Inglaterra

Início de Roy Hodgson no Crystal Palace foi até promissor, mas saída era único caminho

Contratado no ano passado para salvar time do rebaixamento, Roy Hodgson cumpriu objetivo inicial, mas não conseguiu dar o próximo passo e teve problema de saúde recente

Acabou a segunda passagem de Roy Hodgson pelo Crystal Palace. O clube anunciou nesta segunda-feira (19) que o experiente treinador de 76 anos decidiu deixar a equipe, que agora será treinada pelo austríaco Oliver Glasner, ex-Eintracht Frankfurt. O técnico inglês passou mal na última semana durante um treinamento e foi internado. Nesse momento ele já saiu do hospital e está bem.

– Este clube é muito especial e significa muito para mim e desempenhou um papel importante na minha vida futebolística. Aproveitei muito meu tempo aqui ao longo de seis temporadas, pois me deu a chance de trabalhar com jogadores e equipe de primeira linha, fazendo o que amo todos os dias – celebrou o técnico, emendando:

– No entanto, compreendo que, dadas as circunstâncias recentes, possa ser prudente neste momento que o clube planeje com antecedência e, portanto, tomei a decisão de me afastar para que o clube possa apresentar os seus planos para um novo treinador, conforme pretendido para este verão – se despediu o histórico Roy Hodgson.

Quando assumiu o Palace em março de 2023, a missão de Hodgson era uma só: livrar o clube do rebaixamento, tanto que seu contrato era apenas até o meio do ano passado. Naquele momento, ocupava a 13ª colocação com 27 pontos, apenas três a mais que o West Ham, então primeiro time na zona de rebaixamento em 28 rodadas. Sob comando do experiente treinador, que substituia Patrick Viera, os Eagles venceram metade dos 10 jogos restantes, além de três empates e apenas duas derrotas. Teve até um 5 a 1 em cima do Leeds United, logo na segunda partida, e a equipe se safou da queda à segunda divisão com louvor, em 11º, na frente do bilionário Chelsea. Com isso, ganhou uma renovação por mais um ano.

No entanto, para 2023/24, o ritmo não seguiu o mesmo. Em 26 rodadas, somam apenas 24 pontos, cinco a mais que o Everton, primeiro time do Z3, e a vantagem pode ficar menor porque a dupla se enfrenta hoje. Nas últimas 15 partidas da Premier League são apenas três vitórias, desempenho fraco, também justificado pelas muitas lesões – hoje são seis, incluindo os importantes Michael Olise, Eberechi Eze e Cheick Doucouré. Tudo isso, somado ao problema de saúde de Hodgson, levaram a saída.

A primeira passagem do técnico inglês no Selhurst Park foi longeva. Treinou a equipe londrina entre setembro de 2017 até o meio de 2021, sempre com um time competitivo, mas que não passava do meio da tabela. No total, Roy esteve 200 jogos à beira do campo pelo Crystal Palace.

Aos 76 anos, Hodgson, que aposentou em 2021 e retornou aos trabalhos para assumir o Watford, ainda não anunciou qual será seu futuro. A carreira do inglês começou em 1976, no futebol da Suécia, onde conquistou os principais títulos da longa trajetória: quatro campeonatos nacionais e duas copas sob comando do Malmö e do Halmstads. Também passou por clubes da Dinamarca, Itália, Suíça e Noruega, além das seleções dos Emirados Árabes Unidos, Finlândia e a própria Inglaterra entre 2012 e 2016.

Quem é Oliver Glasner, novo técnico do Crystal Palace?

Oliver Glasner é o novo técnico do Crystal Palace (Foto: Icon Sport)

Logo após o anúncio de Hodgson, o Palace confirmou Glasner, técnico que foi campeão da Liga Europa com o Frankfurt na temporada 2021/22 e vice da Copa da Alemanha no ano passado. No entanto, apesar do sucesso “copeiro”, nunca fez uma grande campanha na Bundesliga pelo clube e ainda teve problemas externos, especialmente com a imprensa.

O que credenciou a treinar o Eintracht foi outro bom trabalho na Alemanha. Entre 2019 e 2021, foi o técnico do Wolfsburg, onde conquistou a terceira maior pontuação da história do clube na Bundesliga. Com isso, terminou em quarto e classificou o clube para Champions League antes de ir ao Frankfurt.

Da escola Red Bull, foi auxiliar de Roger Schmidt, hoje prestigiado no mercado pelo bom trabalho no Benfica, no Salsburg. Depois, Glasner virou técnico principal no LASK, também da Áustria. Foram quatro anos no comando do clube, que saiu da segunda divisão para a elite local.

– Estou muito feliz por ingressar no Crystal Palace FC como técnico. Estou ansioso para trabalhar com esse elenco talentoso, conhecer os torcedores do clube e vivenciar a atmosfera de Selhurst Park de que tanto ouvi falar. Foi um prazer conhecer Steve [Parish, presidente do clube] e Dougie [Freedman, diretor esportivo] e estou ansioso para trabalhar com eles para atingir nossos objetivos. – celebrou o técnico.

Ele ainda não estará à beira do campo hoje contra o Everton e só deve estrear no próximo sábado (24), em casa, contra o Burnley.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo