Games

FIFA confirma times e terá 13 clubes brasileiros, mas sem jogadores licenciados

O jogo contará com mais de 30 ligas, 700 clubes e 17 mil jogadores na sua versão inicial

O FIFA 22 será lançado no próximo dia 1º de outubro e, como preparação, está divulgando suas últimas novidades para aquecer o público antes do grande dia. Em nota oficial em seu site, a EA Sports confirmou nesta sexta todas as ligas e clubes presentes na nova edição do simulador de futebol da franquia. O lado positivo fica com os campeonatos ingleses e alemães, que contam com as suas divisões de acesso profissionais presentes no jogo, e com a inserção de Boca Juniors e River Plate, que não tinham seu licenciamento em todos os modos na edição anterior. A nota negativa fica para a presença brasileira, que não terá os jogadores licenciados em suas duas seleções – feminina e masculina – e nos clubes, tanto os presentes na liga brasileira quanto nas competições continentais.

Dentre os mais de 700 times jogáveis no simulador de futebol, o Brasil conta com 13 clubes licenciados em sua liga nacional: Athletico Paranaense, Atlético Mineiro, Atlético Goianiense, Bahia, Ceará, Chapecoense, Cuiabá, Fluminense, Fortaleza, Grêmio, Internacional, Juventude e Santos. Os brasileiros confirmados no título da EA Sports estarão presentes em todos os modos de jogo, com uniformes e nomes corretos, mas com jogadores descaracterizados. Pensando no Ultimate Team, principal modo de jogo do título, o usuário poderá utilizar os uniformes e emblemas para customizar seu time, mas não terá os jogadores para adicionar ao seu esquadrão pessoal. Nos times nacionais, as duas seleções brasileiras são as únicas que estão presentes no game e não contam os atletas licenciados. Nada de Marta, nada de Neymar. 

De acordo com a classificação para as competições continentais, Libertadores e Sul-Americana, mais times podem ser adicionados no FIFA. Isso porque a franquia tem acordo com a Conmebol de uso de nome, emblema e uniforme das agremiações que disputam suas competições. Na edição 2021, por exemplo, o Corinthians – que é exclusivo do concorrente Pro Evolution Soccer – foi adicionado ao game depois de iniciar sua participação na Sul-Americana.

Mesmo que com os jogadores genéricos, o gamer mais fanático pode editar os jogadores para parecerem-se com os reais e utilizar o clube no modo específico da competição – e apenas nele. Neste momento, Flamengo, Palmeiras, São Paulo, Corinthians e Red Bull Bragantino foram adicionados ao jogo pelo acordo com a federação que representa o futebol sul-americano. Como o jogo ultrapassa a temporada brasileira, haverá alteração futura de acordo com as tabelas da edições 2022 das competições.

Os jogadores brasileiros foram fielmente representados até a edição de 2016 do título da EA Sports. A mudança aconteceu porque a empresa começou a sofrer processos de jogadores brasileiros pelo uso indevido das suas imagens e – como forma de defesa e seguindo a determinação judicial – a EA retirou os objetos da ação dos seus games.

Diferentemente de outras ligas, como a Premier League, o Campeonato Brasileiro não conta com uma liga ou sindicato que detenha os direitos de uso da imagem dos jogadores. Ao negociar com o clube, não está garantido o uso das características dos atletas, apenas de nome, uniforme e escudo das agremiações. No caso inglês, por exemplo, a produtora negocia apenas dois contratos: um com a liga, que garante as informações da liga e dos clubes, e outro com o sindicato de jogadores, que licencia o uso das imagens dos jogadores. No caso brasileiro, tudo está pulverizado e demanda diversas negociações de licença: a CBF detém os direitos do campeonato, os 20 clubes negociam seus próprios direitos e os jogadores são os detentores individuais. Chutando por baixo, são pelo menos 500 contratos, considerando 25 jogadores em cada elenco.

Ainda que o cenário seja pouco animador, adições ao longo da temporada não estão descartadas completamente. Apesar da EA Sports não ter se posicionado sobre a questão, no mês de julho vazou na base de dados do FIFA 21 nomes de vários jogadores que atuam no Brasil, como Tiago Volpi, Daniel Alves, Hulk, Luiz Adriano e Gabriel Barbosa. Isso durou apenas uma madrugada, mas demonstra ao mínimo um teste na base do jogo e, quem sabe, a possibilidade da inclusão dos atletas na próxima versão do simulador de futebol.

Mostrar mais

João Belline

Jornalista de formação, louco dos esportes por opção. Depois de muito escalar Cartola, jogar Winning Eleven, escrever escalação dos sonhos no caderno e topar o dedão na rua, falar sobre futebol virou uma necessidade. É mais um leitor que buscou espaço no time da Trivela e entende que futebol está acima do clube.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo