Copa do Mundo Feminina

Lauren James fica fora por dois jogos: como isso impacta a Inglaterra?

Lauren James desfalca seleção inglesa nas quartas de final e em uma suposta semi, caso a equipe passe pela Colômbia no próximo sábado (12)

A estrela Lauren James pegou um gancho de dois jogos pela Inglaterra, suspensão que valerá para as quartas de final da Copa do Mundo Feminina e para a próxima partida internacional. Ou seja, se a seleção inglesa avançar à semifinal, não poderá contar com a atacante em campo. No entanto, essa ausência pode custar alto para as britânicas. 

A Trivela analisa o desfalque da Inglaterra, com a ajuda da repórter Maria Tereza Santos, da Premier League Brasil, e a importância da punição para James durante o Mundial. 

Punição de Lauren James foi recado necessário da Fifa

O Comitê Disciplinar da Fifa decidiu punir a jogadora inglesa após o pisão nas costas de Michelle Alozie, da Nigéria, enquanto a adversária estava caída no chão. A princípio, a árbitra da partida havia punido James com um cartão amarelo, mas, após a revisão do VAR, decidiu expulsá-la de campo. 

O ato da atacante, considerado antidesportivo pelo corpo de arbitragem, ganhou as instâncias superiores da entidade máxima do futebol. Assim, ela foi enquadrada em uma violação do artigo 14 do Código Disciplinar da Fifa. 

LEIA MAIS: Pia em xeque: tudo o que sabemos sobre a possível saída da técnica da seleção

Por mais que esse tipo de conduta seja até comum no esporte, uma vez que atletas são seres humanos e estão sujeitos a perderem o controle, o recado passado através da punição foi necessário. Isso porque a modalidade feminina criou em seu entorno um ambiente de fair play diferente do masculino, muito mais apurado. 

– Foi um lance muito infantil e imaturo, coisa de uma atleta que não tem experiência em Copa do Mundo. Essa é a primeira vez que ela disputa o torneio – ponderou Maria Tereza, da PLB. 

Neste sentido, a suspensão não funciona apenas como uma punição para Lauren, mas também como um aviso de que o ambiente do futebol feminino não tolera atitudes antidesportivas. 

Pedido de desculpas de Lauren James

Na última terça-feira (8), a atacante do Chelsea publicou um pedido de desculpas para Alozie, que havia se manifestado sobre o episódio nas redes sociais. A troca de mensagens foi amistosa e comprova a evolução do fair play dentro da modalidade. 

– Por favor, descanse. Estamos jogando no palco do mundo. Este jogo é de paixão, emoções intransponíveis e momentos. Todo o respeito por Lauren James – escreveu Michelle.

Todo meu amor e respeito a você. Sinto muito pelo que aconteceu. Além disso, para os torcedores da Inglaterra e meus companheiros de equipe, jogar com e para vocês é minha maior honra e prometo aprender com minha experiência – respondeu Lauren.

Inglaterra x Colômbia: como a ausência de Lauren James vai impactar?

Se por um lado a punição é boa notícia para o ecossistema da Copa Feminina, a Inglaterra só tem a lamentar pela ausência de sua principal finalizadora. Por aliar velocidade e oportunismo, Lauren faz um papel importante dentro do esquema tático das Leoas, tanto com gols quanto com assistências. 

Ao todo, a camisa 7 já balançou as redes três vezes e deu três assistências, o que representa 75% de participação nos oito gols marcados pela Inglaterra nesta competição.  

Das formações mais utilizadas pela técnica Sarina Wiegman, tanto o 4-3-3 quanto o 4-2-3-1 tinham Keira Walsh, meio-campista, como o “coração” da seleção e James, referência no ataque, como fator surpresa. 

A coisa começou a desandar quando Keira sofreu com dores no joelho ainda na fase de grupos, contra a Dinamarca, e deixou o campo de maca. Ela retornou depois do jogo contra a China, para disputar as oitavas de final. Já contra a Nigéria, que tem um sistema defensivo muito forte, o encaixe do esquema com Walsh e James deixou a desejar. 

– Sarina já fez movimentações na formação tática desde que a Copa começou, justamente porque não estava funcionando. A partir do jogo contra a China, ela mudou a formação para um 3-5-2, colocando a Lauren James na posição de uma camisa 10, mesmo ela não sendo. Funcionou bem contra a China, mas não funcionou tão bem contra a Nigéria, e a Inglaterra só conseguiu passar nos pênaltis porque estava melhor preparada (emocionalmente) – disse a repórter da Premier League Brasil. 

Agora, a treinadora vai ter que adaptar sua escalação novamente. Para o confronto contra a criativa e talentosa Colômbia, nas quartas de final, no próximo sábado (12), às 7h30 (horário de Brasília), um novo desfalque vai assombrar a comandante holandesa. 

– Fica o ponto de interrogação sobre o que a Sarina vai fazer nesses próximos jogos sem a Lauren. Se ela quiser manter essa formação feita contra a Nigéria, a substituta natural dela seria a Ella Toone, porém a jogadora está sem ritmo e não foi bem nos jogos em que entrou. Ela (Sarina) também tem a opção de voltar para uma de suas formações favoritas, 4-3-3. A substituta da Lauren, neste caso, seria a Chloe Kelly, que tem muito poder de decisão – acrescentou Maria Tereza.

Foto de Livia Camillo

Livia Camillo

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, escreve sobre futebol há cinco anos e também fala sobre games e cultura pop por aí. Antes, passou por Terra, UOL, Riot Games Brasil e por agências de assessoria de imprensa e criação de conteúdo online.
Botão Voltar ao topo