Champions LeagueEuropa

O Fabrício europeu? Português é expulso na Champions por gestos à torcida

A cena de Fabrício já se tornou um clássico. Irritado com as vaias da torcida do Internacional, o lateral deixou a bola para responder aos detratores. Abriu caminho para a sua saída do clube. A atitude explosiva, é claro, não é exclusividade do brasileiro. E teve episódio parecido nesta terça-feira, durante as fases preliminares da Champions League. O Dinamo Zagreb só empatou em casa contra o Molde, no primeiro encontro pela penúltima fase de classificação do torneio. Noite infeliz especialmente para Paulo Machado, que acabou expulso justamente pelos gestos que fez em direção à torcida.

Para sorte do Dinamo, o meio-campista não deixou sua equipe em desvantagem numérica. Sua raiva veio aos 20 minutos do segundo tempo, quando era substituído. Quando Marko Rog já estava em campo, Machado permaneceu mostrando o dedo do meio e colocando a mão sobre a orelha, provocando os torcedores. Quando já estava sentado no banco, viu o cartão vermelho do árbitro Serge Gumiernny. E não se sentiu incomodado, provocando ainda mais os croatas nas arquibancadas. Corre o risco de pegar um gancho maior por seus atos e, assim como Fabrício, não voltar mais para encarar os Bad Blue Boys – ultras de péssima reputação.

Além do empate entre Dinamo e Molde, a rodada da Champions contou com outros destaques. Monaco, Panathinaikos, Apoel, Viktoria Plzen e Skënderbeu Korcë venceram os seus compromissos e largam com a vantagem do empate nos confrontos de volta. Já nos duelos mais pesados, CSKA Moscou x Sparta Praga e Fenerbahçe x Shakhtar Donetsk ficaram no empate. O complemento da rodada acontece nesta quarta, com destaque para Ajax x Rapid Viena.

Conteúdos relacionados
Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo