França

Tcheks Play: como a França quer criar uma identidade como o Joga Bonito do Brasil ou Tiki-Taka da Espanha

Conheça o Tcheks Play, a identidade proposta pelos franceses no futebol

Bicampeã do mundo e com inúmeras promessas para o futuro, a França é uma das grandes potências do futebol mundial atualmente. Visando construir uma hegemonia no esporte, os Bleus também querem construir uma identidade própria, como o Joga Bonito, do Brasil, e o Tiki-Taka, da Espanha. Nesse cenário, surgiu o Tcheks Play.

Nascida nos bairros franceses, o estilo de jogo virou tendência no TikTok nas últimas semanas e atraiu interessados do futebol profissional e amador do país. Só que isso não ficou restrito às redes sociais, já que acabou virando um grito de guerra entre os aspirantes dos Bleus e tem tudo para se tornar uma filosofia própria.

O que é o Tcheks Play?

Segundo a revista francesa So Foot, Tcheks Play foi criado por La Maniane, tiktoker parisiense com mais de 80 mil seguidores. Com seu característico óculos de sol nos vídeos, ele compartilha suas análises do futebol e é porta-voz de “uma filosofia própria”. A gíria deriva da palavra bairro, em francês, para tieks e depois para tcheks, mostrando que pode ser adotado por todos.

O teórico desta “nova ideologia do jogo juvenil” recusa ter inventado qualquer coisa. Para La Maniane, apenas se deu uma palavra para uma realidade antiga, mas nunca conceitualizada. Com um léxico próprio tingido de dialetos africanos, Tcheks Play é um “movimento de emancipação, uma vontade de expressar a personalidade de cada indivíduo através do futebol”.

A identidade nasceu na capital do país, mas rapidamente se espalhou por toda a juventude francesa, segundo o influenciador. Tcheks Play liga a prática do jogo ao prazer, ao esporte praticado nas ruas, mas que conseguiu ultrapassar esses limites e atingiu uma geração de diversas classes sociais. Além disso, La Maniane acredita que a filosofia também pode ser vista fora de seu país, assim como na dança e no basquete.

O mestre pensador alega que “Zinedine Zidane foi o percursor do Tchecks Play”. Nicolas Anelka, a geração de 87 de Karim Benzema, e até mesmo Neymar, são alguns exemplos do estilo de jogo. O tiktoker também diz que essa emancipação dos jovens no futebol acontece diante de uma “robotização” do futebol atual.

Seleção Francesa Sub-21 abraça a nova identidade

Para se ter ideia da importância das ideias transmitidas por La Maniane, até mesmo a Seleção Francesa Sub-21 abraçou essa nova identidade. Para ele, o movimento ganhou força em agosto deste ano, quando Thierry Henry assumiu como técnico dos Bleus da categoria e da Sub-23, que vai disputar os Jogos Olímpicos de Paris em 2024.

O histórico atacante chegou com a missão de classificar a França à Eurocopa Sub-21 de 2025. Até o momento, a equipe de Henry está se dando bem, pois lidera o Grupo H das Eliminatórias com nove pontos em quatro rodadas, sendo 15 gols marcados e apenas três sofridos. E a coroação do Tcheks Play aconteceu justamente em um desses jogos.

No dia 17 de outubro, os garotos franceses golearam o Chipre por 9 x 0, em casa, com um desempenho impecável. Diante das câmeras da Federação Francesa de Futebol (FFF), Elye Wahi, do Lens, e Mathys Tel, do Bayern de Munique, atribuíram as boas atuações ao Hakilo – outro termo cunhado por La Maniane.

Lucas Gourna-Douath, do Red Bull Salzburg e indicado ao Golden Boy, não deixou dúvidas sobre a importância do estilo nomeado pelo influenciador:

“É o Tcheks Play, é a nossa identidade, é a identidade dos franceses”.

O tiktoker também levanta um importante debate sobre a formação dos jogadores franceses e sua relação com o futebol amador. A ousadia dos atletas que marcaram sua geração no passado não dialogam com o esporte moderno. Para La Maniane, não existe uma ponte entre essas escolas.

Ele ainda diz que os atletas que aspiram o profissionalismo no futebol se veem como produtos, e muitas vezes esses jovens acabam sendo boicotados nos menores atos por terem milhares de sonhadores à espera de uma oportunidade. Ou seja, a padronização do futebol de alto nível fica totalmente desligada do mundo real e das características individuais de cada jogador e seus valores (não monetários, mas sim de personalidade).

O influenciador ainda alega que o Brasil perdeu sua identidade, sua magia. O Joga Bonito, o futebol de gueto, que trouxe as cinco taças de Copa do Mundo. La Maniane grita por um confronto de identidades entre os jogadores, para que eles possam ser como os meninos que jogavam nas ruas e transmitam felicidade através do esporte. É disso que se trata o Tcheks Play.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Unesp, é apaixonado por esportes, acima de tudo o futebol. Por mais redundante que seja, ama escrever sobre o que é apaixonado, ficando de olho em tudo o que acontece dentro e fora de campo. Após passar por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia, se juntou à equipe da Trivela com muita vontade de continuar crescendo.
Botão Voltar ao topo