EuropaHolanda

Ainda coube mais um gol do Feyenoord na retomada do baile contra o Ajax

Santiago Giménez completou sua tripleta e o Feyenoord ampliou suas marcas num clássico de final melancólico para o Ajax

O Feyenoord entrou em campo nesta quarta-feira e terminou de amassar o Ajax na Johan Cruyff Arena. A partida do último domingo acabou interrompida no meio do segundo tempo, quando o Stadionclub já vencia por 3 a 0. Em protesto, a torcida Ajacieden atirou sinalizadores em campo e provocou a suspensão do clássico. Nesta quarta, então, os dois times voltaram ao gramado para disputar os 35 minutos finais. E o clube de Roterdã aproveitou para ratificar sua superioridade com mais um gol, fechando a contagem em 4 a 0.

No domingo, Santiago Giménez anotou os dois primeiros gols do Feyenoord e Igor Paixão complementou o placar. Os sinalizadores foram atirados pela primeira vez no final do primeiro tempo, o que provocou uma interrupção de 20 minutos. Contudo, com a reincidência dos atos durante o segundo tempo, a arbitragem seguiu o protocolo vigente na Eredivisie e promoveu a suspensão do clássico. A decisão da organização do campeonato foi de retomar a parte final do duelo nesta quarta, com portões fechados.

O último gol da partida aconteceu logo de cara, aos 13 minutos do segundo tempo. Numa jogada pelo lado direito do ataque, Calvin Stengs avançou à linha de fundo e recuou o passe. Igor Paixão chutou mascado, mas Quinten Timber brigou pela bola na área. A sobra ficou limpa para Giménez estufar as redes e completar sua tripleta. O Ajax ainda teve mais posse de bola nesta reta final da partida, mas com pouca efetividade diante de um jogo mais do que resolvido.

Os recordes do Feyenoord

O resultado do Feyenoord auxiliou a estabelecer algumas marcas históricas, como salienta o ótimo Espreme a Laranja. Esta é a primeira vez desde 1987 que o Stadionclub consegue vencer dois clássicos seguidos na Johan Cruyff Arena. Também é a maior goleada sofrida pelo Ajax na Johan Cruyff Arena, igualando os 4 a 0 do PSV em 2005. Santiago Giménez ainda se transformou no primeiro jogador do Feyenoord a anotar uma tripleta contra os Ajacieden em Amsterdã desde 1960, quando Riny van Woerden conseguiu o feito.

O Feyenoord ocupa a quarta colocação da Eredivisie, com 14 pontos. São quatro vitórias e dois empates nesse início de campanha. A liderança é do PSV, que mantém os 100% de aproveitamento e chega aos 18 pontos. Os Boeren derrotaram o Go Ahead Eagles nesta quarta-feira. O AZ também pode chegar aos 18 pontos se vencer o Heracles nesta quinta-feira.

A crise no Ajax

O Ajax, por sua vez, vê sua crise se aprofundar. Os Godenzonen somam míseros cinco pontos em cinco partidas, com uma vitória e dois empates. A equipe aparece pouco acima da zona de rebaixamento, no 14° lugar. O clube anunciou a demissão do diretor de futebol Sven Mislintat, que estava sob investigação. Além dos péssimos resultados esportivos, o alemão é acusado de conflito de interesses em negócios realizados no mercado de transferências. Também saiu Piet Eringa, que encabeçava o conselho da presidência.

Quem também está na berlinda diante da crise é o técnico Maurice Steijn, trazido do Sparta Roterdã nesta temporada. O treinador conseguiu apenas duas vitórias em oito partidas à frente do clube, contando também os compromissos pela Liga Europa, e gera desconfianças por sua falta de experiência em alto nível. Nesta janela de transferências, o Ajax ainda decidiu fazer uma limpa no elenco em relação às lideranças. Os veteranos Dusan Tadic e Davy Klaassen tiveram suas saídas antecipadas sem custos, enquanto o clube vendeu destaques como Mohammed Kudus, Jurrien Timber e Edson Álvarez.

O Ajax ameaçou entrar na justiça contra a Eredivisie, por conta da remarcação dos 35 minutos finais contra o Feyenoord. O clube alegava que era “vítima do ocorrido” e que esta “não seria a melhor data para o clássico”. O Volendam também declarou sua insatisfação, já que deveria enfrentar os Ajacieden nesta quarta e a partida será remarcada. Os pequeninos têm mais argumentos que os Ajacieden, na verdade causadores do problema.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo