Inglaterra

[VÍDEO] Passe genial de Coutinho esclarece um Liverpool ainda tateando no escuro

Os resultados do Liverpool melhoraram. Na ponta do lápis, nos últimos oito jogos, perdeu apenas aquele clássico para o Manchester United, mais quatro vitórias e três empates, um deles contra o Basel, que significou a eliminação da Champions League. De qualquer jeito, Brendan Rodgers deu um jeito de estancar o sangramento e, desde a derrota por 3 a 0, mudou o esquema do time para três zagueiros. Mas, como se fosse um lembrete do quanto há de trabalho pela frente, sofreu para vencer o Burnley, nesta sexta-feira, e conseguiu, por 1 a 0, graças à genialidade de Philippe Coutinho.

LEIA MAIS: Justo no Boxing Day aconteceu o primeiro jogo entre clubes da história do futebol, em 1860

No geral, o jogo foi ruim. A defesa do Liverpool continua parecendo um queijo cheio de buracos, mas contra o pior ataque do Campeonato Inglês, conseguiu passar os 90 minutos sem ser vazada. A trave ajudou nessa empreitada, na chance de gol mais clara do primeiro tempo, um chute de Ings depois de um bate cabeça da zaga. Os outros momentos de sobressalto foram causados por Mignolet, que substituiu o machucado Brad Jones. Em uma tentativa de afastar a bola, acertou as costas do atacante adversário e quase protagonizou uma tragédia. No segundo tempo, demorou para rebater um passe recuado por Sakho e cedeu o escanteio. Na sequência da jogada, quase levou o empate.

A defesa nunca foi mesmo o forte do time de Brendan Rodgers, desde que ele chegou ao Liverpool. A questão está no ataque. Coutinho, Sterling e Lallana são as flechas do meio-campo, com Lucas na contenção ao lado de Gerrard e Markovic e Henderson pelas alas. O sistema ainda em construção funcionou bem contra o Arsenal, nem tanto contra o Burnley. Normal oscilar. Na maioria das vezes, nesta sexta, era um time de poucas ideias, muitos passes longos e correria, exceto quando Gerrard assumia o controle ou a bola caia nos pés de Coutinho. Um chutão para a frente caiu para o brasileiro, que ajeitou de cabeça e deu um passe lindo de costas para Sterling arrancar, driblar o goleiro e selar a vitória.

Coutinho fez outra ótima jogada na sequência, livrando-se dos marcadores e batendo da entrada da área, mas foi substituído por Rickie Lambert, embora fosse o jogador mais esclarecido no gramado. Deve ter sido apenas uma opção tática ou esgotamento físico. Rodgers vem insistindo com ele nas últimas partidas, e com razão, porque pode acabar percebendo que o caminho que busca para o Liverpool passa pelos pés do seu camisa 10.

Mais Boxing Day:

>>>> Rooney destruiu o Newcastle e reforçou o seu papel como motor na arrancada do United

>>>> Diego Costa mostra os seus recursos: driblou três com um único corte e fez um golaço

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo