Itália

Novo camisa 9: Giroud chega ao Milan para ser uma ótima opção de ataque

Muito útil ao Chelsea, Giroud chega para ter mais chances no Milan e ser uma alternativa a Ibrahimovic ou até mesmo jogar com ele

O Milan enfim tem um novo camisa 9. Olivier Giroud foi anunciado como novo jogador rossonero e vai vestir a camisa 9, que tem sido um fardo desde a aposentadoria de Filippo Inzaghi. Aos 34 anos (completará 35 em setembro), chega com um bom histórico, um currículo de respeito e pode ser um jogador importante ao clube. Ele assinou por duas temporadas, até 2023, com opção de uma terceira, e com salário aproximado de € 3,5 milhões ao ano.

O francês foi para Milão na quinta-feira à noite, em um jato privado que veio do aeroporto Linate, em Grenoble, onde estava o jogador. Ele fez os exames médicos pelo novo clube nesta sexta-feira. Foi também quando se despediu do Chelsea: “Obrigado pelos momentos especiais”.

Neste sábado, o Milan, enfim, anunciou o jogador. “AC Milan está satisfeito em anunciar a contratação de Olivier Giroud em transferência permanente do Chelsea FC. O atacante francês irá vestir a camisa 9, diz o comunicado do Milan.

Segundo diversos relatos da imprensa italiana, o valor da transferência foi de € 1 milhão, com outro € 1 milhão em cláusulas de desempenho. Segundo o Football-Italia, há bônus para classificação para a Champions League e um certo número de jogos do jogador.

Giroud é um jogador importante da seleção francesa. Ainda que tenha perdido o lugar no time titular depois do retorno de Karim Benzema, o jogador teve um papel dos mais relevantes na conquista da Copa do Mundo de 2018, mesmo sem ter feito nenhum gol, algo que foi motivo de muita crítica.

O currículo de Giroud

Formado pelo Grenoble, onde fez seus primeiros jogos como profissional, em 2005. Jogou também por Istres e Tours e foi para o Montpellier em 2010. Por lá, o sucesso foi imenso. Em duas temporadas, foram 85 jogos, 39 gols e ainda conquistou o a Ligue 1 em 2011/12. Depois daquela conquista, chamou a atenção pela Europa e se transferiu para o Arsenal por € 12 milhões.

Teve ótimos momentos pelos Gunners. As suas estatísticas são ótimas. No total, foram 253 jogos, 105 gols e 41 assistências. Números relevantes para um atacante estrangeiro que nem foi um titular ao longo de todo esse tempo, ao menos na maior parte do tempo. É, até hoje, o clube pelo qual mais atuou na carreira.

Quando decidiu deixar o Emirates para se transferir para outra parte da cidade e jogar pelo Chelsea, foi justamente porque tinha se tornado mais reserva do que titular e queria mais minutos em campo. Foi para o Chelsea por € 17 milhões, um negócio de ocasião para os Blues, que queria um atacante.

Em Stamford Bridge, ele foi um jogador reserva, na maior parte do tempo, mas também foi bastante importante. Foram 119 jogos, com 39 gols. A média é ótima, ainda mais para um reserva: um gol a cada três jogos. Isso fica mais claro quando olhamos para o número de gols pelo tempo em campo: ele marcou uma vez a cada 146 minutos pelos Blues, ou seja, um pouco mais de um jogo e meio.

Nas duas últimas temporadas, Giroud se tornou uma espécie de bola de segurança no Chelsea. Tammy Abraham teve seus momentos de titular com Frank Lampard, mas foi o francês que se apresentou quando a fase não era boa e deu conta da posição. Em janeiro de 2020, ele quis deixar o clube, mas o Chelsea não permitiu porque não encontrou reposição. Ficou, foi importante, fez gols que ajudaram o time a se classificar à Champions League, e acabou premiado com um novo contrato. Justamente a Champions League que o clube acabaria vencendo, já com Thomas Tuchel no comando, novamente com Giroud como opção.

Em janeiro de 2021, ele foi especulado para novamente deixar o clube. Ficou e continuou fazendo gols importantes. Ele sabia que a briga por uma vaga no talentoso ataque da França era difícil e mesmo com o bom desempenho dele com a camisa dos Bleus, era preciso jogar mais por clubes também para continuar dando argumentos para Didier Deschamps mantê-lo no time titular – ou como uma opção frequente, ao menos.

Para fazer um recorte mais recente, na temporada 2020/21 o atacante entrou em campo 31 vezes, com 11 gols marcados. Jogou menos do que gostaria, razão pela qual buscou novamente uma saída. Nas últimas janelas, ele foi muito especulado no lado nerazzurri de Milão, com o técnico Antonio Conte como um admirador do jogador. Com a saída de Conte da Inter, ele rumou para o lado vermelho e preto da cidade, onde, aliás, ele tem mais chances de jogar e ser importante.

Maldição da camisa 9 do Milan

Giroud chega ao Milan para tentar acabar com a maldição da camisa 9. Algo, aliás, que o seu último dono que brilhou, Filippo Inzaghi, refutou. Ele acreditava que Zlatan Ibrahimovic acabaria com a maldição, mas o sueco inicialmente vestiu a camisa 21, depois escolheu vestir a 11, o mesmo número pelo qual brilhou na temporada 2010/11, quando foi um dos principais jogadores na conquista do scudetto.

Inzaghi vestiu a camisa 9 de 2001/02 até 2011/12. Depois dele, a sequência de jogadores nunca convenceu: Alexandre Pato, em 2012/13; Alessandro Matri (2013/14); Mattia Destro (2014/15), Fernando Torres (2014/15); Luiz Adriano (2015/16); Gianluca Lapadula (2016/17); André Silva (2017/18); Gonzalo Higuaín (2018/19); Krzystof Piatek (2019/20) e Mario Mandzukic (2020/21).

Nessa sequência, falamos apenas dos jogadores que vestiram a camisa 9, não dos centroavantes que passaram pelo Milan, que foram bem mais numerosos. Giroud chega para vestir a camisa 9, sem medo, e pode acabar com isso. Ele tem experiência, capacidade e gols para acabar com tudo isso.

O papel de Giroud no Milan

Pensando na Copa 2022, parece uma ótima opção para Giroud, que vai para a liga que tem tido a maior média de gols entre as maiores da Europa. A Serie A teve média de 3,06 gols por partida na temporada 2020/21, mais que a Bundesliga, com 3,03; Ligue 1, com 2,76; Premier League, com 2,69; e La Liga, com 2,51.

No Milan, Giroud deve inicialmente ser reserva de Zlatan Ibrahimovic, que é o centroavante titular. Só que o sueco teve problemas de lesões na temporada 2020/21, o que deixou o Milan sem opções, até porque o seu reserva, contratado para isso, Mario Mandzukic, também se machucou. Giroud chega para ser uma opção que pode jogar imediatamente e pode até começar a temporada como titular, já que Ibra perdeu até a Eurocopa por causa da lesão no joelho e ainda terá que se recuperar plenamente.

De qualquer forma, Stefano Pioli pode pensar inclusive em um esquema com os dois centroavantes, já que Ibrahimovic é um jogador muito completo. Os dois podem atuar juntos em jogos onde o time precise mais de gols. A rival, Inter, joga com dois atacantes, ainda que com características diferentes, Lautaro Martínez e Romelu Lukaku também são dois centroavantes e funcionaram bem no 3-5-2 de Conte.

O mais importante é que Pioli ganha uma opção das mais confiáveis e melhora o seu elenco, que terá a Champions de volta no seu calendário. Com mais jogos, e com nível mais alto, será preciso olhar para o banco e encontrar soluções. Giroud certamente traz isso.

Veja fotos do novo reforço do Milan:

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo