Inglaterra

Em frangalhos, Everton entra na semana do ‘tudo ou nada’ e sonha com devolução dos pontos para respirar na Premier League

Na beira da zona de rebaixamento, Everton vive expectativa pelo veredito da Premier League sobre devolução (ou não) dos 10 pontos que lhe foram tirados por conta de uma violação das regras de lucro e sustentabilidade

O Everton entrou em uma semana para lá de decisiva, que pode definir não só a temporada, bem como o futuro da instituição. Na última segunda-feira (19), os Toffees buscaram um suado empate contra o Crystal Palace, no Goodison Park, e o ponto conquistado fez a equipe de Liverpool deixar a zona de rebaixamento da Premier League – ao menos de maneira provisória. No entanto, o pior (ou melhor) ainda está por vir. Nos próximos dias, a comissão independente da liga julgará o recurso do clube, que perdeu 10 pontos na tabela de classificação por conta de uma violação das regras de lucro e sustentabilidade (PSR) da competição.

A devolução dos pontos já conquistados em campo pelo Everton obviamente ajudaria na luta contra o rebaixamento. Contudo, pelo fato da comissão independente aceitar alguns ou todos os argumentos apresentados pelos Toffees, também deveria fortalecer a defesa do clube contra a segunda acusação do PSR, estabelecida no mês passado. Uma vez perdida a apelação, a equipe de Liverpool terá motivos de sobra para temer o primeiro rebaixamento de sua história. Afinal, caso isso aconteça, além da punição de 10 pontos permanecer, o veredito pavimentará o caminho para uma segunda dedução (de pontos) antes do final da temporada.

Em meio a esse turbilhão de acontecimentos e incertezas, Sean Dyche, na tentativa de amenizar a situação, fez um apelo aos seus jogadores. O técnico pediu que as dúvidas e o temor sobre a posição do Everton na tabela fossem eliminados com urgência. Além disso, buscou tranquilizar os atletas, ao afirmar que eles não são responsáveis pelo extracampo da instituição e podem influenciar apenas dentro das quatro linhas. James Garner, entretanto, parece não conseguir tirar o assunto da cabeça. O meio-campista dos Toffees admitiu que a dedução está se revelando uma distração.

– Eu, pessoalmente, isso está na minha cabeça. Sem a dedução de 10 pontos estaríamos muito mais acima na tabela classificativa, então, sempre que isso acontecer, estarei esperando (…) Posso entender as frustrações dos torcedores, mas ainda falta muito tempo e precisamos que os torcedores nos apoiem e não nos vaiem. Isso é importante daqui para frente -, disse Garner, antes de comentar sobre o empate diante do Palace:

– É uma temporada longa e tem muitos times lá embaixo brigando, mas deu para ver nos últimos 20 minutos que ainda estamos indo até o fim e criando chances. Eu entendo a frustração porque eu também estou frustrado. É mais um jogo que nos escapou e que deveríamos tentar vencer.

Em péssima fase dentro de campo, Everton deposita esperança no apelo pela devolução de pontos

O Everton ficaria em 12º na tabela se não fosse a dedução de pontos. Em vez disso, os Toffees estão uma posição acima da zona de rebaixamento (17º), à frente do Luton (pelo saldo de gols), que tem um jogo a menos e não vence há oito partidas na Premier League. Exceto o retorno desses 10 pontos – o que parece improvável, já que o clube admitiu ter violado o PSR em 9,7 milhões de libras na audiência de outubro – o risco de um primeiro rebaixamento em 73 anos é (muito) real.

Boa parte da torcida presente no Goodison Park vaiou o Everton no intervalo e no final do duelo da última segunda-feira (19), após mais uma exibição irregular da equipe de Sean Dyche, no empate diante do Crystal Palace, que também luta contra o descenso. Os Toffees insistiram que o apelo era seu foco principal quando foram acusados pela Premier League pela segunda vez em janeiro. Acontece, que é preciso jogar bola e melhorar a performance e os resultados dentro de campo. Está certo que não é fácil jogar pressionado e com o futuro incerto, porém o Everton simplesmente depositou todas as fichas em um recurso judicial, desviou sua atenção do campo de jogo e perdeu potência, energia e ímpeto desde o Natal.

A realidade é que o Everton precisa desesperadamente do apelo para respirar aliviado e livrar qualquer risco de rebaixamento. Na forma atual, o time dificilmente conseguirá se salvar em campo. Dito isso, o destino dos Toffees de fato não parece estar mais nas mãos dos jogadores, mas sim de profissionais do direito esportivo. A ver como essa história terminará…

Próximos jogos do Everton

  • Brighton x Everton – Premier League – 24/02
  • Everton x West Ham – Premier League – 02/03
  • Manchester United x Everton – Premier League – 09/03
Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo