França

De Zerbi está perto de aceitar novo desafio, e o destino do italiano vai te surpreender

Técnico italiano está livre no mercado depois de duas temporadas à frente do Brighton

Quase um mês após deixar o comando do Brighton, Roberto De Zerbi está perto de assumir uma nova equipe. Trata-se do Olympique de Marseille, que busca um técnico no mercado desde a aposentadoria de Jean-Louis Gasset ao término da última temporada.

Pode-se dizer que o movimento é surpreendente, já que o ex-Brighton esteve na pauta de clubes pesados da Europa, como Chelsea, Manchester United e Bayern de Munique.

Segundo o jornalista Fabrizio Romano, as tratativas entre De Zerbi e Olympique de Marseille evoluíram bem nos últimos dias, e o acordo é questão de tempo.

O treinador italiano assinará contrato de três anos — válido até junho de 2027.

Além de acertar com De Zerbi, o Marseille terá que pagar 6 milhões de euros ao Brighton. Isso se deve ao fato do italiano ainda ter contrato com o clube inglês que, por sua vez, deve anunciar Fabian Hürzeler em breve.

Antes de deixar o Brighton, a cláusula de rescisão de De Zerbi era de 15 milhões de euros. A decisão de interromper o trabalho — tomada em conjunto por clube e profissional — fez tal montante cair para 6 milhões de euros.

Carreira de Roberto De Zerbi

Roberto De Zerbi foi jogador profissional e fez carreira na Itália, tendo passado por clubes como Milan, Napoli, Salernitana, Brescia, entre outros.

Pouco depois de se aposentar dos gramados, De Zerbi voltou ao futebol como técnico do Darfo Boario, equipe da Série D italiana na época.

Entre 2014 e 2018, comandou Foggia, Palermo e Benevento, antes de assumir o Sassuolo — onde desenvolveu seu primeiro trabalho de destaque na beira do campo.

As três temporadas de sucesso no Neroverdi chamaram atenção do Shakhtar Donetsk, que contratou De Zerbi em 2021.

Campeão da Supercopa da Ucrânia naquele mesmo ano, o técnico italiano não durou muito no cargo. Sua passagem pelo clube foi abreviada por conta da guerra entre Rússia e Ucrânia. Em comum acordo, De Zerbi deixou o Shakhtar em julho de 2022.

Livre no mercado, ele assumiu o comando do Brighton no início de 2022/23, conduzindo a equipe à sexta colocação da Premier League e assegurando classificação à Liga Europa. Na atual temporada, porém, o desempenho caiu vertiginosamente, e os Seagulls amargaram campanhas ruins em todas as frentes.

De Zerbi comandou o Brighton nas últimas duas temporadas (Foto: Icon Sport)

Por que De Zerbi deixou o Brighton?

O Brighton decepcionou na última temporada. Eliminado precocemente de mata-matas caseiros e da Liga Europa, o clube amargou o 11º lugar na Premier League. Isso certamente minou o trabalho de De Zerbi, mas não foi o ponto crucial para queda do italiano.

Apesar da queda de produção do Brighton dentro das quatro linhas, De Zerbi saiu por um fator extracampo. Diferenças implacáveis ​​entre o treinador e o presidente Tony Bloom sobre como o clube deveria se comportar no mercado de transferências: eis o principal motivo.

Enquanto a direção do Brighton prioriza contratações de jovens (até os 23 anos) a um custo relativamente baixo ou de jogadores na faixa dos 30 anos, que acumulem passagens por clubes de ponta, De Zerbi é adepto do meio-termo.

O italiano não aprova nenhum dos dois extremos e prefere atletas na faixa dos 25 anos, com recordes estabelecidos e carreira em ascensão. Mais caro, tal perfil não se encaixa na visão de Tony Bloom.

As missões do técnico italiano no Marseille

Oitavo colocado na última edição da Ligue 1, o Olympique de Marseille deseja repetir o sucesso de temporadas anteriores, quando assegurou um vice-campeonato (2021/22) e um terceiro lugar (2022/23).

Retornar à Champions League é o grande objetivo do clube para 2024/25 e, por isso, o arrojado movimento buscando Roberto De Zerbi. Além da Ligue 1, o Marseille disputará também a Copa da França, torneio que não conquista desde 1988/89.

Foto de Guilherme Calvano

Guilherme CalvanoRedator

Jornalista pela UNESA, nascido e criado no Rio de Janeiro. Cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na Trivela, é redator e escreve sobre futebol brasileiro e internacional.
Botão Voltar ao topo