Inglaterra

Em meio a um mar de incertezas, Manchester United tem Pochettino como primeira opção

Despreparado para a saída de Solskjaer, Manchester United busca opção de longo prazo e quer interino para esperar por um nome adequado, com Pochettino como o preferido

O Manchester United busca um técnico depois de anunciar a demissão de Ole Gunnar Solskjaer neste domingo e um nome já se destaca. Mauricio Pochettino, atual treinador do Paris Saint-Germain, estaria interessado no cargo, segundo apuração da Sky Spurs News, do Reino Unido. O treinador seria alvo apenas para a próxima temporada, já que o United pretende contratar um treinador interino até o fim da temporada atual. O clube entende que dificilmente um técnico aceitaria chegar no meio da temporada, ainda mais se for sair de outra equipe, e por isso já trabalha com a opção de um nome até o fim desta temporada, como interino, e outro permanente, a longo prazo, a partir da próxima.

Ex-treinador do Tottenham, o argentino já foi cotado para o cargo na época que Solskjaer era apenas um interino, em dezembro de 2018, mas o interesse esfriou quando o norueguês embalou bons resultados e acabou efetivado no cargo, em março de 2019. Pochettino levaria o Tottenham à final da Champions League, em 2018/19, mas seria demitido meses depois, em novembro de 2019. O United manteve-se firme e continuou apostando em Solskjaer.

Pochettino assumiu o PSG em janeiro de 2021, depois da demissão de Thomas Tuchel. Seu contrato era de 18 meses, até junho de 2022, mas antes do início desta temporada o clube ativou uma cláusula de extensão automática de um ano, estendendo o vínculo até junho de 2023. Oficialmente, o discurso do treinador é que está preocupado apenas com o próximo jogo do PSG, contra o Manchester City, na quarta-feira, pela Champions League – o grande objetivo dos franceses.

Segundo fontes consultadas pela Sky Sports, o treinador tem interesse em assumir o clube de Old Trafford. E o plano do clube é justamente esperar por ele. Segundo o Daily Mirror, a ideia de ter um treinador interino até o final da temporada é para ter tempo de ter o melhor candidato possível. Michael Carrick foi escolhido como interino, mas o clube pode escolher outro nome que dirigiria a equipe só até o fim da temporada. Entra aqui um dos problemas: achar um técnico que aceite essa posição. Para o longo prazo, o nome preferido é o de Pochettino.

“Eu acho que Mauricio Pochettino, embora nunca vá dizer isso, sairia para ir para o Manchester United em um contrato de cinco anos amanhã”, afirmou Gary Neville, comentarista da Sky Sports e ex-jogador do United. “Ele iria olhar o grupo de jogadores, olharia o clube e perceberia que provavelmente seria capaz de conseguir mais do que ele quer com o Manchester United em termos de projeto.

“No PSG, você fica temporada a temporada, em um modelo de ‘você tem que ganhar a Champions League ou está fora’. Não acho que isso se adeque a Pochettino. Acho que ele certamente iria para o Manchester United em um contrato de cinco anos, com apoio a ele”, continuou o ex-jogador.

De fato, Pochettino teve sucesso no seu trabalho no Tottenham com paciência e longo prazo – foram cinco anos no cargo. Ele reconstruiu pouco a pouco o clube, que não encontrou um substituto que conseguisse minimamente o mesmo depois que ele saiu. O United é paciente com seus treinadores e daria tempo para que ele trabalhasse e tirasse o potencial que acredita dos jogadores. Tudo isso, porém, é hipotético, uma vez que ele está empregado e não deve deixar o cargo no mínimo até o final da atual temporada.

Histórico de fracassos nos técnicos desde Ferguson

O Mirror relata que o United está convencido que não conseguirá trazer um técnico permanente neste momento da temporada e, assim, a opção de um técnico só até maio do ano que vem foi definida. O clube não estava preparado para demitir Solskjaer. Depois de ter um bom desempenho na temporada passada, terminando a Premier League em segundo, e com os reforços que chegaram, o que se esperava era que o técnico melhorasse o time. Sem isso, o clube ainda preferia manter o norueguês até o fim da temporada. A situação se tornou insustentável. E o clube parece pisar em ovos para não cometer os mesmos erros do passado.

Depois da aposentadoria de Alex Ferguson, em 2013, o escolhido foi quem o próprio escocês ajudou a definir: David Moyes. O contrato era de seis anos, mas ele durou só 10 meses antes de ser demitido. A escolha seguinte foi o que parecia uma ideia de vitória, mais do que estilo: Louis Van Gaal, que vinha de um bom trabalho na seleção holandesa. O futebol horroroso apresentado pelo time minou o crédito do neerlandês. Foi demitido depois de duas temporadas.

Depois disso, veio José Mourinho. Sua primeira temporada com os títulos da Community Shield, Copa da Liga e Liga Europa pareceu boa, mas o futebol na segunda temporada, longe da disputa pelo título apesar do segundo lugar, também acabou com a paciência do clube. Ele acabaria demitido na terceira temporada no cargo. Foi quando veio Solskjaer, em dezembro de 2018. Foram três anos até que ele também fosse demitido.

Antes de tudo, um interino

Antes de tudo, seria preciso um interino até o final da temporada. Um dos nomes que o site The Athletic levantou é o de Ralf Rangnick, 63 anos, um dos técnicos alemães mais influentes da atualidade. Ele ajudou a montar uma estrutura eficiente e que se tornou uma escola de treinadores no RB Leipzig. Ele, porém, assumiu um cargo de direção esportiva no Lokomotiv Moscou. Para sair, ele provavelmente teria que ser convencido que teria um cargo similar no United ao final da temporada.

Lucian Favre, ex-Borussia Dortmund, é um técnico disponível no mercado, mas que fez um trabalho muito questionável na temporada passada, até ser demitido em dezembro. Laurent Blanc, de 56 anos, é outro nome ventilado. Ex-técnico da seleção francesa e do PSG, atualmente trabalha no Catar. Ele foi jogador do United há 20 anos, então conhece o clube. Como está empregado, dificilmente sairia de lá para um posto interino.

Ernesto Valverde é outro nome disponível no mercado, que foi muito bem no Athletic Bilbao e conseguiu títulos no Barcelona, ainda que longe do encantamento que se esperava. Foi demitido pelos catalães e não trabalhou mais. Rudi Garcia, que dirigia o Lyon na temporada passada, é outro nome disponível que pode querer se aventurar. Ele levou os lioneses a uma semifinal de Champions League e conseguiu dois vice-campeonatos consecutivos com a Roma.

Steve Bruce, recentemente demitido pelo Newcastle, quer ser uma opção para o clube que defendeu por nove anos como jogador e do qual foi capitão. Ele acredita que poderia estabilizar o vestiário, mas é improvável que a diretoria do United sequer pense nele, mesmo como interino – ainda que o técnico esteja muito interessado, como relatou The Athletic.

Todos esses nomes seriam vistos com imensa desconfiança, o que poderia aumentar o desgaste. Algo que o clube queria evitar e, por isso, relutou tanto em demitir Solskjaer. Agora que o fez, precisa lidar com essa alternativa.

Opções permanentes

Para assumir o clube de forma permanente, o pensamento das pessoas que dirigem o Manchester United, especialmente os Glazers, é Mauricio Pochettino. Sabendo que ele dificilmente deixaria o cargo agora, a melhor opção seria esperar até o fim da temporada para isso.

Erik Tem Hag é visto como a segunda opção. O treinador tem feito um ótimo trabalho no Ajax e já foi sondado por vários clubes, mas preferiu permanecer em Amsterdã. Ele declarou que o seu único foco é o Ajax e se mostrou irritado em ter que ficar respondendo que seu trabalho é o Ajax.

Zinedine Zidane foi outro especulado, mas o treinador não teria interesse em trabalhar no Manchester United. Segundo a rádio COPE, o treinador não tem interesse no cargo neste momento. O francês teria mais interesse em outros cargos – como o PSG, que pode ficar vago se Pochettino for para o United, e a seleção francesa, que tem Didier Deschamps no comando até a Copa de 2022.

Outro nome que se falou foi o de Luis Enrique, técnico da seleção espanhola. Ao ser perguntado sobre isso, neste domingo, ele retrucou de maneira irônica: “Hoje é o Dia dos Inocentes?”, equivalente ao Dia da Mentira no Brasil. Na Espanha, esse dia é 28 de dezembro. Ele sequer quis entrar na questão, levantada inicialmente por uma informação da Sky Sports.

Como o United não estava preparado para este momento, tudo está sendo pensado de improviso. Ter um técnico interino é também uma forma de ganhar tempo. Dentro do clube, havia sérias dúvidas sobre Antonio Conte, não pela qualidade do seu trabalho, reconhecida em toda a Europa, mas porque ele costuma fazer exigências a curto prazo e mudanças significativas no elenco, além de não ser visto como um treinador a longo prazo para o clube. Diante das dúvidas, preferiram manter Solskjaer, mas essa decisão não se sustentou muito tempo. Conte foi para o Tottenham.

Pochettino parece o melhor nome e o United também pensa assim, mas a questão do timing é um problema. Esperar até o fim da temporada é um risco bastante grande. Seria preciso convencê-lo a vir já, o que é muito mais complicado. Até porque o próprio PSG não ia querer liberá-lo. No começo da temporada, os parisienses afastaram o Tottenham, que sondou o treinador para voltar ao antigo cargo.

O discurso no PSG, publicamente, é de apoio a Pochettino. A pressão sobre ele, porém, é gigantesca, porque o time se reforçou e parece estar naquele sistema de tudo ou nada que os treinadores que passam por lá vivem: ou ganha a Champions League, ou nada mais importa. E na temporada passada, ainda que ele tenha assumido no meio da campanha, o time perdeu o título para o Lille. Desta vez, nenhuma desculpa será o bastante, ainda mais com os reforços, especialmente Lionel Messi.

A demissão de Solskjaer pareceu inevitável. O problema é que agora o United parece não saber bem o que fazer. Esperar até o fim da temporada, como parecer ser o caminho preferido para os dirigentes, é um preço algo considerando que ainda há muitos jogos pela frente. Mas não é diferente do que o clube fez quando demitiu Mourinho. Solskjaer chegou como interino e, com os primeiros bons resultados, acabou efetivado. Resta saber o que será possível ao United.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo