Campeonato Brasileiro Feminino

Em noite de protesto contra assédio sexual, Corinthians goleia o América-MG pelo Brasileirão Feminino

Com retorno de Erika, que ficou mais de um ano afastada por lesão, Corinthians goleia o América-MG por 4 a 1

Menos de 72 horas após vencer o Grêmio por 3 a 0, no Rio Grande do Sul, o Corinthians viajou, treinou e voltou a campo, pela segunda rodada do Brasileiro Feminino. Em noite de protestos contra os abusos sofridos pelas mulheres no futebol, nesta quinta-feira (21), as Brabas do Timão venceram o América Mineiro por 4 a 1, no Parque São Jorge, e seguem 100% no campeonato.

Duda Sampaio, Yaya, Mariza e Tarciane marcaram na goleada do Timão, enquanto Gadu fez o gol das visitantes.

A partida também marcou a saída de Cris Gambaré do cargo de diretora do futebol feminino do Timão, após oito anos. A dirigente recebeu homenagens ao longo de todo o dia.

Timão impõe respeito dentro de casa

Logo nos primeiros dois minutos de partida, cada uma das equipes marcou um gol. O América saiu na frente no primeiro ataque da partida, com Gadu. A camisa 9 das Spartanas aproveitou uma bobeira da defesa alvinegra para abrir o placar.

Nem deu tempo de respirar e, no minuto seguinte, Eudimilla encontrou um passe milimétrico para Duda Sampaio bater firme no canto esquerdo da goleira Tainá, ex-Corinthians. Antes do intervalo, Duda Sampaio levantou na área para Yaya, que desviou a bola com a ponta da chuteira para virar o placar.

No retorno do segundo tempo, o Timão estava bem mais à vontade e completou a goleada de forma bem mais tranquila, em duas bolas paradas. Primeiro, aos 6 minutos, Tamires cobrou escanteio, e Mariza só teve o trabalho de empurrar para o fundo da rede. Exatos 10 minutos depois, Tarciane ampliou o resultado de cabeça.

Ato de resistência antes do apito inicial

Numa semana de muitas notícias tristes no mundo do futebol feminino, com casos de assédio sexual em foco, as jogadoras de Corinthians e América-MG se uniram num ato de protesto contra a violência de gênero.

— Antes do jogo de hoje, os dois times ajoelharam no gramado, com o punho erguido, em solidariedade à Ariane Falavinia, fisioterapeuta da Ferroviária, vitima de assédio na última partida da equipe no Campeonato Brasileiro, e também a todas as atletas que denunciaram abusos nesta semana, em matéria publicada pelo ge — informou a assessoria do clube.

A repórter Camila Alves, do ge, publicou um levantamento realizado com 200 jogadoras das Séries A, B e C do Brasileirão Feminino. Nesta pesquisa, atletas denunciam casos de assédio e abuso sexual, sob a condição de anonimato, e contam episódios que viveram.

Jogadoras se ajoelham com punhos cerrados antes do apito inicial entre Corinthians x América-MG (Foto: Reprodução/Corinthians TV)

Erika de volta após grave lesão

Após duas temporadas de drama, Erika voltou a atuar pelo Corinthians. A zagueira  de 36 anos não entrava em uma partida oficial desde dezembro de 2022, quando sofreu uma recaída do rompimento sofrido no ligamento cruzado anterior do joelho (LCA), no ano anterior.

Erika é jogadora do Corinthians desde 2018 e já conquistou 12 títulos com a camisa alvinegra. Ela soma 91 jogos e 14 gols pelo clube.

Dia Internacional da Síndrome de Down

Além das homenagens para Erika, a equipe feminina do Corinthians também promoveu celebrações ao Dia Internacional da Síndrome de Down. Torcedores portadores da síndrome acompanharam o dia das Brabas, antes da partida, e entraram com as atletas em campo para o hino nacional.

Foto de Livia Camillo

Livia Camillo

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, escreve sobre futebol há cinco anos e também fala sobre games e cultura pop por aí. Antes, passou por Terra, UOL, Riot Games Brasil e por agências de assessoria de imprensa e criação de conteúdo online.
Botão Voltar ao topo