Liga Europa

Resumão da Liga Europa: Primeira rodada teve uma série de jogaços, além de ótimas vitórias fora de West Ham e Lyon

Novo formato da Liga Europa começou favorecendo a competição, com partidas de alto nível em vários grupos

A nova fase da Liga Europa começou muito bem. A partir desta edição, a competição secundária será mais enxuta e se concentrará em clubes das principais ligas ou naqueles eliminados nas últimas fases preliminares da Champions. Com isso, vários embates de peso aconteceram de cara. E não foi só no papel que os jogos interessaram. Dentro de campo, muitas partidas tiveram 90 minutos intensos e escancararam a vontade dos times – o que não era exatamente o padrão da fase de grupos da Liga Europa até a temporada passada. Abaixo, um resumão de cada grupo, com alguns vídeos e links para textos publicados no site.

O Grupo A teve o Lyon dando um passo à frente, mesmo com a visita ao Rangers. Os Gones ganharam por 2 a 0 no Estádio Ibrox, com um lindo chute de Karl Toko Ekambi para abrir o placar e um gol contra do capitão James Tavernier para aumentar. Os Gers criaram boas chances e até acertaram a trave numa cobrança de falta, mas sem evitar o pior. Na outra partida da chave, Brondby e Sparta Praga empataram por 0 a 0 na Dinamarca. Os tchecos poderiam ter vencido fora de casa, com bem mais pressão ofensiva.

Pelo Grupo B, ocorreu um dos grandes jogos da rodada no Estádio Philips, onde PSV e Real Sociedad empataram por 2 a 2. Os Boeren eram claramente superiores e saíram em vantagem com Mario Götze, mas a Real virou antes do intervalo, com Adnan Januzaj e Alexander Isak. Na volta ao segundo tempo, o PSV retomou as rédeas e empatou com Cody Gapko, aproveitando uma linda jogada de Götze. Os Boeren seguiram melhores, mas as duas equipes desperdiçaram ótimas oportunidades nos acréscimos. Assim, a ponta é do Monaco, que venceu o Sturm Graz por 1 a 0 no principado, com um gol de Krépin Diatta. Foi um triunfo merecido, diante da forma como os alvirrubros amassaram os visitantes.

Outro jogo candidatíssimo a melhor da rodada aconteceu no Estádio King Power, com o empate por 2 a 2 entre Leicester e Napoli. As Raposas terminaram o primeiro tempo em vantagem, com um gol de Ayoze Pérez aos nove minutos, mas tomaram um calor dos napolitanos e viram Kasper Schmeichel salvar. E o início do segundo tempo favoreceu mais os ingleses, que tiveram um gol anulado de Patson Daka, antes de Harvey Barnes anotar o segundo. A reviravolta italiana foi comandada por Victor Osimhen. O nigeriano descontou com um golaço, em linda trama de primeira até encobrir Schmeichel. Depois, faria o tento decisivo aos 42, de cabeça. A chave ainda teve na quarta-feira a vitória do Legia Varsóvia por 1 a 0 sobre o Spartak Moscou, dentro da Rússia. Lirim Kastrati marcou o gol polonês nos acréscimos, em noite na qual os anfitriões bombardearam a meta de Artur Boruc e não conseguiram marcar.

O Olympiacos lidera o Grupo D, ao vencer o Royal Antuérpia por 2 a 1 em Pireu. Youssef El Arabi abriu o placar para os gregos, Mbwana Samatta empatou aos belgas e Oleg Reabciuk seria o herói dos anfitriões aos 42 do segundo tempo. No outro jogo, um movimentado empate entre Eintracht Frankfurt e Fenerbahçe, que ficaram no 1 a 1 dentro da Alemanha. O Fener começou melhor e marcou logo de cara, com Mesut Özil. O Frankfurt cresceu até Sam Lammers aproveitar o passe de Filip Kostic para empatar pouco antes do intervalo. Os alemães seguiram superiores, mas o lance decisivo seria dos turcos, nos acréscimos do segundo tempo. Lukas Hradecky pegou o pênalti cobrado por Dimitrios Pelkas e, no rebote, o tento de Mergim Berisha foi anulado por invasão na área.

O Grupo E, talvez o mais equilibrado, terminou com a liderança do Galatasaray. Os Leões receberam a Lazio em Istambul e venceram por 1 a 0, cortesia de uma lambança grotesca do goleiro Thomas Strakosha, que socou uma bola contra as próprias redes e ajudou os turcos. Na Rússia, o Lokomotiv Moscou saiu com o empate por 1 a 1 contra o Olympique de Marseille. Os franceses dominaram o jogo e criaram várias chances, mas só aproveitaram um pênalti convertido por Cengiz Ünder. Assim, aos 44 do segundo tempo, a equipe de Jorge Sampaoli pagou caro com o gol de empate anotado por Faustino Anjorin.

O Estrela Vermelha se deu melhor no Grupo F, ao desbancar o Braga no Marakana por 2 a 1. Milan Rodic abriu o placar aos sérvios, mas Galeno empatou logo na sequência com um belo chute. O tento da vitória sérvia saiu aos 40 da segunda etapa, em pênalti convertido por Aleksandar Katai. Midtjylland e Ludogorets empataram por 1 a 1 na Dinamarca. Evander cruzou para Gustav Isaksen colocar os anfitriões em vantagem, mas Kiril Despodov empatou aos búlgaros ainda no primeiro tempo.

No jogo mais recheado da rodada, o Betis venceu o Celtic por 4 a 3 no Benito Villamarín. Os escoceses marcaram dois gols em menos de meia hora, com Albian Ajeti e Josip Juranovic. O empate andaluz foi rápido, ainda na primeira etapa, com Juan Miranda e Juanmi. Já no início do segundo tempo, os beticos voltaram com tudo e consumaram a virada, com gols de Borja Iglesias e outra vez de Juanmi. Os Bhoys pressionaram, mas só encostaram no fim, com Anthony Ralston, e não foram além. O Bayer Leverkusen também venceu, ao fazer 2 a 1 de virada sobre o Ferencváros na BayArena. Ryan Mmaee marcou o gol dos húngaros. Exequiel Palacios empatou num bonito chute e Florian Wirtz virou, ambos com assistência de Jeremy Frimpong.

Por fim, o Grupo H teve uma baita estreia do West Ham em fases de grupos das copas europeias. Os londrinos visitaram o Dinamo Zagreb e ganharam por 2 a 0 no Maksimir. O primeiro gol foi do inspirado Michail Antonio, aproveitando uma bobeira dos adversários na saída de bola. Golaço mesmo foi de Declan Rice, que ampliou ao desarmar no campo de defesa e sair em disparada até invadir a área para fuzilar. Outro a vencer foi o Genk, que pegou o Rapid Viena na Áustria. O gol no triunfo por 1 a 0 veio apenas aos 47 do segundo tempo, numa ótima troca de passes até Paul Onuachu guardar.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo