Games

Gamepédia do Futebol – #15 European Club Soccer

Um clássico do começo dos anos 90 dedicou-se a exaltar o futebol europeu e a Champions League

Antes de apresentar o mais famoso título de games de futebol da história no próximo episódio, a Gamepédia continua a destacar títulos lançados no ano de 1992 – e que ano! Depois de Sensible Soccer, Super SideKicks e Striker, o episódio #15 da nossa enciclopédia de games de futebol traz uma série que insistiu em nomear jogos de Manchester United, mas fez sucesso justamente quando deixou a alcunha do time inglês de lado. Produzido por Virgin Games e Krisalis Software, o título da vez é o European Club Soccer.

A Krisalis Software foi uma desenvolvedora de games fundada em 1987 por Tony Kavanagh, Peter Harrap e Shaun Hollingworth em Rotherham, na Inglaterra. Fundada sob o nome de Teque Software, em 1991 ela assume o nome que carregou até sua dissolução em 2001. Lançando games desde o ano em que iniciou suas atividades, a Krisalis inicia sua jornada com simuladores de futebol em 1990, com Manchester United – sim! um jogo licenciado dos Diabos Vermelhos – e lança sua continuação no ano seguinte, Manchester United Europe. Utilizando a engine do game lançado no ano anterior, a empresa britânica realiza pequenos ajustes e publica em 1992, em parceria com a Virgin Games, European Club Soccer, visando o avanço em outros mercados além do europeu.

European Club Soccer, conhecido também como World Trophy Soccer, foi desenvolvido para o console Mega Drive e apresentava em sua maioria clubes do velho continente, em torno de 170 opções. Grosso modo, as equipes carregavam seus nomes, emblemas e uniforme corretamente. Se algum desses elementos não estivesse idêntico, fazia conexão direta ou mudava em poucos detalhes. Já os jogadores não apresentavam os nomes reais, mas também traziam referências. Caso curioso, o Rotherham United, agremiação que nunca disputou a primeira divisão, está presente no jogo como uma forma de homenagem à cidade natal da empresa.

Conteúdos relacionados

Na gameplay, o simulador de futebol da Krisalis é um game de dinâmica horizontal, com câmera isométrica similar às cabines de transmissão e jogabilidade simplista. São basicamente dois comandos de passe, bola alta ou passe rasteiro, e ao segurar o botão transforma-se em finalização. Comparado aos arcades da época, European Club Soccer é bem menos frenético e apresenta a opção de jogo mais cadenciado. Apesar de não seguir padrões táticos fielmente, apresentou nos menus pré-jogo 6 opções de formação para organizar o time em campo.

No aspecto visual, o jogo é um convite para a estética que perdura até hoje nos simuladores de futebol de sucesso. Os jogadores têm proporções e movimentações bastante realistas e o cenário está rodeado de elementos que compõem o ambiente de uma partida real de futebol – árbitros, assistentes, fotógrafos, placas de publicidade, banco de reservas, técnicos e, é claro, a torcida. Em determinados momentos, como intervalo e final da partida, há a inserção de telas com gravuras do árbitro ou dos jogadores para explicar o que está acontecendo no momento. Num geral, é um jogo com o audiovisual muito bem feito para a época.

Em termos de inovação, o jogo foi pioneiro em apresentar substituições durante a partida e o primeiro a colocar números nas costas dos jogadores. Além disso, no ecrã os nomes e números dos jogadores são apresentados na faixa inferior ao tomarem posse da bola. Outro fator de novidade foi a possibilidade de editar cada parte dos uniformes das equipes – com a única objeção de não repetir uma peça da mesma cor do adversário.

Com tantas boas novas adições e uma dinâmica de jogo bem honesta, European Club Soccer foi um sucesso de vendas e liderou o mercado britânico. Dentre as suas diferentes edições, é possível inclusive jogar a Champions League – com a orelhuda representada fielmente – e o Mundial de Clubes. O jogo também foi distribuído na América do Norte e no Japão, em 1992 e 1993 respectivamente. A Krisalis Software continuou a produzir jogos de futebol até 2001, quando encerrou suas atividades, e a maioria deles foi dedicada ao Manchester United e ao futebol inglês.

Mostrar mais

João Belline

Jornalista de formação, louco dos esportes por opção. Depois de muito escalar Cartola, jogar Winning Eleven, escrever escalação dos sonhos no caderno e topar o dedão na rua, falar sobre futebol virou uma necessidade. É mais um leitor que buscou espaço no time da Trivela e entende que futebol está acima do clube.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo