Premier League

Newcastle acaba com agonia de Steve Bruce e da torcida e demite o técnico

Demissão parecia questão de tempo e nem demorou muito: Steve Bruce só durou um jogo depois do Newcastle ser vendido para os sauditas

O Newcastle demitiu o técnico Steve Bruce, depois de semanas de especulações. A pressão sobre o treinador era grande pelo péssimo início de temporada, mas desde o dia 7 de outubro, quando o clube foi vendido à Arábia Saudita, as especulações aumentaram. Estava claro que os novos donos queriam outro técnico, o que é bem razoável dado o histórico de Bruce e o desempenho do time. Nesta quarta-feira, a demissão enfim foi oficializada, algo que é um alívio não só para os torcedores, mas para o próprio técnico.

“O Newcastle United pode confirmar que Steve Bruce deixou a sua posição como técnico por mútuo acordo. O processo de recrutar um novo técnico está em andamento e a escolha será anunciada no devido tempo”, diz um comunicado no site do Newcastle.

Graeme Jones, o assistente técnico, assume como técnico interino e comandará o time contra o Crystal Palace, no próximo sábado. Ele será auxiliado com outros membros da comissão técnica do Newcastle, Steve Agnew, Stephen Clemence, Bem Dawson e Simon Smith.

Ainda não foi escolhido um substituto. Há uma longa lista de possíveis substitutos. O posto não era dos mais desejados antes da Arábia Saudita chegar com um bolso bem fundo e perspectivas de grandes contratações nas próximas janelas. Agora a situação é diferente e é possível que vejamos alguns grandes nomes serem especulados.

“Sou grato a todos ligados ao Newcastle United pela oportunidade de dirigir este clube único. Gostaria de agradecer à minha comissão técnica, aos jogadores e aos funcionários de apoio em particular por todo seu trabalho duro. Houve altos e baixos, mas eles deram tudo, mesmo nos momentos difíceis e devem ficar orgulhosos pelos seus esforços”, disse Steve Bruce no comunicado divulgado pelo clube.

“Este é um clube com uma torcida incrível e eu espero que os novos donos possam levar adiante onde queremos que seja. Eu gostaria de desejar a todos a melhor sorte para o resto da temporada e adiante”, finalizou Bruce.

Demissão eram favas contadas

Na última sexta-feira, Steve Bruce chegou a dizer na coletiva “Ainda estou aqui”. Ele se irritou com perguntas sobre a sua possível saída, e mais ainda quando foi perguntado se estava esperando ser demitido pela multa de £ 7 milhões. No primeiro jogo com os novos donos, o Newcastle perdeu para o Tottenham de virada por 3 a 2.

A hostilidade dos torcedores em relação ao técnico aumentou. Se ele já era pressionado antes da venda, com as novas ambições e expectativas de grandes contratações, Bruce pareceu ainda mais inadequado para o cargo na visão dos torcedores. Sabemos que na visão dos novos donos também.

O futuro agora aponta para outros caminhos, mas a discussão pelos novos nomes será difícil. O nome óbvio era Rafael Benítez, que é ligado a Amanda Staveley, nova sócia minoritária e que assumiu a operação do clube, mas ele assinou com o Everton e cumpre os seus contratos. Mikel Arteta era um nome admirado antes de assumir o Arsenal, mas também é improvável que o clube tente tirá-lo dos Gunners.

Os diretores irão se reunir para debater nomes e devem ouvir as opiniões de uma lenda do clube: Alan Shearer, que se afastou da direção do Newcastle por divergências com Mike Ashley, o antigo dono. Ele deve ter voz ativa para a escolha do novo técnico, com suas opiniões sendo muito valorizadas pelos novos donos – até porque eles sabem que a opinião de Shearer repercute na torcida do clube.

Segundo The Athletic, nomes como Eddie Howe, ex-Bournemouth, Lucien Favre, ex-Borussia Dortmund, e Steven Gerrard, que está no Rangers, estariam na lista de possíveis candidatos. A lista, porém, é longa e os novos donos olharão para técnicos com experiência em outros países da Europa também. Um dos nomes recentemente especulados, segundo a Gazzetta dello Sport, foi o de Antonio Conte, que deixou a Internazionale após conquistar o título italiano na última temporada.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo