Liga Europa
Tendência

Resumão da Liga Europa: Di María deu show, Sporting goleou e Monaco x Leverkusen foi outro jogaço

Nos outros resultados, o Sporting despachou o Midtjylland com goleada, o Sevilla não passou muitos apuros contra o PSV e o Shakhtar Donetsk passou nos pênaltis

Manchester United, Roma, Bayer Leverkusen, Sporting, Union Berlim, Sevilla, Juventus e Shakhtar Donetsk venceram os seus duelos de 16 avos de final da Liga Europa e se juntarão aos oito vencedores da fase de grupos na próxima fase da competição.

Ao mesmo tempo em que não teve grandes surpresas, o dia de jogos apresentou algumas emoções: a grande virada do Manchester United sobre o Barcelona, por exemplo. O Union Berlim conseguiu uma vitória enfática sobre o grande Ajax, Di María deu um show para a Juventus, e Monaco e Shakhtar Donetsk precisaram dos pênaltis para avançar.

O sorteio da próxima fase será realizado nesta sexta-feira. Os classificados estarão ao lado de Union Siant-Gilloise, Feyenoord, Arsenal, Betis, Freiburg, Real Sociedad, Ferencváros e Fenerbahçe.

Manchester United 2 x 1 Barcelona

Um duelo de pesos pesados, com cara de Champions League, e que terminou com uma vitória enfática do Manchester United. O 2 a 2 no Camp Nou havia sido um dos melhores jogos da temporada. Em Old Trafford, o começo foi quente, com Bruno Fernandes perdendo uma chance clara logo de cara. Depois, o meia português fez um pênalti bobo em Alejandro Baldé e permitiu que Robert Lewandowski abrisse o placar. O Barcelona soube cozinhar o restante do primeiro tempo, mas Ten Hag lançou Antony no lugar do inefetivo Weghorst no intervalo. Os Red Devils foram para cima. Não demoraram para empatar, com a infiltração de Fred na entrada da área, e depois viraram com uma chapada bonita do ponta brasileiro. Um resultado simbólico para confirmar a progressão do United e que teve o dedo do seu técnico. Entre as grandes noites europeias de Old Trafford nos últimos dez anos, desde a aposentadoria de Alex Ferguson.

Nantes 0 x 3 Juventus

Depois de um jogo de ida tenso, complicado, que terminou empatado em 1 a 1 em Turim com a Juventus pedindo pênalti no lance final, a Velha Senhora mostrou força. Ou, pelo menos, Ángel Di María o fez, com um recital de futebol. Cheio de confiança desde que se transformou em campeão do mundo, Fideo deu um tapa de primeira do bico direito da grande área e conseguiu obrigar a bola a fazer uma linda parábola antes de morrer no ângulo de Alban Lafont. E poucos minutos depois, Di María saiu driblando dentro da área. Deixou Pedro Chirivella para trás, passou também, meio na dividida, por Lafont, levou para dentro e tentou marcar de letra. Nicolas Pallois tirou com o braço no desespero e foi expulso. Di María cobrou o pênalti para fazer 2 a 0. E fechou a sua tripleta, no segundo tempo, com uma cabeçada na segunda trave que cruzou a linha apenas por pouco.

Roma 2 x 0 Red Bull Salzburg

A Roma havia perdido o jogo de ida por 1 a 0 na Áustria e precisava mostrar força contra um adversário qualificado. Conseguiu fazê-lo, com ajuda de Leonardo Spinazzola, que recuperou o brilhantismo da Eurocopa e liderou a vitória por 2 a 0 com duas assistências. Aos 33 minutos, o lateral foi à linha de fundo e cruzou para Andrea Belotti marcar. Pouco depois, Dybala, de volta ao time titular, completou de primeira outro cruzamento do companheiro para colocar o time de José Mourinho em vantagem. A Roma conseguiu controlar o segundo tempo e avançou às oitavas de final.

Union Berlim 3 x 1 Ajax

O Ajax é um dos grandes clubes do futebol europeu. O Union Berlim não é, mas esse tipo de rótulo tem importado muito pouco ao clube, que insiste em superar expectativas. Havia conseguido jogar melhor em Amsterdã e, mesmo sem manter posse de bola, abriu o placar logo aos 20 minutos, quando Calvin Bassey botou a mão na bola dentro da área. Robin Knoche abriu o placar. Mohamed Kudus perdeu uma grande chance e depois teve um gol anulado. Ainda no primeiro tempo, Géronimo Rulli falhou em um chute franco de Josip Juranovic, e o prejuízo holandês dobrou. Kudus conseguiu descontar pouco depois do intervalo, mas Danilho Doekhi restaurou a vantagem alemã. A reação do Ajax, no fim, foi impossível.

Monaco (3) 2 x 3 (5) Bayer Leverkusen

Se o primeiro jogo foi um dos mais vibrantes da Liga Europa, o segundo não deixou por menos. O Monaco ganhou por 3 a 2 em Leverkusen, e o Leverkusen ganhou por 3 a 2 em Monaco. O prodígio Florian Wirtz abriu o placar, depois de boa jogada de linha de fundo do lateral Jeremie Frimpong. Ben Yedder empatou de pênalti, aos 19 minutos. O Leverkusen voltou à frente logo depois, com uma batida de esquerda de Palacios, após escanteio, e chegou a abrir 3 a 1, no segundo tempo, em linda assistência de Wirtz para a cabeçada de Amine Adli. Uma testada de Breel Embolo, a seis minutos do fim, forçou a prorrogação e os pênaltis. Da marca do cal, os alemães foram impecáveis, começando com Sardar Azmoun. Axel Disasi bateu bem para empatar, Amiri converteu, mas Eliot Matazo soltou a bomba no travessão. Depois disso, ninguém mais errou. Moussa Diaby, porém, passou perto. Bateu cruzado de canhota e acertou as mãos de Alexander Nübel. A bola ainda entrou e colocou as Aspirinas nas oitavas de final.

PSV 2 x 0 Sevilla

O placar pode ser um pouco enganoso. Parece que o PSV esteve perto de empatar o confronto com o Sevilla, que havia vencido a ida por 3 a 0. E não esteve de verdade. O segundo gol saiu a instantes do apito final, depois de quase 80 minutos de puro marasmo. Pouca coisa aconteceu no primeiro tempo, com uma cobrança de falta de Alex Telles meio perto do ângulo como a chance mais perigosa. O Sevilla retornou do intervalo colocando En-Nesyri na cara do goleiro Walter Benítez, que fez boa defesa. O ritmo aumentou quando o PSV conseguiu descontar, aos 32 minutos da etapa final, com ajuda da ligação direta. Fábio Silva ganhou pelo alto, e Luuk de Jong também, antes de bater na saída do goleiro Marko Dmitrovic. O momento em que a classificação espanhola mais ficou ameaçada foi alguns minutos depois, quando Fábio Silva disparou pela ponta e cruzou rasteiro para De Jong marcar o segundo. O garoto português, porém, estava impedido. A anulação do gol voltou a matar o jogo até os acréscimos, quando, novamente na base dos lançamentos, Silva marcou o segundo, fazendo boa parceria com De Jong. O árbitro até deu mais alguns minutos, mas o PSV não conseguiu aproveitá-los para buscar o milagre.

Midtjylland 0 x 4 Sporting

O Midtjylland fez um bom trabalho para segurar o Sporting em Alvalade no jogo de ida. Ótimo até, porque o gol de empate dos Leões saiu apenas nos acréscimos. A mesma coisa não pode ser dita sobre a volta. Dessa vez, Sebastián Coates deixou o seu logo aos 21 minutos, depois de um bate e rebate danado dentro da área no qual Henrik Dalsgaard quase fez um gol contra bizarro. Paulinho conseguiu levar dois cartões amarelos em um intervalo de três minutos e complicou um pouco mais as coisas para os donos da casa. Na etapa final, Pedro Gonçalves marcou duas vezes, com um bonito chute de primeira e outro que contou com um desvio. No fim, o Midtjylland não escapou do gol contra bizarro. Stefan Gartenmann recuou sem perceber que Jonas Lössl estava fora do gol. Por que Jonas Lössl estava fora do gol eu ainda não sei.

Rennes (4) 2 x 1 (5) Shakhtar Donetsk

O Shakhtar Donetsk venceu em Varsóvia, onde manda seus jogos durante a guerra, por 2 a 1. E o Rennes respondeu com a mesma moeda na França, mas com requintes de emoção. Um gol no começo do segundo tempo de Karl Todo Ekambi deixou tudo igual e forçou a prorrogação. Ibrahim Salah abriu vantagem para os donos da casa no confronto, mas um gol contra de Jeanuel Belocian empatou tudo novamente. Nos pênaltis, o Rennes errou duas vezes seguidas, com Jérémy Doku e Birger Meling. Na hora de fechar a classificação, porém, o Shakhtar também desperdiçou duas batidas, com Valeriy Bondar e Danylo Sikan. Cada lado acertou a primeira das alternadas, mas Lesley Ugochukwu voltou a vacilar para o Rennes. Kevin Kesly colocou o Shakhtar Donetsk nas oitavas de final.

Foto de Bruno Bonsanti

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.
Botão Voltar ao topo