Inglaterra

Sem contrato, Thiago Alcântara é aposta ou oportunidade de mercado?

Thiago Alcântara nunca pecou no quesito técnico, porém, seu extenso histórico de lesões no Liverpool preocupa

Agora, é oficial: Thiago Alcântara não será mais jogador do Liverpool na próxima temporada. O meia tem contrato até junho, mas não foi procurado por uma renovação pela diretoria dos Reds. A decisão foi anunciada por meio das redes sociais do espanhol, que fez questão de agradecer os torcedores, que o apoiaram mesmo nos momentos difíceis nas últimas temporadas:

– Uma base de fãs única para um clube único. Esses últimos quatro anos foram um período de aprendizado para mim e minha família. Algumas vitórias, algumas derrotas, mas sem dúvida, uma experiência transformadora. Companheiros, treinadores, staff e funcionários: todos vocês fizeram parte disso -, escreveu Thiago em sua carta de despedida.

Contratado em 2020/21 junto ao Bayern de Munique, Thiago chegou ao Liverpool sob grandes expectativas. Ao todo, foram 98 jogos (que podem virar 99 caso entre em campo contra o Wolverhampton, pela última rodada da Premier League), três gols e seis assistências. Além disso, o meia espanhol foi campeão da Copa da Inglaterra (2021/22) e da Supercopa da Inglaterra (2022/23) com os Reds.

Entretanto, nesta temporada, Thiago Alcântara entrou em campo apenas uma vez, ficando de fora da conquista da Copa da Liga Inglesa. O que ajuda a explicar a ausência do meia nos Reds são as inúmeras lesões que ele sofreu. Os problemas físicos voltaram a aparecer em 2023/24, e a dúvida que fica é: com o espanhol sem vínculo, sua contratação é uma oportunidade de mercado ou uma aposta?

Thiago Alcântara traz mais dúvidas do que certezas

Desde que chegou ao Liverpool, Thiago Alcântara ficou mais de 620 dias machucado, sendo desfalque em 118 partidas. E as lesões foram variadas. Segundo o Transfermarkt, essas foram as lesões do meia nos Reds: joelho, panturrilha, anca (lateral da cintura), problemas musculares na coxa, coxa, flexores do quadril, anca e muscular. O espanhol também contraiu o coronavírus em duas ocasiões.

Talvez o maior problema de Thiago no Liverpool tenha sido sua lesão no quadril, sofrida em maio de 2023. À época, o meia precisou passar por cirurgia e ficou 10 meses afastado. Em seu retorno, o espanhol saiu do banco de reservas na derrota para o Arsenal por 1 a 0, no dia 8 de fevereiro deste ano, nos minutos finais do 2º tempo, e sentiu um novo incômodo muscular.

Portanto, Thiago Alcântara traz mais dúvidas do que certezas. Aqui vale ressaltar que sua habilidade técnica é inegável, com uma visão de jogo diferenciada e uma qualidade no passe afiada. Entretanto, a parte física do espanhol já é um empecilho de longa data. Aos 33 anos, o jogador dá indícios de que está passando de seu auge, e quem quiser contratá-lo tem que saber disso.

O Barcelona, por exemplo, teria espaço para um meia do tamanho de Thiago Alcântara, que chegaria sem custos de transferência. Ao mesmo tempo, ele chegaria com um extenso histórico de lesões em um calendário cada vez mais apertado e um futebol mais intenso do que nunca. O filho de Mazinho sobraria no Brasil, mas sua condição física também poderia ser um assunto sério. Resta saber quem apostará no espanhol, pois ele ainda não confirmou seus próximos passos na carreira.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Jornalista formado pela Unesp, com passagens por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia. Na Trivela, é redator de futebol nacional e internacional.
Botão Voltar ao topo