Champions League Feminina

Lyon freia conto de fadas do Benfica e vira para largar na frente na Champions Feminina

Após primeiro tempo ruim, Lyon volta melhor do intervalo, consegue virada contra Benfica e coloca um pé nas semifinais

Nesta terça-feira (19), Benfica e Lyon mediram forças no Estádio da Luz, em jogo válido pela ida das quartas de final da Champions League Feminina. O confronto significa muito para ambas as equipes, mas tem um gostinho especial no lado lusitano da força. Afinal, esta é a primeira vez na história que uma equipe portuguesa feminina alcança um mata-mata de Champions.

Apesar de toda empolgação, as jogadoras do Benfica deixaram o campo frustradas com o resultado. Após largar na frente no 1º tempo, o time português foi completamente dominado na etapa complementar e viu o Lyon virar a partida. 2 a 1 e vantagem francesa no segundo jogo.

O duelo de volta entre Lyon e Benfica está marcado para o próximo dia 27 de março (quarta-feira). A bola rola a partir das 14h45 (horário de Brasília), no Groupama Stadium, casa do clube francês.

No melhor momento do Lyon no 1º tempo, Andreia Faria abre o placar para o Benfica

Mesmo ciente da experiência e superioridade técnica do Lyon, o Benfica não se acovardou. Pelo contrário. Motivada com a classificação histórica ao mata-mata da Champions, a equipe portuguesa começou melhor, se aproveitou do fator casa e pressionou o time francês nos primeiros minutos. As mandantes marcaram forte a saída de bola das adversárias e por muito pouco não abriram o placar com Andrea Falcón. Após falha na defesa do Lyon, a meio-campista espanhola foi acionada e acertou a trave.

Aos poucos, o Lyon foi se acertando em campo e ‘entrando no jogo’. A equipe francesa subiu suas linhas, se livrou da forte pressão do Benfica e passou a oferecer perigo, sobretudo no lado esquerdo. Delphine Cascarino e Le Sommer mostraram que o entrosamento estava em dia e infernizaram a defesa portuguesa. Se não fosse pelas intervenções providenciais da goleira Lena Pauels, o placar teria sido alterado a favor das visitantes.

Quando tudo caminhava para um 0 a 0 no 1º tempo, eis que Andreia Faria tratou de abrir a contagem para as lusitanas. Atenta, a camisa 6 interceptou o passe curto da zagueira Griedge Mbock na defesa, saiu cara a cara com a goleira Christiane Endler e não desperdiçou.

Lyon busca virada e mostra porque é o maior campeão da Champions Feminina

Precisando correr atrás do prejuízo, o Lyon tomou a iniciativa no 2º tempo e aumentou a intensidade no ataque. Apesar do ímpeto ofensivo e vontade de empatar o jogo, as francesas pecavam no último passe e facilitavam o trabalho da defesa benfiquista no terço final de campo. A equipe da casa, por sua vez, passou a jogar no erro da adversária e a atacar os espaços cedidos. Esta foi a configuração de boa parte da etapa complementar.

Logo após perder chance clara com Kadidiatou Diani, o Lyon conseguiu empatar. Na base da paciência e perseverança, as francesas descolaram boa trama pelo lado direito e enfim venceram Lena Pauels. Carpenter invadiu a área, levantou a cabeça, cruzou rasteiro e encontrou Melchie Dumonay. Com desvio de letra, sutil, a camisa 6 sem querer (ou não) deixou Cascarino na boa para marcar. Livre de marcação, a atacante só teve o trabalho de empurrar.

A reta final de jogo foi um verdadeiro bombardeio francês. O Lyon não se deu por satisfeito com o empate e buscou incessantemente a virada. E foi recompensado por isso. Aos 34′, Sara Däbritz se posicionou entre as defensoras do Benfica na área, recebeu cruzamento vindo da direita e testou consciente, decretando a vitória do maior campeão da Champions Feminina.

Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Jornalista pela UNESA, nascido e criado no Rio de Janeiro. Cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na Trivela, é redator e escreve sobre futebol brasileiro e internacional.
Botão Voltar ao topo