Itália

Marcelo Lippi: “Allegri não será apenas uma sopa requentada na Juventus”

Ex-técnico da Juventus e da seleção italiana, Marcelo Lippi elogiou a volta de Allegri ao clube e lembrou quando ele mesmo voltou e teve sucesso

No futebol, como na vida, a história de retornos a um lugar ou a alguém que trouxe felicidade é muito comum. Especialmente em momentos que as coisas parecem ter ido muito mal, queremos um retorno à segurança de algo que já nos fez bem. Foi o que a Juventus fez quando levou de volta o técnico Massimiliano Allegri, anunciado em maio. Ele chegou depois de experiências não muito boas com Maurizio Sarri e com Andrea Pirlo. Para Marcelo Lippi, histórico treinador italiano, o retorno de Allegri não será algo ruim, ou, na figura que ele usou, uma “sopa requentada”.

“Mais do que uma sopa requentada, será uma segunda vez deliciosa”, afirmou Lippi à Gazzetta “Neste nível, uma parada depois de um longo ciclo é bom. Você relaxa, estuda novas táticas e técnicos e você enriquece seu conhecimento. O time é forte e ele conhece isso bem. Eles chegam depois de dois anos delicados”.

“A Juventus tentou novos caminhos, com um técnico que não era muito experiente, mas inteligente e preparado. Foi certo tentar. Eles não tiveram sucesso e decidiram voltar a uma fórmula vencedora: não há ninguém que pode exercer esse papel melhor que Max”, analisou o lendário treinador.

“Eu também voltei para a Juventus depois de dois anos e ganhamos dois títulos italianos, além de jogar outra final de Champions League”, declarou o antigo treinador da Juventus e da seleção italiana. Lippi contou sobre a admiração que tem por Cristiano Ronaldo, português de 36 anos que, ao que tudo indica, continuará no clube de Turim nesta temporada.

“Eu sempre achei que o Cristiano Ronaldo é o melhor marcador de gols do mundo. Ele não os cria, mas ele finaliza. É importante que o time ofereça a ele muito. Ele nunca foi um verdadeiro centroavante, ele sempre precisou de um camisa 9 como [Karim] Benzema próxima dele, mas a Juventus não tem esse camisa 9. Eu imagino que Allegri irá jogar com dois atacantes, em um sistema de ultrapassagens de mudanças posicionais que não darão pontos de referência aos defensores”, analisou Lippi.

A Juventus tem no seu elenco Álvaro Morata, que veste a camisa 9, mas não é exatamente um artilheiro, nem um grande criador. Além dele, Paulo Dybala, que é um criador de jogadas, além de Federico Chiesa, Dejan Kulusevski e Federico Bernardeschi, jogadores que atuam mais pelos lados do campo.

Lippi foi técnico da Juventus em duas passagens. A primeira de 1994 a 1999. Depois, de 2001 a 2004. Na primeira passagem, conquistou a Serie A italiana três vezes e na segunda outras duas. Foi com Lippi também que a Juventus conquistou a sua última Champions League, em 1995/96. Ele foi campeão da Copa do Mundo em 2006 pela Itália, último título da seleção italiana até a conquista da Euro 2020.

Massimiliano Allegri foi técnico da Juventus de 2014 a 2019, com a conquista de cinco títulos da Serie A. O treinador retorna depois de uma temporada que Pirlo conseguiu o título da Copa da Itália, mas não conseguiu impedir o título da Inter.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo