Europa

Predador sexual: Luis Rubiales é acusado de ter ‘tocado inadequadamente’ jogadoras da seleção inglesa

Presidente da Federação Inglesa faz denúncia contra o ex-dirigente da RFEF, que foi banido do futebol por três anos

Mais um capítulo do caso envolvendo Luis Rubiales, que parece não ter fim, foi conhecido nesta semana. Isso porque o ex-presidente da Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) também está sendo acusado de ter tocado inapropriadamente jogadoras inglesas na premiação da Copa do Mundo Feminina. A denúncia, feita pela presidente da Federação Inglesa de Futebol (FA), Debbie Hewitt, se tornou pública na última quarta-feira (6). 

As alegações de Debbie foram feitas ao comitê disciplinar da Fifa, que investiga o comportamento de Rubiales após a conquista da Espanha na Copa do Mundo. No mesmo dia, ele beijou Jenni Hermoso, da seleção espanhola, à força durante a entrega de medalhas no palco. O mesmo comitê foi responsável por banir Rubiales das atividades futebolísticas por três anos

Hewitt e a presidente da Federação da Nova Zelândia, Johanna Wood, escreveram propostas ao órgão regulador da Fifa depois de terem testemunhado o comportamento de Rubiales e quiseram fazer “observações em primeira mão sobre seu impacto”. Hewitt descreve uma série de toques e atitudes inadequadas envolvendo o cartola e também fundamenta a versão de Hermoso dos acontecimentos que o comitê descreve como “o incidente do beijo”.

No relato, Hewitt cita o comportamento de Rubiales enquanto estava ao lado dele na fila de entrega de medalhas. Ele “apertou a mão de todas as jogadoras da Inglaterra e tocou algumas no braço” enquanto elas passavam, e então “'colocou a mão e acariciou” o rosto da jogadora Laura Coombs, o que a presidente achou um pouco estranho. Depois disso, “ele beijou com força o rosto da jogadora inglesa Lucy Bronze”.

O ex-mandatário acusa a presidente da entidade britânica de um comportamento “absolutamente nojento” e que ela tem o objetivo de criar uma imagem dele como um canalha. 

Na mira da Fifa

Depois que o comitê publicou os relatórios a respeito de Rubiales, o ex-presidente da Federação Espanhola se tornou o pivô de uma crise internacional no futebol feminino. Até o Ministério Público entrou no caso após Rubiales comemorar a vitória da Espanha contra a Inglaterra enquanto agarrava e beijava Jenni Hermoso na boca.

O documento publicado pelo comitê disciplinar tem 35 páginas e pinta um quadro contundente dos acontecimentos da final, avalia as consequências e analisa o comportamento de Rubiales durante todo o processo. O comitê observa que o ex-presidente de 46 anos ainda não pediu desculpas a Hermoso e continua insistindo que a jogadora teria dado o consentimento. 

O comitê decidiu que, mesmo que a sua versão dos acontecimentos tivesse sido precisa, o comportamento de Rubiales era incompatível com o seu papel de presidente da RFEF e causou o descrédito da entidade em “nível global”.

– Sentimos que estamos tentando impor sanções mais severas tendo em vista a seriedade e gravidade dos incidentes em jogo, bem como o profundo impacto negativo que as ações do réu tiveram na imagem da Fifa, do futebol feminino e do esporte feminino em geral – afirma o comitê. 

Como foi a saída de Luis Rubiales da RFEF

Luis Rubiales entregou o cargo como presidente da RFEF no dia 10 de setembro. A decisão aconteceu somente depois de três longas semanas das escandalosas atitudes do dirigente no Mundial. A resistência de Rubiales se arrastou desde agosto, entre acusações mentirosas do cartola e uma tentativa de se fazer de vítima. 

No entanto, com as sanções realizadas pela Fifa e a investigação aberta pelo Ministério Público, estava claro como a situação era insustentável. A renúncia de Rubiales ainda teve “confetes”, com anúncio feito em uma entrevista de duas horas ao jornalista Piers Morgan, bem como numa carta divulgada em suas redes sociais. 

Foto de Livia Camillo

Livia Camillo

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, escreve sobre futebol há cinco anos e também fala sobre games e cultura pop por aí. Antes, passou por Terra, UOL, Riot Games Brasil e por agências de assessoria de imprensa e criação de conteúdo online.
Botão Voltar ao topo