Copa do Mundo Feminina

Fifa resgata 1º gol do Brasil, mas Elane lamenta ‘falta de respeito’ com atraso

Gol histórico aconteceu na Copa de 1991 contra o Japão; autora do feito trabalha hoje como motorista e não conseguirá ver a seleção

“Perdido” há mais de 30 anos, o primeiro gol do Brasil em Copas do Mundo foi divulgado pela Fifa nesta quinta-feira (20) através de suas redes sociais oficiais. De autoria da capitã da seleção, a zagueira Elane dos Santos, o lance que aconteceu no Mundial de estreia da modalidade, em 1991, na China, ficou escondido nos registros da própria entidade.

– Fiquei tão surpresa quanto você. Recebi o vídeo ontem à noite da Leda (ex-companheira de seleção), mas nem cheguei a ver, porque já estava dormindo. Eu acordo às 4h da manhã para trabalhar. Claro que me surpreendi, mas foi só mais uma falta de respeito. Não me abala mais – contou a ex-jogadora em entrevista à Trivela

RESUMÃO: Perdeu algum lance do 1º dia da Copa? Saiba tudo que rolou

O gol não tinha registro veiculado até agora, mas, segundo apurou a reportagem, a Fifa possui as imagens de todos os jogos da história da Copa Feminina. Elas não haviam sido divulgadas porque ninguém adquiriu os direitos de transmissão na época. Contudo, mesmo depois de décadas, a joia continuou guardada. 

Os jogos completos das Copas só foram publicados junto com o lançamento do Fifa+, streaming oficial da entidade, em abril de 2022. São mais de 40 mil partidas (entre jogos masculinos e femininos). 

A informação também surpreendeu Elane que, aos 55 anos, nunca havia assistido à sua própria conquista.

“Naquela época ninguém quis comprar os direitos, mas de uns anos para cá se tem falado tanto das pioneiras. Se eles tinham isso desde sempre, por que nunca divulgaram? Só por causa dos direitos de transmissão? É um desrespeito não só comigo, mas com a história do futebol feminino – questionou. 

ESPECIAL: Um mapa interativo com as 736 convocadas à Copa do Mundo Feminina

Aquele foi o único gol do Brasil na campanha da Copa do Mundo de 1991. Na sequência, a equipe acabou perdendo duas partidas seguidas para Estados Unidos e Suécia – com direito a gol da sueca Pia Sundhage, atual treinadora da seleção – e foi eliminada ainda na fase de grupos.

A Trivela entrou em contato com a Fifa, mas não obteve resposta até o fechamento desta reportagem. 

Gol de Elane foi reproduzido até em maquete

A jogada emblemática chegou a ser reconstituída por uma patrocinadora da seleção, em 2019, e usada em uma campanha. Na época, sem o vídeo original, o lance foi recriado com dublês para a peça publicitária, exibida no intervalo da partida entre Brasil e Argentina, pelo Torneio Uber Internacional Feminino. 

Por alguns minutos, a torcida presente no Pacaembu parou para se emocionar ao ver a história de Elane – e do futebol feminino brasileiro – ser contada. 

– Eu fiz aquela campanha para a Fiat, que recriou o gol sem ter qualquer acesso a imagens, porque simplesmente não acharam. Eles foram atrás e não conseguiram. Não tem no YouTube e em lugar nenhum. Se o que eles (a Fifa) queriam era esconder o gol, então fizeram direitinho – ponderou. 

Maquete na exposição “Rainhas de Copas” que reconstitui o primeiro gol da seleção brasileira (Foto: Divulgação)

Disponível ao público no Museu do Futebol até agosto, a exposição “Rainhas de Copas” reconstitui a história da seleção feminina desde o torneio experimental, em 1988, e do primeiro Mundial. Até então, o próprio museu não tinha o registro do gol de Elane. 

– Fiquei me perguntando… Onde conseguiram isso se não existia essa imagem? Até mesmo as pesquisadoras que estão reconstruindo a história das pioneiras estão atrás dessa imagem há tempos – lembrou a ex-atleta. 

A equipe organizadora do evento reconstruiu o gol através de uma maquete. A historiadora Aira Bonfim, uma das curadoras da exposição, lamentou o atraso de 30 anos. 

– Eles abrem a caixinha da memória quando é conveniente. Foi importante divulgarmos que esse gol não existia, porque não existia mesmo! Nunca abriram a caixa de Pandora e agora temos esse presente. Quando recebemos, imediatamente acionamos o museu. O vídeo subiu na plataforma ontem – disse. 

Elane teve a história de seu gol contada pelo Museu do Futebol (Foto: CBF)

Pioneira da seleção não vai conseguir assistir aos jogos do Brasil 

Motorista há mais de uma década, Elane não poderá assistir aos jogos da seleção brasileira por conta da escala de trabalho. O expediente da pioneira começa ainda na madrugada e vai até o início da tarde, período em que os jogos estão sendo transmitidos devido ao fuso horário da Austrália e da Nova Zelândia.

– Não vou assistir aos jogos da seleção porque realmente não vou conseguir. Não dá para conciliar as duas coisas nem se eu quiser, porque sou motorista. Eu queria muito ver, mas essa é a situação das pioneiras. Nós temos que trabalhar para nos mantermos. Essa é a minha prioridade hoje.

Foto de Livia Camillo

Livia Camillo

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, escreve sobre futebol há cinco anos e também fala sobre games e cultura pop por aí. Antes, passou por Terra, UOL, Riot Games Brasil e por agências de assessoria de imprensa e criação de conteúdo online.
Botão Voltar ao topo