Futebol feminino

Paulistão Feminino: São Paulo tenta superar tabu em finais contra o Corinthians

São Paulo tem dois vices diante do Corinthians em decisões do Paulistão Feminino, mas aposta em bom momento para superar rival

O São Paulo tenta espantar um tabu contra o Corinthians no Paulistão Feminino. No terceiro encontro entre as equipes pela decisão do campeonato estadual, as Brabas do Timão somam dois títulos – 2019 e 2021. Nesta edição, a equipe tricolor tem a oportunidade da espantar a sina diante do clube alvinegro. A primeira partida do Clássico Majestoso será disputada na Vila Belmiro, neste domingo (19), a partir das 16h.

Busca pelo primeiro título do Paulistão após o retorno do futebol feminino

A trajetória do São Paulo no estadual paulista começou antes dos anos 2000. Em 1997 e 1999, as tricolores conquistaram o torneio, ainda nos primórdios da competição da Federação Paulista (FPF), mas não conseguiram sair do vice em outras três oportunidades: 2015, 2019 e 2021.

– Para conseguir enfrentá-las, primeiro você tem que se defender muito bem, conseguir neutralizar as ações que eles têm, tanto de chegada quanto de área, de dois contra um no jogo curto, que eles sempre criam essa vantagem. Existem várias formas de se enfrentar e, para todas elas, eles conseguem algum tipo de solução. Você tem que vir com o antídoto e com o antídoto na sequência. Sabemos que será bem difícil, estamos nos preparando para todos os cenários possíveis e pensamos que primeiro temos que nos defender muito bem, fazer um jogo sólido defensivamente para daí conseguir colocar nosso jogo em prática, temos um contra-ataque muito forte e estar atento às bolas paradas que eles sabemos que podem decidir esses jogos – afirmou o técnico Thiago Viana, que assumiu a equipe após a saída de Lucas Piccinato, durante a coletiva da final.

– A gente estuda bastante o Corinthians, vemos que é um time que tem inúmeras saídas para resolver problemas diferentes. Ao meu ver, que acompanho o projeto há muito tempo, é o melhor ano desse projeto, dessa equipe do Corinthians. Acho que tiveram outros bons momentos também, mas os próprios resultados mostram isso, chegaram em todas as finais e foram campeões. Então, a gente estuda bastante, entendemos que é um time que ataca com muita gente, sempre chega com cinco pisando dentro da área.

Corinthians busca “melhor temporada” após saída de Arthur Elias

Nos últimos cinco anos, o Corinthians chegou em três decisões do Paulistão Feminino (sem contar com a desta temporada) e conquistou os três títulos. Agora, busca o tetracampeonato após a saída do técnico Arthur Elias, que assumiu a Seleção Feminina no fim de outubro. Quem vai comandar o Timão nessa reta final da competição é o interino Rodrigo Iglesias, então assistente de Arthur, que só deve deixar a comissão corintiana ao fim da temporada.

– Se formos campeões, será o melhor ano. Como vínhamos falando, o desenvolvimento de todos os times, inclusive o nosso foi nítido, os confrontos, as características. Não só em nível Brasil ou São Paulo, que é um núcleo forte do futebol feminino, mas também a Libertadores trouxe isso. Os resultados foram extremamente positivos para um ano em que as dificuldades foram muito maiores em relação a confrontos técnicos, táticos, físicos e mentais. Todos se desenvolveram muito mais. Estamos na quarta final, beirando o quarto título, o que seria algo realmente inédito – afirmou Iglesias.

Nesta final, sete jogadoras do Corinthians vão viver novamente as emoções de uma final estadual diante do São Paulo: Lelê e Kemelli (goleira reserva), Katiuscia, Gabi Zanotti, Vic Albuquerque e Grazi, além da lateral Tamires, uma das mais vitoriosas jogadoras do Timão.

– A gente sente essa pressão gostosa dentro de campo. A gente quer dar vitória, deixar o torcedor feliz, sabendo o peso dessa camisa, nossa e do adversário. Os estádios lotados só motivam a gente mais e mais. Ser essa referência para tantas meninas que, assim como a gente, sonharam em ser jogadoras e hoje tem mais oportunidade deixa a gente muito feliz – disse Tamires.

Foto de Livia Camillo

Livia Camillo

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, escreve sobre futebol há cinco anos e também fala sobre games e cultura pop por aí. Antes, passou por Terra, UOL, Riot Games Brasil e por agências de assessoria de imprensa e criação de conteúdo online.
Botão Voltar ao topo