Futebol feminino

Quem é a primeira mulher de raiz africana a se tornar acionista de um clube de futebol

A ex-jogadora Eniola Aluko, natural de Lagos (Nigéria), faz história ao adquirir participação acionária significativa do FC Como, da Itália

Eniola Aluko, ex-jogadora da Seleção Inglesa, fez história ao se tornar a primeira mulher negra a adquirir uma participação acionária significativa em um clube. Trata-se da equipe feminina do FC Como, da Itália. O time disputa a 1ª divisão do futebol italiano e está localizado na região ao redor do Lago Como, conhecida por seus residentes abastados, como George Clooney e Richard Branson.

Fundado em 2020, o Como manda suas partidas em Seregno, comuna da região da Lombardia, que fica aproximadamente 22 quilômetros ao sul do lago. A modesta equipe atrai uma média de 1.700 torcedores por jogo e seu estádio comporta aproximadamente 3.700 pessoas.

Trajetória de Eniola Aluko

Nascida em Lagos (maior cidade da Nigéria), Eniola Aluko é filha de pais nigerianos e se mudou para a Inglaterra junto de seus entes, ainda quando criança.

Naturalizada inglesa, Eniola atuava como atacante e defendeu os seguintes clubes: Birmingham City, Charlton Athletic, Chelsea, Atlanta Beat e Juventus. Ela disputou 102 partidas pela seleção e fez parte das conquistas de medalha de bronze na Copa do Mundo de 2015 e prata na Eurocopa de 2009.

Eniola Aluko aposentou-se do futebol profissional em 2020 e, desde então, tem se aventurado em diversas frentes futebolísticas. A ex-jogadora já foi diretora de futebol feminino do Aston Villa e, recentemente, ocupou o cargo de diretora esportiva do Angel City, deixando o cargo no ano passado. Além disso, atua também como comentarista em veículos de imprensa.

Por meio de sua conta no “X” (antigo Twitter), Eniola Aluko confirmou que fez história ao se tornar a primeira mulher negra a adquirir um clube de futebol. Este marco foi alcançado através do envolvimento da ex-atacante com um consórcio de propriedade de 100 milhões de dólares, denominado Mercury 13, que comprou as ações maioritárias do Como.

A aquisição pelo grupo Mercury 13, com Eni Aluko no comando, quebra paradigmas e representa um marco significativo na história do futebol italiano. É uma vitória para lá de expressiva da diversidade e inclusão no esporte.

A página “The Numbers Game”, que aborda negócios do esporte no Instagram, publicou em conjunto com Eniola Aluko o feito histórico da nova proprietária do FC Como. Confira abaixo:

“Eni Aluko torna-se a 1ª proprietária de clube de futebol feminino negra na Itália como parte do grupo multiclubes Mercury 13, que está pronto para investir 100 milhões de dólares na aquisição de equipes de futebol feminino na Itália. Sua primeira aquisição vem após comprar uma participação controladora no time feminino italiano Como Woman. Após a aposentadoria, Aluko concentrou-se principalmente na transmissão (comentarista) de futebol, mas juntou-se ao Mercury 13 para se aventurar na propriedade esportiva, enquanto inspirou investidores esportivos negros e propriedade negra em geral”, diz a publicação.

Eniola é irmã de Sone Aluko

A família de Eniola respira futebol. Seu irmão, Sone Aluko, joga como atacante e defende atualmente o Ipswich Town, da Championship (2ª divisão inglesa). Ele começou sua carreira no Birmingham City e estreou profissionalmente em 2007. Antes de se juntar ao Ipswich no ano de 2021, Sone passou pelos seguintes times: Aberdeen (Escócia), Blackpool (Inglaterra), Rangers (Escócia), Hull City (Inglaterra), Fulham (Inglaterra), Reading (Inglaterra) e Beijing Chengfeng (China).

Na atual temporada, Sone Aluko disputou apenas sete partidas e marcou um gol. O Ipswich Town, clube do atacante de 35 anos, tem 89 pontos ganhos após 43 rodadas e lidera a Championship.

Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo