Inglaterra

Bellinghamania: sensação do Real Madrid pode levar a Inglaterra à glória?

Jude Bellingham chegou ao Real Madrid e se tornou protagonista e já é um dos líderes da Inglaterra. Será ele quem vai permitir aos ingleses levarem taças para casa?

A grande história deste início de temporada é Jude Bellingham. Aos 20 anos, ele é o grande destaque do time mais midiático do mundo, o Real Madrid. É raro um jogador chegar a um time com o holofote do Real Madrid, sendo tão jovem, e ser tão dominante, protagonista e decisivo. O seu desempenho na seleção inglesa também empolga. Será Bellingham o nome que poderá levar a Inglaterra à glória e às taças e, enfim, levar a taça de volta para casa?

O fenômeno Bellingham vai muito além de um jogador que encaixa no time que chega. Seu destaque já acontecia no Borussia Dortmund, onde era um dos principais jogadores e se tornou rapidamente também um líder, mesmo que ainda muito jovem. Ele também fez uma grande Copa do Mundo, sendo titular da Inglaterra e tendo muito destaque nas suas atuações.

Mesmo assim, a forma como ele chegou ao Real Madrid e a forma como tem atuado pela seleção inglesa também chama a atenção. Seu nível que já era muito alto está ainda mais impressionante e ele já pinta hoje como um candidato a ser um jogador geracional, ou seja, ser uma referência desta geração, uma posição que se espera que Kylian Mbappé e até Erling Haaland ocupem.

A Inglaterra vive uma ascensão desde 2018, quando foi semifinalista na Copa do Mundo. Depois, em 2021, foi finalista da Eurocopa. Seria Bellingham o nome para levar os ingleses a enfim poderem cantar o “It’s coming home” (“Está vindo para casa”) com uma taça em casa?

De meia central à meia ofensivo (quase atacante)

O Real Madrid vive uma grande mudança para a temporada 2023/24. O técnico Carlo Ancelotti é conhecido por ser flexível na sua forma de jogar. Em vez do 4-3-3 da temporada passada, Ancelotti tem usado um 4-4-2, com Bellingham como a ponta mais avançada de um losango de meio-campo. Ele é quem mais se aproxima dos atacantes, que deixaram de ficar abertos para atuarem com mais liberdade e mais por dentro.

A principal mudança de uma temporada para outra é a saída de Karim Benzema. O centroavante era um dos melhores em sua posição no mundo e o Real Madrid contratou Joselu, um atacante veterano, que passou pelo clube ainda jovem. Não é um jogador que chega para vestir a camisa 9 e ser o titular, embora seja verdade que ele tem entregado bons desempenhos quando joga.

Bellingham tem sido um atacante por vezes, ainda que com um posicionamento mais recuado. Com atacantes como Rodrygo e Vinícius Júnior, naturalmente os espaços aparecem dentro da área. Bellingham tem sido competente em aproveitar para marcar gols que seriam típicos de centroavante, até na pequena área.

A sua transformação em um camisa 10 que chega tanto ao ataque influenciou também na seleção inglesa, onde ele passou a atuar com um pouco dessa liberdade. Com uma proteção de Declan Rice e Kalvin Phillips, Jude Bellingham tem atuado na linha da frente, com dois pontas pelos lados e o centroavante Harry Kane à frente. Foi assim contra a Itália, pelas Eliminatórias da Euro.

Mais perto de Kane, Bellingham tem participado muito mais dos lances ofensivos. É um jogador que se entende bem com Kane e ainda é uma ameaça tanto por baixo quanto pelo alto. Assim como no Real Madrid, Bellingham atua como um protagonista também pela seleção dos Three Lions e isso tem influenciado positivamente a equipe, que caminha tranquila rumo à Eurocopa 2024. 

Qualidades de liderança são ponto forte de Bellingham

O fato de Jude Bellingham ter apenas 20 anos assusta não só pela qualidade do jogo que é apresentado por ele, mas especialmente pela maturidade com a qual ele joga e, mais do que isso, lidera seus times. Não por acaso, Bellingham se tornou um dos líderes do Borussia Dortmund. O próprio jogador falou sobre isso quando vestiu a braçadeira dos aurinegros, em fevereiro de 2023.

A forma como o jogador organiza e lidera o time chama a atenção também no Real Madrid. Ele já parece se sentir em casa com companheiros como Vinícius Júnior, que foi o principal nome da equipe na temporada passada, e outros como Eduardo Camavinga, que também é jovem. A liderança é importante e ajuda a organizar o time em campo. 

É raro ter um jogador do mais alto nível com o perfil de liderança que Bellingham tem demonstrado. Com muita maturidade fora de campo, inclusive para entender que ele tem um papel de ser exemplo aos demais e que a visibilidade que ganhou também gera uma imensa responsabilidade. Essa responsabilidade às vezes pode ser um peso. Não para Bellingham.

Seria Bellingham um futuro Bola de Ouro?

Estar no Real Madrid ajuda muito que a Bellinghamania ganhe escala global. A capacidade de mídia e marketing que o Real Madrid causa é a junção do maior clube do mundo, em potencial midiático, com um jogador inglês, ou seja, acessível ao mercado em inglês, que atinge escala global mais facilmente. 

Não por acaso, Bellingham tem chamado a atenção pelo seu potencial também fora de campo. O inglês tem sido responsável por vender 10 vezes mais camisas do que Vinícius Júnior, segundo uma pessoa com informações internas contou ao Athletic. A popularidade do jogador é inegável e ele tem atingido patamares ainda mais altos com o seu desempenho em campo. Ele já é o jogador favorito no Santiago Bernabéu. 

Estar no Real Madrid e com esse holofote todo é que o jogador ganha capacidades muito maiores de ganhar a Bola de Ouro. Com o seu futebol e jogando pelo Real Madrid, essa possibilidade se torna mais plausível. Ele poderia ser o herdeiro, em certo aspecto, de Lionel Messi e Cristiano Ronaldo como um jogador do mais alto nível que é também uma máquina de marketing. Algo que Kylian Mbappé também tenta ser, mas é inegável que o PSG está em um patamar muito inferior nesse aspecto de holofotes e mesmo exposição e marketing.

Na verdade, Bellingham está mostrando a Mbappé por que ir para o Real Madrid é uma boa opção. O jogador ganha uma projeção gigantesca, que o torna uma máquina de marketing gigantesca. Com talento para entregar em campo, ele se torna naturalmente um líder de de um time que é ainda muito jovem.

Ainda mais porque Toni Kroos, 33 anos, e Luka Modric, 38, estão em seus últimos anos de contrato e parece cada vez mais claro que deve mesmo ser o último ano dos dois no clube. Sendo assim, Bellingham, aos 20 anos, pode assumir um papel de protagonismo e liderança por tudo que já mostrou até aqui e com um time com nomes como Camavinga (20 anos), Aurélien Tchouaméni (23), Federico Valverde (25), Arda Güller (18), Vinícius Júnior (23) e Rodrygo (22).

Com tudo isso, Bellingham pode assumir um papel de protagonismo que falta na seleção inglesa. Só Harry Kane tem esse perfil de liderança na equipe, mas com uma personalidade diferente. Bellingham é um jogador que assume a camisa 10 da Inglaterra, a responsabilidade e pode ser o grande jogador para liderar um time cheio de talentos dos ingleses. 

Foto de Felipe Lobo

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!). Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009, onde ficou até 2023.
Botão Voltar ao topo