Inglaterra

Por que Aston Villa pode vender brasileiro mesmo após se garantir na Champions League?

O clube de Birmingham está disposto a negociar Diego Carlos pelo salário alto e para se adequar ao fair play da PL

O Aston Villa foi uma das grandes surpresas da Premier League nesta temporada. Sob comando de Unai Emery, foi muito competitivo, bateu nos grandes (o campeão Manchester City tomou um baile em Birmingham) e terminou em quarto na competição, se classificando para Champions League após 41 anos. Agora, já pensando no planejamento de 2024/25, a gestão do time entende que deverá ouvir propostas por um dos titulares, segundo o jornal inglês The Telegraph.

Os Villans estão dispostos a negociar o zagueiro brasileiro Diego Carlos, de 31 anos, que já despertou interesse de outros clubes no passado. Segundo a reportagem, o salário de 100 mil libras por semana, ainda com dois anos de contrato, pesa para que o clube escolha negociá-lo. Eles também buscam se adequar às regras de lucro e sustentabilidade do Campeonato Inglês – termos que causaram punições em pontos para Nottingham Forest e Everton na temporada que acabou de terminar.

O Aston Villa também deverá se mexer na próxima janela de transferências e os custos desses novos jogadores podem ser compensados por uma venda de Diego Carlos, mesmo contando com o “inesperado” lucro de cerca de 50 milhões de libras pela ida à Champions.

A imprensa italiana já publicou anteriormente um interesse do Milan no defensor brasileiro, que, mesmo não dando um lucro muito grande ao Villa pela idade, deverá ajudar a aliviar a folha salarial.

Diego Carlos chegou à Birmingham no meio de 2022 por 31 milhões de euros e sofreu uma grave lesão no joelho já no primeiro mês de temporada. Foram mais de 200 dias de recuperação, só voltando no ano seguinte. Por isso, terminou 2022/23 com apenas três partidas na Premier League.

Em 23/24, aí, sim, vimos do que o brasileiro era capaz, relembrando a boa passagem anterior pelo Sevilla. Atuou em 27 rodadas do Campeonato Inglês e fez uma dupla ótima com o espanhol Pau Torres, essenciais na campanha história dos Villans.

– Um filme me vem à mente quando olho para trás e vejo o que fizemos nesta temporada, cada jogada, cada vitória e derrota foi importante para estarmos aqui. Obrigado a todos os torcedores pelo apoio incondicional, vocês fizeram história! Vejo vocês em breve! – celebrou Diego nas redes sociais.

Joia do Aston Villa desperta interesse na Inglaterra

Foram vários destaques do Villa nesta temporada. Além da boa zaga, Ollie Watkins foi, de longe, o melhor jogador do elenco, participando de incríveis 32 gols na campanha (mesmo número de Erling Haaland e apenas um a menos que Cole Palmer). O brasileiro Douglas Luiz também brilhou, dono do meio-campo ao lado do capitão McGinn. Mesmo com as lesões, o jovem Jacob Ramsey, de 22 anos, cria da base do clube, foi outro a se destacar e, pelo potencial, desperta interesse na Inglaterra, ainda segundo o Telegraph.

Tottenham, Newcastle e Liverpool seriam os admiradores do futebol do meia, que não quer deixar o time que defende desde os seis anos de idade. O clube só venderia o atleta se não conseguisse negociar outros colegas e precisasse arrecadar dinheiro. Qualquer assédio deve levar o preço de uma transferência de Ramsey para as alturas.

Os movimentos dos Villans para a próxima janela

Se a saída de Diego Carlos ainda não é uma certeza, a da dupla Clement Lenglet e Nicolo Zaniolo está confirmada. Emprestados, os dois voltarão para Barcelona e Galatasaray, respectivamente.

Como reforço, o Villa busca algum novo homem para o meio-campo. Um deles seria Ross Barkley, que segundo a imprensa local tem uma cláusula de rescisão baixa com o Luton Town. Conor Gallagher, do Chelsea, é outro interesse da equipe.

Na defesa, buscando alguém que possa jogar de zagueiro e lateral, o nome de Mario Hermoso, do Atlético de Madrid, surgiu. Ainda há a vontade de contar com um novo atacante.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo