Games

Juventus, Atalanta, Roma e Lazio não estarão licenciadas no FIFA 22

Clubes aparecem com nomes genéricos na versão beta no simulador da EA Sports, que passa a ter menos clubes italianos licenciados

Não é de hoje que a luta por licença e uso de imagem nos games de futebol são verdadeiras novelas. E neste embate, a EA Sports parece estar sofrendo duros golpes para a sua próxima edição. O Campeonato Italiano, que já não contava com Juventus e Roma, também devem perder Lazio e Atalanta. Essa informação pôde ser confirmada pelos escolhidos para testar a versão beta do game, que apontaram os times da capital nomeados como Latium e Bergamo Calcio, respectivamente. A Serie A é um campeonato licenciado pela rival Konami no agora eFootball.

LEIA TAMBÉM: FIFA 22: A nova gameplay apresentada em detalhes

As equipes apesar de não terem escudo, uniforme e nome no FIFA, possuem os seus jogadores reproduzidos fielmente, inclusive nos modos online. Isso acontece porque as licenças relacionadas ao uso de imagem dos jogadores não é negociada com os clubes e sim com a FIFPro, o sindicato dos jogadores profissionais de futebol. Assim, ao escolher a Piemonte Calcio, nome genérico dado à Juventus, você consegue jogar com Cristiano Ronaldo, Dybala e companhia, embora não tenha a experiência completa. É um pouco melhor do que o Campeonato Brasileiro, por exemplo, que não reproduz os seus jogadores nos clubes e nem na Seleção Brasileira, masculina e feminina.

FIFA 21 Match Day ao Vivo (Nos menus)

O caso da Juventus é o mais emblemático na briga de direitos. Em 2018, o FIFA começou a divulgação do game com Cristiano Ronaldo na capa do FIFA 19 vestindo a camisa do Real Madrid. O que a EA Sports não contava era com a transferência do gajo para a equipe italiana. A situação foi contornada mudando o uniforme do jogador na identidade do game às vésperas do lançamento.

Enquanto isso, a concorrente direta Konami já se agitava nos bastidores para garantir os direitos exclusivos da equipe italiana. Na edição seguinte, a EA não só perdeu a possibilidade de continuar a dobradinha Cristiano Ronaldo e Real Madrid, que estampou as capas de 18 e 19, como também viu a concorrente colocar a Juventus na capa da sua edição do PES 20.

LEIA TAMBÉM: FIFA 22 terá comentarista mulher pela primeira vez na história da franquia

Brasileirão pode aparecer?

Aumentam os rumores da possibilidade do Campeonato Brasileiro ser finalmente licenciado no FIFA. Apesar da EA Sports não ter se posicionado sobre a questão, no mês de julho vazou na base de dados do FIFA 21 nomes de vários jogadores que atuam no Brasil, como Tiago Volpi, Daniel Alves, Hulk, Luiz Adriano e Gabriel Barbosa. Isso durou apenas uma madrugada, mas demonstra ao mínimo um teste na base do jogo e, quem sabe, a possibilidade da inclusão dos atletas na próxima versão do simulador de futebol.

Há diversos anos o Brasileirão não é reproduzido fielmente no FIFA. O número de clubes no campeonato não é fiel, os elencos são genéricos, não existe segunda divisão e apenas alguns clubes negociaram o uso de sua imagem. Com isso, os jogadores não podem ser encontrados em nenhum modo de jogo, seja online como Ultimate Team ou offline como o Modo Carreira. Ou seja, você pode até escolher o Palmeiras, por exemplo, mas quem vai estar sob as traves será Lucas Mantela e não Weverton.

A questão específica do Brasil envolve negociar com os clubes e também com os jogadores. Isso porque a CBF não é detentora das licenças dos clubes e nem dos jogadores, inclusive não sendo participante da FIFPro. Com isso, a Confederação pode apenas liberar o uso do logotipo, bola e troféu do campeonato — um licenciamento que a Konami fez, aliás.

Além disso, a Lei Pelé protege o jogador e garante a ele a negociação do uso de sua imagem. Diferentemente da Inglaterra, por exemplo, em que ao negociar com a Premier League e a EFL, responsável pelas divisões inferiores, os games garantem o uso completo de toda a identidade visual dos campeonatos, com a reprodução fiel de times e jogadores. Também não há sindicatos nacionais que representam os jogadores, como acontece, por exemplo, na Argentina e em Portugal.

Como garantiu as licenças das competições continentais Libertadores e Sul-Americana, o FIFA consegue trazer alguns clubes mesmo sem ter as duas licenças diretamente. Casos como Corinthians e Flamengo, que são exclusivos do Pro Evolution Soccer eFootball, até aparecem no simulador da EA, mas limitados ao uso nas competições continentais em que participaram no ano anterior.

Se você escolher jogar o simulador da Konami, terá uma experiência continental infinitamente melhor do que no game produzido pela empresa canadense. O PES conta com séries A e B do Campeonato Brasileiro totalmente licenciados, além de outros campeonatos sul-americanos, como o Campeonato Chileno e o Argentino, e um palco icônico como La Bombonera. Há diversos estádios brasileiros licenciados também.

Resta sabermos se a base de dados com os jogadores brasileiros não passou de um teste ou é sinal que há uma negociação para ter jogadores brasileiros. Quem sabe até haja um aumento de clubes e, em algum momento futuro, competições nacionais licenciadas. Por enquanto, só a Konami consegue ter isso.

Mostrar mais

João Belline

Jornalista de formação, louco dos esportes por opção. Depois de muito escalar Cartola, jogar Winning Eleven, escrever escalação dos sonhos no caderno e topar o dedão na rua, falar sobre futebol virou uma necessidade. É mais um leitor que buscou espaço no time da Trivela e entende que futebol está acima do clube.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo