Futebol feminino

Com Neo Química Arena quase vazia, Corinthians domina a Ferroviária e fica a um passo do tri da Supercopa Feminina

Corinthians bateu a Ferroviária por 2 a 0 em partida muito movimentada, com direito a desabafo de Gabi Portilho por falta de público

Em mais uma apresentação dominante, o Corinthians carimbou a vaga na final da Supercopa Feminina e está a uma vitória do tricampeonato da competição. Nesta quinta-feira (15), as Brabas do Timão venceram a Ferroviária por 2 a 0, com pouquíssimo público na Neo Química Arena, com gols de Mariza e Gabi Zanotti, para confirmar mais uma presença na decisão do torneio – a terceira de três possíveis.

O Corinthians chegou embalado para o confronto depois de uma goleada convincente sobre o Internacional, no Beira-Rio, por 4 a 2. Em duas partidas com o técnico Lucas Piccinato no comando, o time alvinegro tem 100% de aproveitamento. Já a Ferroviária tinha se classificado após uma disputa muito equilibrada diante do Flamengo, que terminou num empate sem gols. A Guerreiras Grenás avançaram nos pênaltis.

No próximo domingo (18), o Timão enfrenta o Cruzeiro, que passou por Real Brasília e Avaí/Kindermann durante a competição. O mando de campo da decisão será do time paulista, tendo como base as campanhas das duas equipes – uma vez que ambas avançaram com vitórias, o saldo de gols superior das Brabas foi o que contou.

Nesta edição, a CBF pagará uma premiação histórica para os finalistas da Supercopa Feminina. O valor total é de R$ 1 milhão, sendo R$ 600 mil para o campeão e R$ 400 mil para o vice.

Corinthians faz bonito mesmo com seis desfalques

No confronto desta quinta-feira, Lucas Piccinato teve seis baixas por lesão: Lelê (que sofreu uma ruptura completa no LCA do joelho), Erika, Ellen, Carol Nogueira e Jhonson, além de Daniela Arias. Desta forma, o time foi a campo com mudanças significativas, mas que funcionaram bem diante de uma compacta e bem postada Ferroviária.

O Corinthians abriu o placar em cobrança de falta do lado direito, aos 26 minutos da primeira etapa. Yasmin cobrou com categoria, a bola pingou dentro da área da goleira Luciana, e Mariza aproveitou a deixa para só empurrar para o fundo das redes. A camisa 1 não teve tempo de reagir.

Depois do gol, as Brabas do Timão dominaram as ações pelo resto do primeiro tempo, com muitas subidas ao ataque. Por fim, Gabi Zanotti fechou o placar antes do apito do intervalo. Gabi Portilho fez linda jogada pela direita, deixou três marcadoras da Ferrinha na saudade e só tocou para o meio da pequena área. Livre, Zanotti bateu de primeira e superou Luciana.

O segundo tempo foi mais corrido, com mais oportunidades para as visitantes, mas nada que assustasse tanto Kemelli. O melhor momento da Guerreiras Grenás foi em uma cobrança de falta, próximo aos 15 minutos da etapa final, que obrigou a arqueira a fazer uma ponte para defender.

Gabi Portilho fala em “vergonha” com Neo Química quase vazia

Na saída de campo, a atacante Gabi Portilho soltou o verbo sobre o pouco público na partida desta quinta-feira. Por conta do horário da partida, realizada no meio da tarde de um dia útil, foram apenas 8.943 torcedores presentes nas arquibancadas.

– Primeiramente, estou muito feliz de chegar a mais uma final com essa camisa pesada. Não é fácil, são muitas adversidades. É aquilo que a gente sempre vem batendo na tecla, né? Futebol feminino não é um favor. Com um jogo como esse, a rivalidade é muito grande. Poderia ter sido um jogo um pouco mais tarde pra lotar a Neo Química Arena, porque isso não valoriza apenas o Corinthians futebol feminino… Isso valoriza o futebol feminino brasileiro, porque quando a gente bate recorde, não é o Corinthians batendo recorde, é o futebol feminino brasileiro – disparou a jogadora.

– Então, eu espero que nessa final a gente possa lotar a arena, porque jogar em casa é muito bom, é o 12º jogador, e faz diferença a gente jogar em casa. As coisas não podem ser como vem acontecendo, está sendo vergonhoso. Eu acho que o Corinthians é gigante. Se quiser, eu dou até uma água pra não engolir a gente a seco, porque está triste tudo o que a gente está vivendo. Mas eu espero que no domingo a gente possa lotar e fazer um grande jogo contra o Cruzeiro, que também é uma equipe muito qualificada.

Botão Voltar ao topo