Champions League Feminina

O PSG feminino deu uma aula de Champions League para o masculino

Com vitória por 2 a 1, PSG leva um gol de vantagem para a volta, na França, daqui uma semana

Quem achou que o PSG passearia na Bravida Arena nesta quarta-feira (20) achou errado. As meninas de Paris lutaram contra as donas da casa, o Häcken, e só conseguiram sair com um de vantagem: 2 a 1. Enquanto as suecas só acordaram para o jogo quando sofriam gols adversários, as visitantes dominavam a posse e tentavam achar espaços por quase todos os momentos do jogo.

No fim, terminaram recompensadas e estão com um de vantagem nas das quartas de final da Champions League feminina. A partida de volta, na França, acontece em 28 de março. Fica a lição para a versão masculina do Paris, que sempre dá margem para muitas zebras na competição continental.

O vencedor desta eliminatória enfrenta Benfica ou Lyon. Vale citar que a ida foi vencida pelas francesas, por 2 a 1, em Portugal. Ou seja, há uma grande chance de clássico francês na semifinal.

1º tempo tem reviravoltas e termina empatado

Dá para dizer que foi um jogo bem abaixo tecnicamente nos primeiros 20 minutos. O Häcken, como o time inferior, se defendia em um bloco baixo, normalmente no 4-4-2, e nem queria saber de atacar quando tinha a bola. Mais com a posse, o clube parisiense rodava para lá e para cá a pelota e sofria para encontrar qualquer espaço na defesa adversária. Nesse período, foram apenas duas finalizações, sendo uma bloqueada pelo lado mandante e outra para fora das francesas.

Se pelo chão a dificuldade era notória, um caminho para furar esse bloqueio era a bola parada — e assim que as coisas se encaminharam para o PSG. Primeiro, em escanteio curto, a defesa do clube sueco afastou mal e Sakina Karchaoui pegou de primeira, na entrada da área, para a primeira (e boa) defesa de Jennifer Falk. Pouco depois, a ala que finalizou a jogada anterior seria a responsável por levantar na segunda trave uma cobrada pela lateral esquerda. Tabitha Chawinga finalizou de cabeça, a goleira sueca soltou para o meio da área e a zagueira Eva Gaetino apareceu para empurrar para as redes.

Por um período pós-gol, o time visitante seguiu melhor, mas o Häcken ia finalizando de longe, ganhando espaço no campo de defesa francês. Após dois chutes de fora da área que passaram perto do gol, Anna Anvegard recebeu um cruzamento na área que a deixou com boas chances de marcar, só que a zagueira Thiniba Samoura a empurrou, pênalti marcado. Rosa Kafaji partiu para cobrança e Katarzyna Kiedrzynek fez uma grande defesa, mas, no rebote, a meia sueca empurrou para as redes de cabeça.

Foi um primeiro tempo de altos e baixos, com o fim marcados pelas donas da casa ainda melhor após serem dominadas no início.

PSG começa melhor, abre o placar, e Häcken busca (Foto: Icon Sport)

Roteiro segue igual, mas dessa vez PSG marca e não permite empate sueco

Para etapa final, o jogo voltou aquele roteiro visto no início do primeiro: um PSG tinha muita posse e pouca efetividade para atacar. Tirando o gol anulado de Chawinga, logo no início, as francesas não voltaram a assustar a meta de Falk. Enquanto isso, o Häcken parecia satisfeito com o empate.

A partir de mudanças dos técnicos, a partida foi ganhando outro ritmo e, quando o time da casa deu espaço para o PSG contra-atacar, foi mortal. Pouco antes do relógio marcar meia hora, a equipe visitante puxou ataque rápido e vertical por dentro e acionou Amalie Vangsgaard na direita, que chegou levantando na área. A defesa sueca afastou mal de novo e a bola sobrou nos pés de Chawinga, agora sim, marcar um gol que valeu e deu a vantagem ao clube parisiense.

Novamente, o Häcken acordou com o gol sofrido. Se aproveitando de erro na saída de bola, Kafaji exigiu ótima defesa de Kiedrzynek, que precisou se esticar toda para evitar novo empate. Mas não tinha mais tanto tempo para as suecas se recuperarem e terminaram derrotadas após cinco minutos de acréscimos.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo