Roberto De ZerbiXavi Hernández são alguns deles. Mas o Milan não buscará um nome midiático para substituir Stefano Pioli.

O português Paulo Fonseca, de saída do Lille após dois anos no cargo, é o favorito, conforme aponta a imprensa europeia.

O jovem técnico de 51 anos, nascido em Maputo, Moçambique, também passou por Porto, Braga, Shakhtar Donetsk e Roma. Até hoje, conquistou três Campeonatos Ucranianos, uma Copa de Portugal e uma Supercopa Portuguesa.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Nascido e criado em São Paulo, é jornalista pela Universidade Paulista (UNIP). Já passou por Yahoo!, Premier League Brasil e The Clutch, além de assessorias de imprensa. Escreve sobre futebol nacional e internacional na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo