Games

Gamepédia do Futebol #12: Super Sidekicks

Primeiro jogo de futebol da SNK trazia o arcade para o gramado virtual

Os anos 90 são responsáveis por vários títulos marcantes na história dos games de futebol. Se a década de 80 é essencial pelos primeiros jogos e pela popularização do nicho, é no período seguinte que o sucesso comercial acontece de fato. No capítulo 12 da nossa Gamepédia, a enciclopédia de games de futebol, mais uma empresa japonesa chega ao mercado de videogames e lança uma série marcante para infância de diversas crianças da época. Não poderia ficar de fora: Super SideKicks.

Iniciando suas atividades em 1973 com aparelhos e programas eletrônicos, a Shin Nihon Kikaku – em japonês, Projeto Novo Japão – pegou carona nos arcades de sucesso como Pong, da Atari, e Space Invaders, da Taito. Reorganizada e registrada oficialmente em 1978, a SNK lançou Ozma Wars, seu primeiro fliperama, no ano seguinte. Em 1985, a empresa japonesa foi além dos arcades e passou a desenvolver jogos para consoles da Nintendo. Cinco anos depois, em 1990, a SNK lançou o Neo Geo – que não batia de frente com Sega e Nintendo, pois não focava em consumo doméstico e tinha como clientes comércios de games e eventos. Este console é a plataforma que recebe o primeiro simulador de futebol da empresa.

Dentre os principais títulos da história da SNK, destacam-se King of Fighters, Metal Slug, Fatal Fury e Samurai Shodown. Todos esses jogos trazem uma dinâmica de combate moldada no arcade e um apelo visual e sonoro muito intenso. Esta mesma identidade foi utilizada para construir o primeiro jogo de futebol da empresa japonesa. Super SideKicks é um jogo de câmera lateral, ataque horizontal e dinâmica de jogo muito acelerada. Como é um arcade, os comandos são muito simples e inclusive o ecrã apresenta dicas de ações recorrentemente acima do jogador controlado.

Ao iniciar o jogo, o usuário já entende rapidamente a linguagem de Super SideKicks: muito colorido, com sonorização intensa, belos enquadramentos e bons gráficos em 16 bits. Existem dois modos de jogo: o “VS Mode” e o “SNK Cup”. O primeiro deles é o clássico multiplayer de 1 contra 1. O segundo é uma copa de dois grupos de 6 equipes. No grupo A estão Alemanha, Itália, Espanha, Inglaterra, México e Japão. No B, Argentina, Holanda, Brasil, França, Estados Unidos e Coreia do Sul. Nesta tela está o único aspecto tático do jogo: as equipes apresentam diferentes esquemas táticos – que não podem ser alterados e não há substituições. Todas as equipes do grupo se enfrentam e duas equipes são classificadas para as semifinais. Caso vença as duas partidas, a seleção vencedora recebe a taça da Copa do Mundo.

Na gameplay, o simulador da SNK apresenta partidas de três minutos de duração, com o relógio parando quando a bola sai. Com uma dinâmica de jogo muito intensa, os confrontos físicos são um dos destaques de Super SideKicks. Há duas formas de recuperar a bola – empurrão ou carrinho – e, apesar de haver faltas, os árbitros são bem permissivos. Como diferenciais, o título apresentava uma melhora gráfica significativa e adicionava desenhos e animações em determinados momentos do jogo – fazendo com que este fosse o simulador de futebol mais animado da época. Além das cenas, o game possibilitava movimentos criativos, como a finalização de bicicleta. Com o avanço nas fases da Copa, a dificuldade do jogo também aumentava.

O sucesso do título fez com que Super SideKicks se tornasse uma série com mais dois jogos, lançados em 1994 e 1995. As mudanças de câmera e a dinâmica de jogo arcade foram a linha condutora entre os três títulos da franquia e fizeram com que o simulador da SNK arrebatasse diversos fãs. Posteriormente, a empresa japonesa também lançou mais dois jogos de futebol: The Ultimate 11: SNK Football Championship, em 1996, e Neo Geo Cup ’98: The Road to the Victory, em 1998. Hoje, estes jogos são facilmente encontrados para jogar online ou em emuladores e, caso tenha batido uma nostalgia, você pode se divertir com o primeiro título da franquia neste link.

Mostrar mais

João Belline

Jornalista de formação, louco dos esportes por opção. Depois de muito escalar Cartola, jogar Winning Eleven, escrever escalação dos sonhos no caderno e topar o dedão na rua, falar sobre futebol virou uma necessidade. É mais um leitor que buscou espaço no time da Trivela e entende que futebol está acima do clube.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo