Europa

Partizan barra arrancada histórica do Estrela Vermelha

O panorama para o maior dérbi sérvio e talvez um dos maiores da Europa era todo contra o Estrela Vermelha. Apesar da recuperação fantástica na tabela e a diminuição da margem do Partizan de 11 para apenas 2 pontos, os Heróis não conseguiram lidar com a superioridade dos seus arquirrivais em campo e perderam por 1 a 0 com gol de Jojic.

Por pouco não foi uma incrível história de recuperação, talvez a maior arrancada que o clube sérvio já viu em toda a sua história. Enquanto desfrutava de tranquilidade na liderança, o Partizan começou a encontrar problemas estruturais graves em seu elenco.

Jornais do país revelam uma certa acomodação de alguns jogadores, ao ponto de aparecerem bêbados em treinamentos e frequentarem jogos em outros países, como Lazar Markovic, cobiçado pelo Chelsea e que tem sido presença frequente no Stamford Bridge.

O passado não serve como consolo para o Estrela Vermelha

É sabido que os dois grandes de Belgrado conseguem fazer excelente trabalho de base, revelando vários talentos exportados para o resto da Europa. Ao mesmo tempo que os dois entram em campo para decidir quem sairá vencedor e com o favoritismo para as próximas duas rodadas, o passado manda um recado.

Finalistas da Copa dos Campeões em 1966, os alvinegros precisaram ver o outro lado da rivalidade conquistar quase tudo no fim da década de 1980 e início dos anos 90. O título europeu do Estrela Vermelha em cima do Marseille em 1991 foi a maior prova do sucesso que só deixa lembranças, mas não heranças concretas das glórias conquistadas.

Atravessando a sua pior crise, o Estrela já chegou a expor publicamente sua escassez de recursos que levou ao atraso de salário dos seus atletas, que chegaram a passar fome sem esse dinheiro. A demissão do técnico Aleksandar Jankovic para a vinda de Ricardo Sá Pinto parece ter mexido com o brio do grupo alvirrubro.

Já são cinco anos consecutivos em que o Partizan conquista a liga sérvia e este domínio parece estar longe de terminar. Sem as ferramentas necessárias para impedir a hegemonia alvinegra, o Estrela Vermelha pode apenas contar com a sua determinação enquanto não se recupera de uma sequência de más administrações.

Festa dos coveiros no Partizana

Sabendo de tudo isso, o Partizan entrou em campo diante de sua fanática torcida para enterrar de vez os adversários. Enquanto a massa conhecida como “Coveiros” acendia sinalizadores nas arquibancadas, o time respondia em campo.

Pressionando a todo momento, os donos da casa exploraram todos os espaços disponíveis e fizeram o arqueiro Bajkovic trabalhar como há tempos não fazia. Mitrovic perdeu pelo menos três chances claras de abrir o placar e frustrou os presentes.

Também não era hoje que a paz iria reinar no gramado. As divididas violentas, pisões e cotoveladas ocorriam a quase todo momento, mas nenhuma expulsão foi decretada pelo árbitro até o último minuto, quando Maksimovic acertou Sasa Markovic, o arremessando nas placas de publicidade. Em pelo menos cinco lances o cartão vermelho se fez necessário.

Em cima do Estrela Vermelha, o Partizan viveu a tensão e o amplo favoritismo até o minuto 90, quando o reserva Jojic entrou para cobrar uma falta que mudaria a história do dérbi. Acertando o ângulo de Bajkovic, o camisa 39 deixou a sua equipe muito próxima do sexto título nacional consecutivo, igualando a marca dos Heróis em 25 títulos nacionais, sendo cinco deles após a era em que a Sérvia se separou de Montenegro (2006).

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo