Europa

Vini Jr. nunca foi tão candidato à Bola de Ouro

Craque brasileiro do Real tem grandes chances nessa temporada

A Bola de Ouro, o prêmio mais desejado pelos jogadores de futebol, nunca esteve tão próximo do brasileiro Vinícius Júnior. A tradicional premiação do jornal “L´Équipe” e da revista “France Football” analisa os melhores do mundo sob a ótica europeia. Em temporadas de Copa do Mundo esse parâmetro sofre alguma alteração. Mas, em geral, é o desempenho na Champions League que determina o vencedor.

Vini é o cara do Real Madrid. Nas últimas 17 partidas de mata-mata pela Champions, ele participou de 17 gols. Fez oito e deu passe para nove. Ele é o complemento perfeito para os passes açucarados de ritmistas como Tony Kroos e Luka Modric. Os arqueiros encontraram a flecha ideal.

Claro que a sequência da Champions é que ditará o humor dos que votarão na premiação. Em caso de eliminação do Real para o Bayern, Vini perderá eleitores. Se os merengues avançarem e ele continuar sendo decisivo, suas chances aumentam exponencialmente.

O momento é favorável ao brasileiro. Já basta de prêmios que são mais homenagens à carreira de Messi do que reconhecimento ao desempeno do gênio argentino. Ele e Cristiano Ronaldo vivem outra realidade. Haaland está em má fase, e Mbappè oscila como seu PSG.

O Dortmund não tem uma estrela que brilhe mais que o time. No Bayern há candidatos, mas nenhum com o perfil de Vini. O brasileiro tem o estilo mais vistoso, as jogadas mais espetaculares e a forma de jogar do time de Carlo Ancelotti conspira a favor de seu protagonismo.

Além dos gols marcados na primeira perna da semifinal europeia, em Munique, um lance em especial chamou a atenção. No segundo tempo, após cortar uma bola ao avançar a marcação, Vini viu Ancelotti pedir calma a ele. O brasileiro reagiu dizendo algo que pareceu “vamos jogar, vamos pra cima”, não sou um especialista em leitura labial.

A coragem com que enfrenta os frequentes casos de racismo praticados contra ele está se refletindo em maturidade para o atacante brasileiro. Vinícius faz questão de cobrar providências das autoridades espanholas e não se abala em campo. A impressão que fica é que usa as provocações como combustível para sua luta contra o racismo e faz do desempenho cada vez melhor uma ferramenta.

Com um cartel de 20 gols marcados na Champions, sendo um deles na final de 2021/22, Vini é hoje o melhor jogador brasileiro em atividade. Sigo achando que Neymar tem mais predicados de craque, é um atleta mais completo. Mas Neymar está lesionado e seu auge físico já passou.

Caso tudo dê certo para Vini e o Real, além da Champions e uma eventual Bola de Ouro, pode vir um bônus para a seleção brasileira. O cargo de líder técnico do elenco está vago. Com o selo de melhor do mundo, Vini tem tudo para assumir o posto.

Foto de Mauricio Noriega

Mauricio Noriega

Colunista da Trivela
Botão Voltar ao topo